((((* "O QUE VEM SEMPRE ESTEVE AQUI, A PAZ ESTA DENTRO DE TI E SO VOCE PODE TOCALA, SER A PAZ SHANTINILAYA, NADA EXTERNO LHE MOSTRARA O QUE TU ES. NADA MORRE POR QUE NADA NASCEU, NADA SE DESLOCA PORQUE NADA PODE SE DESLOCAR VOCE SEMPRE ESTEVE NO CENTRO, NUNCA SE MOVEU , O SILÊNCIO DO MENTAL PERMITE QUE VOCÊ OUÇA TODAS AS RESPOSTAS" *)))): "ESSÊNCIAIS" "COLETÃNEAS " "HIERARQUIA" "PROTOCÓLOS" "VÍDEOS" "SUPER UNIVERSOS" "A ORIGEM" "SÉRIES" .

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

IS-IS (MARIA) - 01-12-2012 - AUTRES DIMENSIONS




Áudio em francês.

Eu sou MARIA, Rainha dos Céus e da Terra. Crianças da Luz, aqui e em qualquer lugar, eu rendo graças e eu estou honrada por este instante que nós vamos partilhar, no Coração do Amor.

Eu agradeço a vossa presença e a vossa constância. Eu rendo graças à vossa consciência que soube, de diferentes maneiras, ao longo destes anos e das vossas vidas, guardar, em vocês, a lembrança, o traço da vossa Eternidade.

Eis-vos, portanto, chegados, nestes Tempos (tão precisos, tão íntimos e tão intensos) do que é para viver, a fim de vos levar à vossa Eternidade. Como para muitos de vocês, eu posso doravante dizer-vos: «eu estou convosco, até ao fim dos Tempos».

Eu estou convosco e em vós, enquanto Mãe, não vendo aí nenhuma conotação ou coloração humana. A nossa filiação (a nossa ressonância com o Núcleo Cristalino da Terra, que nos é comum) não é uma filiação que além disso vos confinaria mas, antes, a chave da vossa Liberdade. Depois deste dia, eu vos convido a se imergirem, a se mergulharem, no banho da Felicidade.

A alimentação da Terra passa, doravante, por diversas Portas de Estrelas e do Sol. Os mecanismos visando (de todas as formas possíveis) restabelecer a vossa Integridade e o vosso Todo estão, definitivamente, no lugar, tanto no vosso corpo como no conjunto deste sistema solar.

A ação dos Elementos prossegue (e prosseguirá) o tempo que for necessário, durante este mês, a fim de perfazer (concluir) a vossa Liberdade, a fim, precisamente, que vocês sejam capazes, cada um e cada uma, de ver, realmente, de estar iluminado, em pleno dia, sobre o que vocês São, de estar iluminado sobre outra coisa além do que fazia o ordinário das vossas vidas, no seio deste mundo.

Eu venho também, de qualquer modo, convidar-vos, de maneira bem mais importante que o nosso encontro de hoje, a permanecer aí onde tudo é ligeiro, a se instalarem aí onde tudo é feliz, aí onde tudo não depende, em nada, deste mundo. É nesta condição que vocês estão plenamente vivos, plenamente na vida.

E é esta plenitude que se instala, em vocês, com mais ou menos evidência, mais ou menos facilidade. Mas vocês o sabem muito bem: qualquer que seja a intensidade das vossas vivências, qualquer que seja a intensidade do que vocês experienciam, do que vocês vivem, nós construímos, juntos, tudo o que era necessário para realizar, com o máximo de facilidade (para este mundo, para o conjunto de todas as consciências desta Terra), um mecanismo que permite, efetivamente, ter podido viver, para a maioria de vocês, sem ser afetado pelos reajustamentos da Luz ou pelas resistências da Sombra. Quer estejam em vocês ou exteriores a vocês, vocês sabem muito bem que isso não é senão um ponto de vista.

Hoje, a Terra, que nos levou a todos neste Plano de existência que foi Libertada, vive agora a sua libertação. Esta libertação, que eu pude comparar a um parto, virá vos apresentar todos os elementos que são necessários, tanto para a vossa consciência, como para a Terra e como para o que vocês São, na Eternidade, para realizar esta obra alquímica maior, com as suas diferentes etapas que vocês viveram mais ou menos facilmente, mais ou menos com a esperança, mais ou menos de acordo com a vossa consciência (e com esse corpo) que foi regada n’A FONTE.

A finalidade de tudo o que foi vivido começou, já, a se implantar, de diversas maneiras, para vocês. Alguns tiveram a Revelação das suas Linhagens. E vocês sabem o que representa esta Revelação: ela não é um conhecimento como qualquer outro mas ela vos restitui, através dos quatro Pilares do Coração, e vos ajuda a encontrar, de qualquer modo, esse centro do Centro, esse coração do Coração, que sempre esteve aí.

Quaisquer que sejam as etapas que vos pareça ter subido (ou escapado, de qualquer modo, à vossa consciência), tudo isso, hoje, vai dar lugar, cada vez mais, a um sentimento, muito claro e cada vez mais lúcido, do que se desenrola, aí onde vocês estão, nesse corpo e, mesmo, no seio da vossa vida, nos seus aspectos mais ordinários (vulgares).

O extraordinário vem ao encontro do ordinário. Mas o extraordinário, vocês o sabem, pode ser assustador para aquele que, quer não esteja preparado (através do que nós propusemos ou por outras formas), ou cujo Coração não é suficientemente inocente.

A chave deste período, como vocês o sabem, é o Abandono, a capacidade de permanecer em Paz, a capacidade de viver, de maneira cada vez mais segura, para vocês, os estados de Beatitude, de Êxtase ou de Samadhi. Vocês o vivem, de qualquer modo, através desta noção de distorção do tempo: para vocês, o tempo parece esticar-se, para outros, o tempo parece contrair-se.

E, em tudo isto, o vosso corpo está sujeito e reage, por si mesmo, a este afluxo de Luz, a este afluxo de Amor. O conjunto de todas as vossas percepções (quaisquer que elas tenham sido), hoje, tendem, eu diria, a resolver-se nesta espécie de vacuidade onde tudo é pleno, onde tudo é perfeito, onde todas as questões que se podiam apresentar, ainda, vos parecem, agora, supérfluas.

A Luz guia-vos: ela vos faz subir e ela vos conduz ao vosso Ser Supremo, sem dificuldade. As únicas dificuldades, como vocês o sabem, só são representadas, hoje, pelas últimas resistências: quer isso seja pelo que é denominado Sombra, por quem está ligado aos hábitos ou pelo que está ligado às ignorâncias relativamente à Verdade, Suprema, ela também.

O tempo do meu Apelo chegou, mesmo se, de maneira pessoal, muitos de vocês me receberam ou receberam o Apelo de uma das minhas Irmãs Estrelas ou de um dos Anciãos ou, ainda, de um Arcanjo. Hoje, vocês estão, de qualquer modo, convidados para esta Festa. Não são mais umas Núpcias, porque umas Núpcias são um momento.

E esta Festa não foi chamada para durar um momento mas, antes, para se instalar definitivamente, pondo fim a tudo o que foi separado, a tudo o que podia ser zona de sofrimento ou de dor, mesmo se certas aparências do mundo, vistas com o olhar habitual, vos fazem por vezes duvidar deste momento de Festa. Mas este momento de Festa está inscrito de todos os tempos. Simplesmente, o que nós tínhamos dito era que as circunstâncias precisas, para chegar a esta Festa, seriam profundamente diferentes segundo a resposta da humanidade.

E como os Arcanjos vos disseram (quer isso seja depois das Núpcias Celestes ou como nós vos repetimos regularmente): do nosso ponto de vista, tudo está absolutamente perfeito. Mesmo se vos pareça que, na vossa vida, que no lugar onde vocês vivem, existem coisas mais constrangedoras para vocês, é simplesmente porque o constrangimento não mudou mas a vossa visão e a vossa capacidade de perceber amplificou-se e desenvolveu-se largamente.

O que vocês percebem, hoje, tentem lembrar-se: objetivamente, vocês não podem senão constatar que as coisas progrediram, para se apresentarem a vocês de maneira muito diferente. A grande novidade, para a maior parte de vocês (e, nós esperamos, cada vez mais numerosos, agora, a cada dia), é darem-se conta da Verdade.

Não da verdade da história que, como vocês o sabem, sempre foi escrita por aqueles que estavam à cabeça de qualquer coisa (de uma instituição ou de um grupo de pessoas) mas, nunca, nenhuma história, qualquer que ela seja, substituirá a vivência da vossa experiência.

E tudo aquilo a que vocês foram conduzidos pela Luz mas também pelo vosso Coração, isso foi, pouco a pouco ou brutalmente, para se darem conta, por vocês mesmos, do que é a consciência nos seus aspectos limitados e nos seus aspectos ilimitados. De se darem conta que, o que quer que seja que vocês tenham a viver, na vossa história pessoal, isso não será nunca mais do que uma história pessoal que é sempre dependente das circunstâncias, de um certo número de quadros e de limites, próprios deste mundo.

A Humildade é juntar-se à sua Humanidade, é juntar-se a este aspecto do sal da Terra ou da carne da Terra. Porque vocês são, muito precisamente, aqueles que estão inscritos entre o Céu e a Terra e que talvez tenham perdido, para muitos de vocês, esta noção de confiança com a Eternidade, que vem transcender todas as histórias, tanto pessoais como coletivas. Vocês vivem, portanto, e vocês experimentam, mais uma outra temporalidade: Encontros (denominados de diferentes formas) com outros Planos, outras Dimensões, que vos eram, até o presente, inacessíveis. Tudo isso são, se vocês os virem com objetividade, elementos de prova, não mais formais, da mudança que está em curso. Mas esta mudança não é uma simples mudança, como aconteceu em toda a história deste mundo. É bem mais que uma mudança de ciclo, que uma mudança de era, que uma mudança de estado da consciência.

O Retorno à multidimensionalidade, aqui mesmo nesta Terra, vos permite fazer a vossa própria análise e de viver a vossa própria verdade. Se vocês aceitarem deixar a Luz trabalhar (como ela trabalhará cada vez mais poderosamente em vocês), vocês não poderão senão constatar que, entre a Luz e vocês, não há senão o espaço da ilusão das crenças neste mundo e na sua verdade, e que quanto mais vocês acolhem a Luz e quanto mais vocês se Abandonarem a ela, mais ela vos desperta e vos revela, de forma cada vez mais justa.

«Se reconhecerá sempre a árvore pelos seus frutos» e os estes frutos, certamente, não são manifestáveis e manifestados, unicamente, por coisas que são para adquirir ou para desenvolver (quer isso seja na matéria ou na consciência) mas, bem mais, por esta noção de filiação. Porque esta filiação não é, agora, simplesmente, uma vaga lembrança, mas antes, nós o esperamos, a realidade da vossa vivência, cada vez mais frequente e quotidiana. Mesmo se algumas das oscilações entre a Eternidade e o efêmero, o ilusório e o Absoluto, vos pareçam, por vezes, desafiadoras.

Se vocês estão aí, aqui ou algures, a ler ou a escutar o que eu digo, vocês se dão bem conta do que se produz em vocês, do que se desenrola no vosso campo de experiência. Então, como isso foi dito, há vários anos, pelo Comandante (ndr: OMRAAM MIKAËL AVAÏNHOV): certamente, nós sabemos pertinentemente, daqui onde nós estamos, que havia prazos e que esses prazos eram astronômicos.

Mas não concebam nunca este prazo astronômico como um momento marcado por uma pedra branca ou vermelha, significando um antes e um depois, porque o antes e o depois não se podem construir, segundo a vossa linearidade, no espaço de um Clique (Centelha/Faísca), mesmo se, no momento em que isso ocorrer, isso se faça como um Clique. Havia, é claro, um certo número de resistências, um certo número de crenças, um certo número de elementos, tanto no vosso corpo como no que envolve a Terra ao nível do seu controle (ou seja, o sistema de controle do mental humano ou ainda as egrégoras), a impossibilidade de encontrar, na totalidade, a Liberdade.

Alguns de vocês a encontraram. Alguns de vocês estão em vias de o viver. Tudo isso nos alegrou, porque nós pudemos constatar, nos nossos diferentes Encontros com vocês (quer sejam as minhas Irmãs ou eu mesma, ou ainda os Anciãos e os Arcanjos) que cada um trouxe a sua pedra para vos permitir se encontrarem e se reencontrarem, enfim, tal como vocês São, na Eternidade.

Nós estamos, também, perfeitamente conscientes (em todo caso para aqueles e aquelas de nós que conheceram a carne desta Terra) que existe um tal peso, no seio da densidade em que vocês estão, que certos obstáculos podiam parecer, ainda há poucos anos, dificilmente ultrapassáveis. Mas eu vos convido a olhar objetivamente: olhem o que vocês eram, o que vocês criam (acreditavam) ser, há alguns anos, e olhem, hoje, o que vocês são.

Eu não falo, é claro, das circunstâncias, quaisquer que elas sejam, da vossa vida, mas eu me dirijo diretamente ao vosso Coração e à vossa consciência. Quanto mais vocês consciencializarem isso, mais vocês irão aceitar deixar os últimos hábitos, os últimos medos, as últimas dúvidas, como as últimas resistências coletivas. Vocês sabem que, por trás de tudo isso, há essa Morada da Paz Suprema. E nós sabemos que vocês são cada vez mais numerosos a experimentá-lo, a aí se estabelecerem, a aí permanecerem.

Como eu vos disse, aquando da minha última intervenção, o tempo do meu Apelo está muito próximo. O Canal Mariano coletivo foi criado e constituído: ele está operacional. Nós estamos próximos de vocês. Nós estamos mesmo, para muitos, revelados, no Interior de vocês. Então, este momento é um momento de Festa, mas de uma Festa que não pára nunca. Porque, assim como neste mundo vocês têm o hábito de oscilar entre um estado e outro, entre uma experiência e outra, as alegrias e as tristezas, assim na vossa Eternidade, nenhuma destas alternâncias pode existir, nenhuma flutuação pode aparecer.

Então, é claro, para o que resta da vossa pessoa, inserida na vossa história ou na história deste mundo, isso pode parecer, ainda, tão longe, tão hipotético. Mas vocês sabem muito bem – pelas vossas experiências, pela vossa vivência, pelos diversos testemunhos que vocês podem comunicar – que todas essas etapas (que nós atravessamos e que vocês atravessaram) foram passos benéficos, visando encurtar e adoçar os elementos mesmo mais desagradáveis para a personalidade.

O Parto e a Libertação se produzirão a um dado momento. Mas foi necessário construir esse momento. Foi necessário construir, pouco a pouco, reconstruir, eu diria, a vossa Eternidade. E vocês realizaram-no. Aqueles de vocês que já foram Chamados, a um dado momento ou a um outro, devem instalar-se, cada vez mais, nessa reminiscência e, bem mais do que isso, nessa Paz, nessa Felicidade que vos é prometida, porque vos é devido. Não como qualquer coisa a adquirir: é o que vocês Eram antes.

E eu falo de «antes» como a experiência desta encarnação, como de todas as encarnações neste mundo. Quer isso seja as vossas Linhagens Estelares, quer isso seja a ação dos Elementos, quer isso sejam as diferentes percepções presentes no vosso corpo, vocês têm todos, num grau ou noutro, abordado ou vivido, a Verdade Absoluta do Amor e da Luz que vocês São.

Doravante, as circunstâncias prévias estão todas reunidas. Tanto vocês, como nós, como a Terra, que disseram «sim», esperam, agora, sem impaciência, nesta Paz, o momento em que o limiar da Luz será tal que o Clique (Centelha/Faísca) acontecerá de forma coletiva. Lembrem-se, durante este período (quer isso seja antes do meu Apelo, ou logo após o meu Apelo, antes desse famoso momento, preciso e identificável), o que vocês São, o que vocês vivem, quer isso seja por um instante ou de maneira mais constante.

Não há nada a considerar, nem a preparar. Doravante, eu diria mesmo que não há mais nada a preparar, que não há mais nada a pedir, nada a esperar, que há unicamente que viver, da forma a mais Humilde possível, o que se desenrola agora. Da vossa Humildade e da vossa Simplicidade resultará, realmente, o apoio que vocês trarão à Luz, pelo seu trabalho. Lembrem-se que até esse Clique (Centelha/Faísca), até esse instante (que não é, eu o lembro, necessariamente, assimilado e sobreposto com os prazos astronômicos), tudo isto se desenrola ao mesmo tempo.

Mesmo se, para nós, tudo está consumado, nós sabemos, claro, que, do vosso ponto de vista, pode parecer restar alguma coisa para realizar, claro, para o que vocês denominam a Ascensão (e o que nós denominamos, convosco, a Translação). Mas o que é para realizar não necessita, da vossa parte, de outra coisa senão esta Humildade, esta Benevolência, e esta noção de deixar trabalhar o que trabalha.

Assim, desde este dia e até, eu diria, este prazo astronômico, nós estaremos, duas das minhas Irmãs e eu mesma, o mais próximo de vocês, de forma privilegiada mas não exclusiva. Assim, a minha Irmã GEMMA (ndr: GEMMA GALGANI) e a minha Irmã MA (ndr: MA ANANDA MOYI) e eu mesma, estaremos, mais do que nunca, presentes, com evidência, durante os vossos Alinhamentos, para outros durante as vossas noites e também, eu diria, como uma espécie de lembrete, antes do Clique (Centelha/Faísca) de que eu falava, que é de se manifestar a vocês, de falar convosco, de conversar convosco.

Eu sei que há, entre vós, aqui e noutros lugares, quem me entenda e com quem eu contato. Então, certamente, isso pode parecer surpreendente, porque vocês têm sempre tendência a considerar que para além de sentir as nossas Presenças nas Comunhões ou de sentir a nossa Presença, em vocês, é-vos por vezes difícil encontrar uma outra significação que não seja o contato ou outro modo de troca, senão pela própria Comunhão.

Hoje, alguns de vocês são tão elevados, Vibratoriamente e em consciência, que não há para nós nenhuma dificuldade, realmente, em vos falar de diversas coisas que vos são próprias. Mas lembrem-se que a dado momento eu me expressarei a vocês, coletivamente, no mesmo momento. Este momento, vocês não podem conhecê-lo, se é que ele já está atualizado nos outros espaços/tempos, nas outras Dimensões, e que resta apenas, de qualquer modo, que esta Implantação do Coração Ascensional se realize no conjunto coletivo da Terra.

Porque é nesse momento que aqueles dos nossos Irmãos e Irmãs e dos meus Filhos que dormem, se lembrarão, pela impulsão final da Luz, do que eles Foram e do que eles São, de toda a Eternidade. Qualquer que tenha sido a passagem sobre esta Terra, qualquer que seja a sua duração, qualquer que seja a sua intensidade e quaisquer que sejam os marcadores de uma evolução, hoje, vocês são convidados a deixar tudo isso ser varrido, cada vez mais, pela nossa Presença, pela vossa Presença e, portanto, pela Luz.

Os nossos encontros das 19h (hora francesa) se tornarão cada vez mais perceptíveis, pela nossa Tripla Presença feminina, junto a vocês e em vocês. Porque isso é a melhor forma de reequilibrar, eu diria, definitivamente, a Dualidade masculinidade/feminilidade e de vos permitir juntar o que foi denominado, pelo Arcanjo MIGUEL, a Androgenia Primordial. Todos os Encontros com os vossos Duplos, quaisquer que eles sejam (quer isso seja com KI-RIS-TI, com MIGUEL, ou conosco, ou com os Anciãos), não tiveram senão um objetivo: que é o de vos permitir estas Fusões.

Não unicamente com um Duplo, não unicamente com aquele que é encarnado mas, verdadeiramente, esta Fusão com a Vida, ou seja, encontrar esta filiação, esta Liberdade de Ser o que vocês querem, o que vocês amam, onde quer que estejam, em qualquer forma, em qualquer Dimensão, em qualquer consciência que seja.

Tenham também presente no espírito que, nestes tempos tão precisos, se podem manifestar, ainda (em vocês mas, cada vez mais, no que vocês denominam exterior, ou seja, no mundo), sinais que podem ser considerados como o que foi chamado catástrofes, do ponto de vista da personalidade. Mas nenhuma catástrofe se refere ao que vocês São. Bem pelo contrário.

E o que foi chamado, de um ponto de vista, uma catástrofe, é uma Libertação, visto de outro lado. Não são simplesmente jogos de palavras ou questões de definição mas, bem mais, o próprio estado da vossa consciência. Segundo o que vocês São, e não mais segundo o que vocês pensaram, criaram ou imaginaram, ou acreditaram, mas antes segundo a vossa intimidade (que vos é própria e onde se encontram todas as intimidades), na mesma confiança, na mesma filiação, que é a da Liberdade, do Amor e da Luz.

Eu vos proponho alguns instantes de Fusão, em silêncio, antes de prosseguir, para a segunda parte, do que eu vos tenho a entregar.


… Compartilhamento do Dom da Graça …

Eu vou, portanto, agora, prosseguir com estes alguns elementos que, eu espero, permitirão assistir-vos nos vossos próprios processos de verificação do que se desenrola, em vocês. E lembrem-se destas frases: só aquele que foi chamado a desaparecer tem medo de desaparecer; aquele que é Eterno não tem nenhuma razão para ser afetado pelo que quer que seja.

A nossa Tripla Radiância de Estrelas (realizada por GEMMA, MA e eu mesma), que se ilustrou pelo Manto Azul da Graça e o Canal Mariano, vai agora atravessar um limiar. Este limiar é o limiar de uma comunicação mais direta, mais fácil, mesmo segundo os vossos critérios.

Dos nossos Encontros aumentará a Paz. Dos nossos Encontros sairá o Amor. Nós vos convidamos a mergulharem, completamente, nos nossos contatos. Vocês atrairão, sem nada pedir, tudo o que é útil e necessário para este tempo. Para acabar, eu vos lembro também, que em termos de tempo, o Clique (o momento do Basculamento, se vocês preferirem) corresponderá a um momento que não é escolhido, nem por nós, nem por vocês, nem pela Terra, mas, antes, pelo que vocês denominam (e denominamos convosco) A Fonte e também pela capacidade de Revelação d’A Fonte.

A Luz penetra em vocês. Doravante, ela não penetra mais unicamente pelas Estrelas da cabeça ou pelo Coração mas a Luz pode penetrar em todo o espaço da vossa consciência e do vosso corpo. Então, é claro, há reajustamentos necessários. Mas o vosso corpo é um guia, perfeito, para o que é para viver, agora.

Sigam o que vos diz o vosso corpo e não mais o que vos dizem as vossas necessidades ou os vossos hábitos. É aí que vocês precisam ser claros com vocês mesmos. Será que vocês estão realmente de acordo com vocês mesmos? Será que vocês aceitam conceder o que é necessário (e que a Luz vos pede) para concluir a vossa própria Translação? É um momento (durante estes dias e estas poucas semanas que precedem o fim deste ano) em que vocês vão poder, não unicamente se posicionarem mas, realmente, se estabelecerem no Amor e na Luz, ou no mental. No Amor, ou noutra coisa. 

Não haverá mais dois lugares possíveis. Não haverá mais escolha entre um lugar e outro lugar. Vocês não poderão mais estar a cavalo sobre duas realidades mas vocês constatarão, por si mesmos, que uma realidade substitui outra, ou que a realidade que vocês conhecem torna-se ainda mais acentuada. Isso se tornará facilmente perceptível.

E lembrem-se, sempre, que as nossas Presenças, ao vosso lado e em vocês, são, de qualquer modo, a prova evidente de que vocês não estão mais separados, de que vocês não estão mais divididos, mesmo que este mundo vos pareça ainda separado e dividido.

E, se vocês aceitarem esta Unificação, esta União, que se realiza em vocês, então, vocês verão muito rapidamente que, real e concretamente, as circunstâncias do efêmero não estão de forma nenhuma na frente da vossa vida mas se afastam de vocês, naturalmente e espontaneamente, sem nada rejeitar, sem nada descartar. Mas é precisamente aquele que esteve privado de Luz que, tanto em vocês como neste mundo, desaparece na totalidade, mesmo se, em certos casos, as aparências vos possam dar mais a imagem do que resiste e se opõe. Isso só tem um tempo de existência, que é cada vez mais limitado e cada vez menos aparente.

Mas, para isso, nós insistimos: é preciso estarem cada vez mais livres, sobretudo, de toda a crença, de toda a ideia pré-concebida, de toda a projeção. Lembrem-se que definitivamente, o que quer que seja que eu vos diga sobre o tempo que se desenrola, sobre os prazos astronômicos ou sobre o Clique da Translação, vocês estão já fora de tudo isso, a partir do instante em que vocês não estão mais inscritos na personalidade. Além disso, vocês constatarão, cada vez mais facilmente, que quando vocês estão de novo religados à vossa Liberdade, vocês não são mais afetados por uma história deste mundo.

Quaisquer que sejam o início ou o fim da história, vocês não estão mais na história mas vocês estão na Vida. Ora, a Vida não se acomoda em nenhuma história, em nenhum arranjo com o mental ou com as memórias (quaisquer que elas sejam). Redescobrir a Vida e a Liberdade, é manifestar a Paz, o Amor, a Luz e a Humildade e, sobretudo, a Simplicidade. Porque aí se encontra, na Humildade e na Simplicidade, eu diria, a quintessência da vossa Eternidade.

Então, sim, vocês podem chamar-nos, às minhas Irmãs e a mim, da mesma forma que URIEL vos acompanhou durante estas semanas. Ele termina hoje a sua missão. Da mesma forma que outros Arcanjos terminaram, da mesma forma que certos Anciãos ou certos intervenientes (que vos deixaram recentemente porque eles não têm mais nada a expressar), da mesma forma, para vocês, é a mesma coisa que se desenrola.

Não há que adquirir a mínima crença. Há apenas que se estabelecerem na vossa Eternidade. Todo o resto, absolutamente todo o resto, resulta disso. Não é mais o tempo de procurar modificar as circunstâncias. Não é mais o tempo de procurar modificar as condições. É verdadeiramente tempo de viver o Essencial a fim de se tornarem, vocês mesmos, esse Essencial que vocês São.

Assim, para vos ajudar nisso, as minhas duas Irmãs e eu mesma estaremos convosco, todas as noites, às 19h (hora francesa), ou quando vocês nos chamarem. Mas eu voltarei, também, a me expressar dentro de uma semana e dentro de 15 dias, entre vós, sempre à mesma hora (ndr: 8 e 15 de dezembro às 14h). É um encontro que vos dou, onde haverá, como vocês verão, cada vez menos palavras, cada vez mais Presença, cada vez mais Eternidade, cada vez mais Beleza

Porque o conjunto das palavras, que era possível pronunciar, o foram. Porque o conjunto das experiências da vossa consciência, que era possível viver durante esta fase, vos foi comunicado. Vocês o viveram, talvez, na totalidade ou, talvez, nenhum. Mas quaisquer que sejam estas fases, hoje, elas se apagam a si mesmas, perante a magnificência da Luz e do Amor, no Retorno integral de KI-RIS-TI.

Então, não há mais sinal exterior a procurar, não há mais data a procurar. Porque tudo isso, quando vocês entram na vossa Eternidade, vocês o sabem, não tem mais nenhuma espécie de importância. O que vocês São não está mais dependente deste mundo, mesmo se vocês estão ainda neste mundo. A Verdadeira Liberdade e a Verdadeira Libertação estão aí. Ela não está noutro lugar.

Tomar consciência disso, é tomar consciência e viver a sua Eternidade. É viver este indizível do qual nada pode ser dito. É, sobretudo, baixar as armas de toda a resistência e de toda a tentativa de confrontação, mesmo entre o vosso próprio efêmero e o vosso próprio Eterno, em vocês. Estes mecanismos diversos que vocês têm vivido e que eram chamados, ainda há uma semana, esta sobreposição (superposição), esta justaposição (ndr: ver sobre este tema a intervenção de ANAEL de 24 de novembro 2012), tornam-se, por momentos, uma espécie de sobre-impressão em que duas realidades se mesclam, em que duas coisas (que, até o presente, eram desconhecidas uma da outra) se encontram.

Estes são, efetivamente, os Regressos a Casa (Retrouvailles). E como todos os Regressos a Casa, é sempre uma Festa. Salvo que aí, isso não é uma Festa que está limitada a um momento ou um instante mas que, a cada dia, vos vai aparecer como Eterna, Perpétua e de uma grande Graça.

Se isso ainda não aconteceu, vocês descobrirão que a Luz, o Amor, são a única Verdade, presente e inscrita em todo o tempo, em toda a Dimensão, mesmo aqui, aí onde vocês estão. Não como uma busca ou qualquer coisa de exterior mas, antes, como a própria natureza do que vocês São e do que nós Somos. Então, nós vos convidamos, mais do que nunca durante todos estes anos, a permanecer verdadeiramente o mais Simples possível. Observem, se vocês o desejarem, a ação da Luz e do Amor, em vocês. Observem o que parece mudar tanto no vosso meio, como em vocês.

Uma das minhas Irmãs vos preveniu: doravante, a Luz é tal que ela vos vai alimentar, em todos os sentidos do termo (ndr: ver a intervenção de HILDEGARDE DE BINGEN de 3 de outubro 2012). E tudo o que vos alimentava antes (quer isso seja nas trocas fraternais, quer isso seja numa relação harmoniosa com um outro Irmão ou Irmã, qualquer que seja o seu papel na vossa vida) vos aparece como não suficiente mas, também, como elementos que eram, de qualquer modo, paliativos. Hoje, vocês se descobrirão inteiros e curados.

Mesmo se isso ainda tem, para vocês, a aparência de um sonho, porque isso não está ainda estabelecido, para vocês, de maneira fixa e definitiva, vocês não podem ignorar estes dois componentes. Vocês não podem ignorar o que se joga, em vocês, de maneira cada vez mais tangível, como o que se joga neste mundo.

A Fusão dos Elementos, que se realiza ao nível do Éter e do ponto ER da vossa cabeça e do vosso Coração, é um momento de grande regozijo. É o momento em que tudo o que vos é conhecido desaparece (quer isso seja o corpo, quer isso seja o sentido de uma identidade, quer isso seja, mesmo, uma Vibração que pode tornar-se extremamente intensa), parecendo levar o corpo para outro lugar. Num dado momento, por trás de tudo isto, há a Paz.

E esta Paz não é, simplesmente, uma oposição à guerra mas, realmente, a Verdadeira Paz, aquela que coincide com a Eternidade e que é a manifestação, aqui, para vocês, da Eternidade. Encontrar a Sede (o centro) da Consciência, d’A Fonte, no coração do Coração, é passar de um estado a outro, sem dificuldade e sem apreensão.

É não mais, verdadeiramente, fazer distinção entre o que é conhecido e o Desconhecido, porque o Desconhecido se revelou a vocês, mais ou menos poderosamente, mais ou menos integralmente mas, no entanto, com evidência suficiente para vos fazer considerar o que se desenrola agora. Da vossa constância na Paz, da vossa constância na Humildade, resultará, diretamente, a facilidade com a qual a Luz estabelecerá o seu Reino Eterno.

Estejam, também, conscientes, e eu o repito hoje, que vocês não têm que convencer quem quer que seja. Só a vossa Presença (não através das palavras mas através da qualidade da Transparência que vos habita) será capaz de iluminar, realmente, não o mental mas o Coração dos seres que se aproximam de vocês. 

O Amor é evidência. O Amor não será nunca uma expressão ou um ponto de vista. Esta evidência, ela se estabelece por si própria. Eu diria que ela não precisa de nada, doravante, do vosso efêmero, contrariamente ao que, durante estes anos, nós insistimos sobre a vossa consciência, sobre as Lâmpadas do corpo, sobre a Cruz da cabeça e tantos elementos que vos permitiram afinar, de qualquer modo, a vossa consciência, na sua capacidade de descobrir o Amor, que ela própria é.

Tudo isto, agora, é ultrapassado porque vocês estão mergulhados, cada vez mais, na Luz. Vocês estão mergulhados, cada vez mais, nesta Paz. Então, é claro, há inúmeros Irmãos e Irmãs que não vivem esta Paz. Que vivem o medo, a cólera, a negação. Que recusam ver a Verdade da consciência. E vocês aí não podem nada. Simplesmente ser cada vez mais Humilde e cada vez mais Transparente, a fim de que o que emana de vocês passe as palavras, passe a atitude, passe o olhar. E que o que emana de vocês seja o único sinal e a única evidência importante, para o conjunto da humanidade.

A partir desta noite, às 19h (hora francesa), nós estabeleceremos a nossa Presença, em vocês, até o momento em que esta Presença se torne, por sua vez, para vocês, comum e habitual. Não para criar um hábito mas para criar, justamente, uma permanência que nunca se apaga. Quando vocês começarem a viver isso, durante estes dias que fluem até o final deste ano Terrestre, vocês sabem que (e vocês saberão) vocês se aproximam desse Clique.

Lembrem-se que os Sons do Céu e da Terra (que foram escutados, em todos os lugares da Terra, de maneira descontínua) serão contínuos pouco tempo antes do meu Apelo. Não há melhor forma de desaparecer do que desaparecer na Luz. Aí está o objetivo deste Clique, deste momento que foi apreendido de tantas formas diferentes, desde os profetas (tanto o Antigo como do Novo Testamento) ou ainda das Escrituras Védicas ou do Alcorão. Tudo isto foi colorido pela história do momento, pelas personalidades do momento.

E, certamente, essas circunstâncias mudaram graças à Luz, graças a vocês. Quando esses sinais se reforçarem, em vocês, quando vocês desaparecerem, cada vez mais, do vosso hábito de vida no seio de uma personalidade, quando não existir mais do que a Luz e que vocês estejam sempre aí, independentemente desse corpo, dessa forma e da vossa pessoa, vocês saberão, então, que vocês estão na Eternidade e que o momento está muito próximo para que a Eternidade se estabeleça sobre a Terra, na sua nova Dimensão de vida.

Quando os Sons do Céu e da Terra forem permanentes (e eu sei que vocês o vivem, a título individual, pelo fortalecimento do que é chamado o canto da alma e do Espírito, em vós), quando isso for audível por todos e em toda a parte, então vocês saberão que alguns dias depois (3 dias depois) eu intervirei. E que 3 dias depois da minha intervenção, se realizará este mecanismo do desaparecimento e do aparecimento, com a maior das facilidades. Porque este processo, mais uma vez, é totalmente natural para a Luz e totalmente oposto à manutenção do que é efêmero.

Hoje, vocês são, portanto, chamados, pela nossa Presença e vossa Presença, a se estabelecerem, de maneira cada vez mais permanente e evidente, no que aparece. E se afastarem, sem o procurar, de tudo o que desaparece. E vocês se aperceberão: nada apareceu e nada desapareceu. Só resta o que vocês sempre Foram. Mesmo se, por enquanto, isso são apenas simples expressões, mesmo se o vosso Coração Vibra com o que eu digo, o importante não é dizer «sim» ou «não», acreditar ou não acreditar nisso, mas antes vivê-lo, vocês mesmos, na vossa intimidade. É isso que está em vias de acontecer, a partir de hoje.

Nós escolhemos, é claro, os momentos que são, para cada um de vocês, os mais fáceis: fora dos Alinhamentos, quando vocês estão sós, nós escolhemos os momentos em que a permeabilidade da vossa forma é a mais segura, tanto para vocês como para nós. Na maioria das vezes, no momento de adormecer ou de despertar, nas vossas meditações ou nas vossas noites. Muitas vezes vocês notarão que os vossos sonhos são interrompidos e vocês constatarão, então, que o que vocês denominavam anteriormente um sonho, não é um. E que este sonho não é mais tangível do que a vossa vida.

Eu não falo, é claro, dos sonhos relacionados com o vosso quotidiano, mas dos sonhos que vos podem fazer viver, tanto a Luz como a Vibração ou até mesmo Encontros místicos. Desta forma, vocês se aperceberam (ou vocês se apercebem, cada vez mais) que a própria definição de realidade não tem mais sentido para vocês e não faz mais sentido.

O que foi chamado o real, a matéria, o concreto, se espiritualiza e, se espiritualizando, desaparece de um plano de manifestação para entrar em outro Plano de manifestação. Tenham presente no espírito que, o que a lagarta chama «a morte» ou «a catástrofe», a borboleta chama-lhe «Nascimento» ou «Libertação». E isto não tem de ser uma crença. Isto não tem de ser uma ideologia mas, antes, a vossa vivência, a vossa intimidade. Vocês têm, doravante, tudo em vocês e convosco, para levar a cabo o que acontece.

Não mais, apenas para vocês (ou para alguns de vocês), mas, antes, para a totalidade da humanidade. Vocês não devem criar, nem ansiedade, nem medo, nem impaciência, nem qualquer projeção. Simplesmente, saibam que não somente tudo está consumado, mas que há, em vocês, agora, todas as estruturas, todas as funções e todas as percepções úteis, para vos levar a este Basculamento.

A Porta Estreita (para um número cada vez maior de Irmãos e Irmãs encarnados) está realizada ou em vias de se realizar. Mesmo que possam existir, ainda, em vocês, resistências, não lhes deem peso. Permaneçam Humildes e Simples. Porque, como poderiam vocês pretender que a Luz É Tudo e não deixar a Luz Ser Tudo? Que querem vocês manter? Cabe a vocês ver. Mas, mais do que nunca, isso resultará da vossa própria capacidade de viver esta intimidade, ou não.

Eu vos convido, de novo, para além de cada noite, a estabelecer um processo de Fusão no coração do Coração, cada sábado, nos dois próximos sábados, há mesma hora. É um momento em que, não apenas nós Comungaremos, mas em que nós nos Fundiremos, nos Fusionaremos, na Liberdade e na Verdade.

Na hora em que, cada vez mais, entre vós, sobre esta Terra, vivem transformações importantes (transformações Interiores, antes de tudo) relativas, tanto a esse corpo de carne, como à vossa consciência, isto é o testemunho indiscutível do que se desenrola, para vocês e em vocês, mas também para a Terra. Eu não falarei mais dos sinais da Terra ligados ao Elementos porque estes vos aparecerão, cada dia, cada vez mais evidentes.

Apenas aqueles (entre vocês, entre o conjunto dos Irmãos e Irmãs da Terra, encarnados) que estiverem em negação, não poderão, nem mesmo aceitar, nem mesmo crer, no que é visto, percebido ou experimentado. Lembrem-se, aí também, que isso não tem nenhuma espécie de importância, porque, até um certo limiar, a imersão na Luz pode ser negada ou contornada, mas que, num dado momento, a intensidade, a difusão da Luz Vibral será tal que vocês não poderão mais escapar dela mas, simplesmente, reencontrar a vossa Eternidade, mesmo se, depois, a vossa escolha for diferente, porque vocês são Livres. E é, precisamente, esta Liberdade reencontrada que vos permitirá Ser Livre, enquanto continuam a experiência de consciência ou o estado Absoluto.

Este tempo é um tempo de Amor Infinito, de Amor poderoso (segundo os vossos critérios), de um Amor Vibrante, Total, que não se preocupa com nenhum compromisso. Porque o Amor nunca será um compromisso, nem mesmo a Luz. Amor e Luz são evidências que vos foram subtraídas.

Eu não voltarei a estes dados históricos mas eu quero, sobretudo, abordar o vosso momento presente. Este momento presente, que acontece durante este mês, e que necessita que estejam ainda mais atentos, não ao que vos sugere a vossa personalidade, mas ao que vos diz a própria Luz, quanto aos vossos hábitos, quanto aos vossos comportamentos, quanto ao conjunto do que constitui a vossa vida. Porque a Luz não faz mais do que, apenas, vos convidar para algumas coisas: Ela vem estabelecer-se, na totalidade. E nada pode ser realizado, em meias medidas, com Ela.
Comecemos, se o desejarem, após esta segunda parte da minha apresentação, a inaugurar esta jornada com um outro momento de intimidade, de Coração a Coração. Façamos isso.


... Compartilhamento do Dom da Graça ...

Mais uma vez, eu rendo graças pela vossa Presença e pela vossa Luz. Se vocês tiverem perguntas específicas relativas, exclusivamente, à minha intervenção deste dia, então, eu vos escuto antes de me retirar.



Pergunta: É possível que o Canal Mariano se ative alguns dias e, depois, se desligue?
Bem Amado, como isso foi expressado, em três ocasiões: o desaparecimento dos processos Vibratórios pode fazer-se por intermitência e, mesmo, de forma definitiva. O apogeu da Vibração, o que vos foi descrito por dois Anciãos como a Vibração celular ou a Luz celular (ndr: ver a intervenção de UM AMIGO de 2 de novembro 2012 e de SRI AUROBINDO de 1 de dezembro 2012), num dado momento (pelo próprio fato da sobreposição [superposição], da justaposição, das diferentes consciências) há uma aclimatação que acontece.

Nesse momento, a Vibração deixa de ser observada nesse corpo. Vocês tornaram-se a Luz, na totalidade. E na instalação disso há, efetivamente, momentos em que a percepção (quer seja do Canal Mariano, do Fogo do Coração, ou, ainda, de um dos Triângulos Elementares da cabeça, ou, ainda, da Onda da Vida, se vocês a viverem) pode desaparecer na totalidade, mas, também, reaparecer ainda (enquanto o Clique, o Basculamento, não teve lugar), nesse corpo e ser percebido de novo.

Não é preciso assustarem-se (nem se inquietarem) com o desaparecimento de uma Vibração. Mas digam a si mesmos que se apareceu, e se desapareceu, isso não desapareceu do que vocês São. Simplesmente, quer isso seja na Infinita Presença ou ainda, quando vocês saem da própria consciência, não há mais razão para o que quer que seja percebido, senão a Beatitude da Luz. Ainda vos é difícil, certamente, conceber isso.

Então, é claro, aqueles que não vivem estes aspectos da consciência farão um jogo bonito de palavras dizendo que a Vibração não é nada e não serve para nada, que a consciência é o que ela é, independentemente de toda a circunstância. A passagem pela Vibração foi a maneira mais direta de vos fazer aceder ao que vocês são. Então se, em ti, a Vibração, qualquer que ela seja, a percepção, desaparece, não só não te alarmes mas aceita, também, isso. Porque é aí que se encontra a Paz.

Em Shantinilaya não há mais Vibração, mesmo que a condição prévia possa ser, por exemplo, a Onda da Vida ou a percepção do Manto Azul da Graça. Mas a condição prévia não é o que está estabelecido, definitivamente. Isso pode ser uma circunstância prévia. Isso pode ser uma etapa.

Mas, como nós o dissemos, a partir do momento em que o interveniente que vos falou muito durante este ano (ndr: BIDI) veio: as etapas preliminares eram, talvez, etapas indispensáveis para muitos de vocês, a fim de vos dirigir para a Consciência Pura, aquela que, devido a esta conexão com o Absoluto, vocês São, não tem mais necessidade de se manifestar por esta espécie de interface, ligado à sobreposição (ou à justaposição ou à sobre-impressão) das consciências.

Assim, quando tu És Amor, tu o És. Tu não tens mais necessidade de perceber, mesmo, a Vibração do chacra do Coração. Porque o que percebeu era, certamente, a personalidade que se transformava. Mas, a partir do momento em que a personalidade é dissolvida, a partir do momento em que o que é efêmero começa a desaparecer e em que Tu começas a aparecer (ou, em todo o caso, tu tens o sentimento de aparecer), ora bem, já não é uma razão válida para que uma Vibração esteja presente.

Quando tu te tornas a Luz, tu És a Luz. Não há mais impacto da Luz ao nível da densidade. A espiritualização da matéria (a Ascensão, a Transubstanciação, a Translação ou o Clique) corresponde exatamente a isso. Portanto, não te assustes com o que possa ocorrer, sobretudo nesta fase, última, do Tempo.

Lembra-te que não é o que tu pensas que cria o que tu És. É o que tu És que criou o que tu pensas e que se afastou disso. Assim, portanto, a Vibração estava ligada à consciência mas do vosso ponto de vista: aquele da personalidade. Pouco a pouco, elevando a consciência e as Vibrações, vocês viveram, por experiência, o Si, até mesmo a Infinita Presença.

A Onda da Vida lançou-se, então, transformou o que restava dos apegos, ligados, mesmo, à estrutura e aos hábitos deste mundo. E alguns de vocês descobrem agora (ou já há mais tempo, ou o descobrirão em breve) que, para além da Vibração mesmo da consciência, há, efetivamente, a a-consciência. Ou seja, vocês Estão aí, e somente Vocês, Estão aí. Nada mais pode existir.

Vocês acabaram, nesse momento, de exteriorizar a vossa consciência. Vocês acabaram de discriminar Vibração ou não Vibração: vocês se estabeleceram na Eternidade. E esta Eternidade não tem a vocação, se me posso exprimir assim, de manifestar o que quer que seja.

E é, justamente, na cessação total da manifestação (quer seja do mental como das Vibrações) que se vive Shantinilaya. Então, não há os que estão mais avançados ou mais atrasados. Há, simplesmente, etapas da Luz que se passam numa certa ordem e numa outra ordem, para outros.


Nós não temos mais perguntas, nós lhe agradecemos.

Bem amados filhos, eu vos digo, portanto: até às 14h [hora francesa], daqui a uma semana. Mas eu também vos digo: a cada minuto do vosso tempo Terrestre, em vocês, se vocês o quiserem. Que todas as Bênçãos do Amor, aqui e algures, estejam em vós.

Eu sou MARIA, Rainha dos Céus e da Terra. Até breve.

________________________________________________________________

NDR 1: Alinhamento Coletivo

MARIA propõe, portanto, aquando do Alinhamento das 19h - hora francesa [16 horas – Hora de Brasília; 18 horas – hora de Lisboa], durante o mês de Dezembro, de fazer apelo, simultaneamente, a Ela própria, a GEMMA GALGANI e a MA ANANDA MOYI, para nos ajudar a reequilibrar a Dualidade masculinidade/ feminilidade e nos permitir juntar ao que é denominado, pelo Arcanjo MIGUEL, a Androgenia Primordial.
(Ver a Seção «Protocolos a praticar/ protocolos prioritários»).

NDR 2: Processo de Comunhão e Fusão de Coração a Coração, com MARIA
- Sábado, 8 de dezembro de 2012, das 14 às 15h - hora francesa [das 11h às 12h – Hora de Brasília; das 13h às 14h – Hora de Lisboa].
- Sábado, 15 de dezembro de 2012, das 14 às 15h – hora francesa [das 11h às 12h – Hora de Brasília; das 13h às 14h – Hora de Lisboa].

Nestes dias, estando já programadas canalizações públicas (dia 08, em Lyon e dia 15, em Angers), estas intervenções se farão, portanto, em público, neste âmbito. No entanto, além da presença física, a conexão, em Espírito, a esta hora, qualquer que seja o lugar em que vocês se situem, permite viver os aspectos Vibratórios que forem então propostos.

As horas indicadas correspondem à hora francesa do relógio. O link Décalage Horaire (http://www.lolo.free.fr/Divers/DecalageHoraire.html ) vos permitirá deduzir a vossa hora local.




Mensagem de no site francês:
http://www.autresdimensions.com/article.php?produit=1715
01 de dezembro de 2012 (Publicado em 02 de dezembro de 2012)
Tradução para o português e elaboração das imagens: Cris Marques e António Teixeira

M.M - http://minhamestria.blogspot.com.br/
http://a-casa-real-de-rigel.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails