((((* "O QUE VEM SEMPRE ESTEVE AQUI, A PAZ ESTA DENTRO DE TI E SO VOCE PODE TOCALA, SER A PAZ SHANTINILAYA, NADA EXTERNO LHE MOSTRARA O QUE TU ES. NADA MORRE POR QUE NADA NASCEU, NADA SE DESLOCA PORQUE NADA PODE SE DESLOCAR VOCE SEMPRE ESTEVE NO CENTRO, NUNCA SE MOVEU , O SILÊNCIO DO MENTAL PERMITE QUE VOCÊ OUÇA TODAS AS RESPOSTAS" *)))): "ESSÊNCIAIS" "COLETÃNEAS " "HIERARQUIA" "PROTOCÓLOS" "VÍDEOS" "SUPER UNIVERSOS" "A ORIGEM" "SÉRIES" .

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

O.M. AÏVANHOV - 10-11-2012 - AUTRES DIMENSIONS


E bem, caros amigos, eu estou extremamente contente por vos encontrar. Eu apresento todas as minhas saudações. Então eu vos escuto e, desde já, eu vos agradeço pelas vossas questões.

Questão: Qual é a diferença entre os Cavaleiros e os Elementos?
Então, aí, caro amigo, tu fazes apelo a uma expressão que foi empregue (se as minhas lembranças são boas) por uma das Estrelas, não é, que falou de Cavaleiros, de acordo com a sua cultura, em referência ao que acontece rapidamente (ndr: ver as intervenções de SNOW de 19 julho, 19 de agosto, 1 de setembro, 18 de outubro e 1 de novembro de 2012, na seção «essenciais»).

O cavalo, o cavaleiro, é qualquer coisa que se movimenta de maneira muito mais rápida do que alguém que está a pé. O cavaleiro, também, dá manifestações mais importantes, mais rápidas e mais móveis.

Então, não há diferença: simplesmente, os Elementos (o que chamamos os Elementos quando estamos encarnados) são, certamente, os quatro Elementos que vocês conhecem. Mas como vocês sabem, houve (como chamam vocês isto?) uma amputação, eu diria, da qualidade essencial destes Elementos em relação à Luz. O retorno da Luz, a Libertação da Terra, do Sol, a Fusão dos Éteres, tudo o que se desenrola no sistema solar, permitiu agora, desde há alguns meses, uma movimentação dos Elementos, muito mais intensa.

Estes Elementos, muito mais intensos, foram denominados Cavaleiros, pelas características dos cavaleiros mas, eu penso também, em relação à referência de SRI AUROBINDO, perdão, do «Bem Amado João» quando ele era aquele que recebeu o Apocalipse, claro, onde foi relatada a ação dos Cavaleiros: «o Cavaleiro esverdeado», «o Cavaleiro negro», «o Cavaleiro sombra», etc (ndr: referência feita ao Apocalipse de SÃO JOÃO, encarnação precedente de SRI AUROBINDO).

Cada um destes Cavaleiros trás uma dinâmica Vibratória mas também uma dinâmica que vai pôr fim aos últimos Véus de isolamento da Terra. SNOW disse-vos que cada um dos Elementos, ou cada um dos Cavaleiros (já que são a mesma coisa mas num outro estágio), agia da mesma forma, tanto em vocês (nessa estrutura física mas também no Corpo de Eternidade que vocês São) como sobre a Terra, de forma sincrônica.

O Cavaleiro é, portanto, o Elemento que é restituído à sua Dimensão original e, claro, na sua capacidade de Revelação. Então, quer os chamemos de Elementos (eu os nomeio Hayoth Ha Kodesh) ou Cavaleiros, é, certamente, a mesma dinâmica e o mesmo tipo de ação.

Questão: É normal ter sensações bastante desagradáveis desde o 1º de novembro, na intervenção de URIEL, enquanto na intervenção de MIGUEL, quinze dias antes, a experiência foi muito mais agradável?
(ndr: ver as intervenções de MIGUEL de 17 outubro e de URIEL de 30 outubro 2012, na seção “essenciais”).

O que tu interpretas como «desagradável» diz respeito a ti. Isso depende, certamente, das afinidades, aí também, mais uma vez, com os teus próprios Elementos constitutivos e também as afinidades das tuas quatro Linhagens. Vocês sabem: há quatro Linhagens, quatro Orientes, quatro Elementos (mais o Quinto, claro), quatro Cavaleiros.

Tudo isso é um quadro dinâmico extremamente preciso. Portanto, o que é desagradável, para ti, será talvez muito mais agradável para um outro Irmão ou Irmã. Isso depende simplesmente das afinidades Vibratórias das tuas quatro partes constituintes.

Eu lembro-te que há sempre quatro Linhagens, em cada um de nós, tanto nesta Dimensão, como nas Outras Dimensões, que são as partes relativas que constituem, ao mesmo tempo, o Corpo de Estado de Ser e a própria Consciência. E que é durante a resolução última (final) destes quatro Elementos, pela Fusão no Éter, que se encontra, de qualquer modo, o que as Estrelas (além disso, nós também) chamaram a Infinita Presença, a Última Presença ou o Samadhi mais elevado, Vibratoriamente, que, de qualquer modo, prefigura o que está justamente antes (mesmo se não for antes) do que denominamos Absoluto (que BIDI chamava o Para Brahman, não é?).

Portanto, segundo a característica própria de cada um dos teus Elementos, é claro, isso vai passar-se mais ou menos bem. Eu lembro que MIGUEL é o Fogo e que URIEL está relacionado com o Ar, com o Verbo, com o chacra da garganta, com a Passagem da Última Reversão que está em ressonância com o 11º Corpo que está situado ao nível do lábio superior (ndr: para a localização deste Corpo, ver a seção «protocolos a praticar/Yoga Celeste: Reunificação dos 5 novos Corpos»).

Portanto, pode ser que em ti o Elemento Ar não seja vivido como qualquer coisa de muito agradável. Portanto, isso remete, certamente, a todas as correspondências e a todas as ressonâncias que estão ligadas ao Elemento Ar.

Questão: Sentir as Vibrações sob os pés está ligado com o Núcleo da Terra?
Na totalidade, porque a Onda da Vida (que nasceu no mês de fevereiro) está ligada à Libertação do Núcleo Cristalino da Terra. Para aqueles que vivem estas Vibrações sob os pés, isso foi de início uma zona precisa, no início de fevereiro, que era na parte anterior do pé. Pouco a pouco, esta alimentação Vibratória fez com que alguns de vocês tenham vivido a subida da Onda da Vida, de maneira incompleta ou de maneira total, pouco importa (não é aí que quero chegar).

Simplesmente, para aqueles que sentem estas Vibrações sob os pés, vocês notaram que isso se passa numa zona cada vez maior, cada vez mais ampla e que ultrapassa largamente a zona do pé. Então, eu sei que o Arcanjo ANAEL vos disse que, quando vocês cruzam os tornozelos, vocês amplificam a Onda da Vida (ndr: sua intervenção de 8 junho 2012, na seção «essenciais»), ou seja, que vocês fundem as duas polaridades da Onda da Vida, porque há uma polaridade do lado esquerdo e uma polaridade do lado direito.

Quando essas duas energias se fundem, e, claro, a Onda da Vida subiu (quer dizer que ela atravessou a barreira dos dois primeiros chacras), vocês irão sentir coisas novas sob os pés. Isso podem ser queimaduras, isso pode ser sentir um chacra bem maior do que o pé, com uma nova zona, se vocês quiserem, que está justamente à frente do calcanhar e que corresponde, efetivamente, a um segundo ponto de ancoramento da Onda da Vida e de ancoramento às raízes Intraterrestres, que se faz pelo ponto anterior e o ponto posterior.

Isso dá, efetivamente, Vibrações que são, agora, mais, se vocês quiserem, aspectos Vibrais puros e não mais uma energia que circula e que sobe. É de fato normal, para aqueles que o vivem, certamente.

Portanto, isso dá sensações que não desencadeiam sistematicamente esta vaga de Amor e de Êxtase que tinha anteriormente mas tem, efetivamente, uma outra qualidade Vibratória que passa por esse local, que está ligada à Fusão, se vocês quiserem, do Supramental, da Onda da Vida e também, eu diria, a uma outra oitava de Vibração da Terra, que se traduz, certamente, pelo número cada vez maior de sismos, de vulcões, de ventos, de furacões, todas as manifestações dos Cavaleiros sobre a Terra, que estão em fase de aumento extremo.

Mas se vocês quiserem, lembrem-se, é como o princípio do sapo que é aquecido na água, num fogo que sobe grau a grau, muito, muito lentamente. Se vocês estão imergidos no processo Vibratório desde o início, vocês vivem, efetivamente, qualquer coisa que se acelera, assim como a Terra também, mas vocês nem sempre têm a Consciência porque vocês estão habituados ao processo Vibratório.

E apesar disso, certamente há, cada vez em maior número, entre vós, quem sinta, por exemplo, os tremores do peito, os tremores do corpo, as Vibrações sobre os Novos Corpos. Há, portanto, um aumento, sem precedentes, que está ligado às condições cósmicas das quais tanto SERETI, como ORIONIS, como MIGUEL vos falaram e que correspondem a esta última viragem que foi tomada, agora, desde há algumas semanas, e que vos leva até a linha de chegada (ndr: ver as intervenções de SERETI de 30 setembro, de ORIONIS de 30 outubro e de MIGUEL de 17 outubro e de 2 novembro 2012, na seção «essenciais»). 

Questão: Quando já fomos chamados por MARIA, seremos chamados de novo?
Uma vez que foram chamados uma vez, não há necessidade de vos chamar uma segunda vez. Quando vocês (num sonho, numa noite, em meditação) ouviram o vosso nome, isso quer dizer o quê? Isso quer dizer que o Canal Mariano (que está, eu vos lembro, independentemente do Anúncio de MARIA, ligado ao Canal Mariano da Terra) está em ressonância direta com a Merkabah, ou seja, com o vosso veículo ascensional.

Se vocês quiserem, o Apelo de MARIA, ao nível da vossa Consciência, se vocês o ouviram (quer isso tenha sido há seis meses e, para alguns, ainda há mais tempo, tanto melhor para vocês), isso quer dizer simplesmente que as vossas estruturas ascensionais (Corpo de Estado de Ser, Consciência, Linhagens, instalação no seio dos quatro Elementos) estão totalmente prontas a viver o que é para viver: vocês ligaram o motor mas vocês esperam que o sinal celeste, cósmico (já que isso, agora, não depende mais da Terra) se produza para Libertar o que é para Libertar. Isso quer dizer simplesmente que há circunstâncias, para alguns de vocês, em que vão ouvir muitas vezes este Apelo. Mas uma vez é suficiente, certamente.

Questão: Quando vários Elementos agem ao mesmo tempo, como encontrar o alimento favorável, segundo o que nos disse HILDEGARDE DE BINGEN em 3 de outubro de 2012?
Então, isso não é do meu âmbito mas é uma questão de lógica simples. O que está ligado ao AR, eu creio que SNOW vos disse, e HILDEGARDE também, são os Elementos que crescem no ar, ou seja, não são as raízes, é o que se encontra longe do solo, que é agitado pelo vento. São, por exemplo, os frutos que crescem nas árvores. Não há legumes nas árvores, a priori.

Vocês têm raízes sob a Terra: aí, é o Elemento Terra. O Elemento Fogo pode ser associado aos sabores, por exemplo, quentes, picantes; a cor vermelha, a cor do Fogo, etc, etc. Mas é preciso ponderar isso porque se vocês tiverem, em vocês, a ação simultânea de vários Elementos, vocês irão constatar qualquer coisa de particular: vocês irão ter cada vez mais problemas se vocês absorverem alimentos. Porque o alimento, se vocês quiserem, provoca um desvio de energia.

Então, está muito bem, é preciso energia para digerir mas eu vos lembro que a vossa energia (que vocês chamam a energia vital, o prana) que circula nos meridianos, nas vossas estruturas sutis, foi aumentado, amplificado, na restituição ao Éter original. Isso quer dizer o quê? Que as energias que vos percorrem, na hora atual, não são mais unicamente energias ditas ligadas ao prana (a energia vital) mas são a Luz Vibral.

Ora, a Luz Vibral adapta-se muito, muito mal com o que vocês colocam na barriga, ou seja, quanto mais os Elementos ou os Cavaleiros estiverem ativos, em vocês, menos vocês têm necessidade de absorver comida. E vocês irão constatar que se vocês absorverem comida, nesse caso aí (pelo hábito, pelo gulodice, pelo apetite), vocês irão sentir que se faz um esforço Vibratório, com um calor intenso nos chacras do baço e do fígado (ou seja, o eixo ATRAÇÃO/VISÃO) que vai, de qualquer modo, atrair a Luz para essa digestão. E vocês irão ter, nesse momento, digestões que vão ser cada vez mais penosas, cada vez mais difíceis, não porque vocês se tornaram intolerantes, alérgicos ou outras coisas, aos alimentos. Mas, simplesmente, lembrem-se: A Luz Vibral alimenta-vos; e isto é uma Verdade. 

Vocês têm testemunhos que são abundantes, hoje, sobre seres que não comem mais e que vivem muito, muito bem, além disso, sem perder peso. Portanto, cabe a vocês ajustarem-se, mais do que procurar, qual o alimento que é preciso privilegiar em relação ao Cavaleiro que está ativo. Mas antes, mais, modificar esses hábitos alimentares para viver.

Muitos de vocês notaram isso e, certamente, vocês continuam a comer porque vocês percebem que não é normal. Portanto, os hábitos de reflexão são de se dizer: «se eu não digiro, se eu tenho retornos, se eu estou cheio depois de comer, é porque há uma anomalia nos órgãos da digestão, no estômago ou noutro qualquer». Não é verdade: isso está diretamente ligado ao fato de vocês terem a Onda da Vida ou não. Eu vos lembro que o Éter da Terra, aí onde vocês apanham os vossos alimentos Etéricos (que estava ligado, ele também, à alteração da Terra, na sua Luz, na sua capacidade de Vibração), se encontra hoje Libertado, desde há um certo número de meses, com efeitos cumulativos.

Relativamente a isso, isso quer dizer simplesmente que as necessidades, reais, concretas, de alimento não existem mais. Vocês irão mesmo constatar que os alimentos que anteriormente vos faziam bem, não o fazem mais. Então, se vocês são ainda «uma bicicleta em atividade», vocês irão colocar-se a questão das alergias, das anomalias, das patologias e tudo isso. Claro que isso existe.

Mas se vocês estão ligados ao Supramental, se vocês têm uma das Coroas ativas, vocês irão sentir que a digestão coloca em pressão os chacras do baço e do fígado e desvia a Luz do seu objetivo, que é o de fazer mutar completamente, eu vos lembro, o Corpo Etérico, o Duplo, o novo Duplo que vocês São, na sua estrutura de Eternidade. Portanto, cabe a vocês ajustar: vocês irão aperceber-se, eu diria, com o passar dos dias, de maneira cada vez mais flagrante. 

Questão: Qual é, hoje, o papel do planeta Hercólubus?
Mudança do magnetismo Terrestre, inversão dos pólos e despertar da Consciência, justamente antes da chegada da Onda Galáctica.

Eu vos lembro que as deslocações de Hercólubus (ou Hercobulus) se fazem em função da sua progressão, em função do grau do Despertar da Terra, em função do seu ajustamento em relação à Consciência Crística coletiva, ou solar coletiva.

E foi a interação, se vocês quiserem, dos diferentes tipos de radiação que permitiu ajustar tudo isso. Eu vos lembro que, durante o verão de 2008 e 2009, Hercóbulus foi citado por ORIONIS e nós vos dissemos que ele seria visível no Céu (ndr: sua intervenção de 8 agosto 2008, na seção «essenciais»). Mas eu já tinha dito, na época, que quanto mais esse tempo fosse deslocado no tempo, melhor seria.

O fato de ver Hercóbulus, são sinais que foram também dados pelos povos ditos primitivos (como os Índios da América ou ainda nas profecias de certos profetas) como este segundo Sol, como esta segunda Estrela. Como dizia Bença Deunov (quando ele era, como ele vos disse e revelou, Nostradamus, Michel de NotreDame); «durante sete dias a Estrela queimará no Céu».

Mas estes sete dias poderiam surgir a qualquer momento, desde 1984 até agora. E eu sempre disse que, quanto mais tarde isso fosse, melhor seria, porque a latência com a visibilidade ordinária com o olho, sem os instrumentos tecnológicos, permitiria, se vocês quiserem, um último ajustamento antes de um certo número de acontecimentos cósmicos que são, eles, totalmente independentes mas sincronizados com Hercólubus, doravante.

É sempre possível, com as matemáticas, com os utensílios de ótica, com as tecnologias que vocês têm, observar isso já, certamente. Mas nós falamos, não da observação da crença com a tecnologia, ou através de cálculos matemáticos, mas diretamente com o olho, ou seja, a visão da retina. É essa que desencadeia o sinal.

Simplesmente, como vocês o sabem, há prazos astronômicos extremamente precisos que se inscrevem no curso deste tempo que vocês vivem agora. Portanto, Hercólubus é a impulsão final, eu diria – aquando da sua visibilidade, não para o planeta grelha (ou grelha planetária) mas para o ajustamento magnético final – que doravante, portanto, precederá o que eu chamei na época, o planeta grelha, ou seja, o retorno total da Luz. 


Questão: Sentir a ponta do nariz e a ponta dos pés mexer simultaneamente, revela a ação dos Cavaleiros do Fogo e da Terra, ao mesmo tempo?
Sim. Eu creio que foi UM AMIGO que vos falou (ndr: sua intervenção de 2 novembro 2012, na seção «essenciais») se vocês quiserem, de um processo da consciência, em que era preciso levar a consciência sobre os pontos, os quatro Pontos Cardeais da Cruz fixa da Cabeça, ao mesmo tempo sob os pés (ndr: ver a seção «protocolos/Expansão da consciência até à Infinita Presença»).

Há, é claro, uma junção que foi realizada entre as vossas cabeças e os vossos pés. Ou, se vocês preferirem, entre a Luz Vibral e a matéria. E a ação conjunta do Fogo e da Terra, efetivamente, desencadeia este gênero de Vibrações. Quando as Vibrações retomam, ao mesmo tempo, o 12º Corpo ou os Pontos Cardeais da Cabeça, mais os pés e as Vibrações do peito, vosso veículo ascensional está, evidentemente, perfeitamente em ordem de marcha. Mas ele espera, eu diria, o último sinal para se escapar. Não escapar-se: Libertar-se.

Eu emprego indiferentemente a palavra Fogo, Terra, Elemento, Cavaleiro ou Hayoth Ha Kodesh: é a mesma coisa, os mesmos alvos e os mesmos pontos de ação. Alguns de vocês já ultrapassaram isso e sentem, sobretudo, o Quinto Elemento, ou seja, o ponto ER da Cabeça com a Vibração do peito ou a agitação (estremecimento) do peito.

Questão: A que corresponde uma espécie de cometa verde que desce no céu?
Em primeiro lugar não são planetas, porque são asteroides. Os asteroides, como vos disse MIGUEL, há cada vez mais. Então, vocês irão tê-los de diferentes cores.

Eu creio que a cor visível, para vocês, de um cometa está ligada à proporção de gás e de gelo presentes no corpo meteorítico (saber se há metal ou não, também). A zona de fricção, com o que resta da atmosfera e da magnetosfera, vai colorir, também. Isso pode ser um «belo azul», um «belo verde», um «belo laranja», um «belo branco».

Isso não tem outra tradução senão a composição química, eu diria, e por vezes, também (dizem-me), segundo o ângulo de penetração de um meteorito, a cor é diferente. Mas os corpos meteoríticos vos confirmam, evidentemente, que tudo isso são manifestações que são cada vez mais importantes e cada vez mais intensas.

É a ação de MIGUEL sobre a ionosfera e, agora, diretamente sobre a atmosfera e o núcleo, não cristalino, da Terra mas a camada de magma que gira em torno da Terra que é, eu vos lembro, responsável pelo magnetismo. E eu bem falei das forças gravitacionais e do magnetismo que mudavam, a toda a velocidade, sobre a Terra, doravante. O que explica que alguns de vocês tenham Vibrações extremamente intensas e, por vezes, a impressão de ter bebido muito champanhe, mas sem nada ter bebido.

É de fato lógico. Há verdadeiramente uma modificação enorme do campo magnético Terrestre que está em curso, doravante, e que corresponde a tudo o que eu já disse, desde há uns anos, relativamente aos vulcões do Cinturão de Fogo do Pacífico, a expansão física da Terra e a Ascensão Espiritual da Terra. Quando o eixo magnético da Terra muda, o vosso eixo magnético muda também.

Lembrem-se que a falsificação da Luz (que estava ligada às camadas isolantes da Terra) estava ligada também a uma recepção da Luz que não estava, como dizer, alinhada. E há, portanto, um realinhamento, com o eixo Vibral autêntico, que corresponde à inclinação da Terra. Tudo isto está em curso e, certamente, isso se traduzirá, também, em vocês.

Então, há por vezes uma latência entre a Consciência que se situa, eu diria, ao nível do corpo físico (vamos usar «a velha consciência» se vocês preferirem) e a Nova Consciência Multidimensional que, às vezes, dá uma oscilação com as dificuldades de ajustamento que podem provocar vertigens.

Certamente, isso pode também desencadear outros problemas, problemas reais que se baseiam, ou não, nas vossas resistências. E o que vai acontecer, nesse momento, não traduz senão a possibilidade (através de qualquer coisa que vocês vivam, tanto na consciência ordinária, como dolorosa) de vos reajustar, o mais próximo, com o que vocês São.

O que quer que seja preciso para isso, lembrem-se que tudo o que acontece, nesse momento (talvez ainda mais do que antes) está diretamente ligado a esta nova procura de equilíbrio, que está ligada ao vosso Veículo Ascensional. E que este Veículo Ascensional não tem nada a ver com esse corpo físico.

Então, portanto, pode haver, efetivamente, o aparecimento (é, em geral, durante este período) de problemas (dificuldades) que vos caem em cima de um dia para o outro: na véspera vocês estavam em tal circunstância de vida, no dia seguinte haverá outras circunstâncias de vida (quer isso se refira ao vosso corpo físico, ao vosso ambiente, ao vosso pólo afetivo, ao vosso pólo social, pouco importa).

Mas tudo o que acontece, nesse momento, é um ajustamento e vos convida a se ajustarem, a se reorientarem sobre o eixo da Luz. Não vejam aí nem carma, nem punição, mas, eu vos lembro que a modificação brutal do vosso equilíbrio Interior não é senão a expressão de um ajustamento da Vossa Consciência, com o eixo real da Luz, para vos fazer encontrar o Centro: o que foi denominado, eu creio, o coração do Coração ou o centro do Centro, ou seja, o Ponto ER que é o Coração do Coração, ou seja, o Ponto de Radiação da Luz que se encontra também, em imagem, no centro dos Cavaleiros ou dos quatro Elementos ou das quatro Estrelas fixas da Cabeça (ndr: ver esquemas abaixo).

Este reajustamento, por vezes, pode tomar um ritmo, a priori, catastrófico para o olhar da personalidade. Mas é o único meio que a Luz encontrou para vos reajustar. Do ponto de vista da consciência limitada, da personalidade, nós temos sempre a impressão de que esse corpo deve ir, deve manifestar a harmonia e a boa saúde (em relação ao nosso ponto de vista da personalidade, quando nós estamos encarnados).

É completamente diferente quando nós temos o ponto de vista do Estado de Ser. E, ainda pior, ou ainda melhor (isso depende do vosso olhar), com aquele que é Absoluto. Porque aquele que é Absoluto, quer esse corpo esteja aí, quer esse corpo sofra, quer esse corpo esteja feliz ou quer ele seja reduzido a uma pasta, não muda nada ao que ele É. Porque há uma distanciação total: a consciência não está mais confinada e limitada a esse corpo. Ela é Multidimensional, realmente.

E esta Multidimensionalidade, neste período (mas isso já começou, desde o início deste ano, mas torna-se cada vez mais evidente para aqueles a quem isso chega), é a martelada (golpe de martelo) atrás da cabeça, para vos dizer, aí, agora: «basta de jogar com a personalidade, o que tu És não é nada disso».

Então, certamente, aquele que está na personalidade vai dizer: «sim, mas a Luz, ela dói». Aquele que está na Luz aceita isso, sem nenhuma noção de dor ou de perda do que quer que seja. A forma como vocês reagirem, ou não, a um acontecimento que ocorra, hoje, vos mostra a vossa capacidade de ser flexível, ou seja, de aceitar a mudança, ou não. Quer dizer que se os reflexos de sobrevivência (que estão inscritos nos dois primeiros chacras, ou seja, o apego à personalidade) são extremamente fortes, vocês irão lutar.

Vocês irão dizer: «mas é preciso que eu viva, é preciso que eu continue, é preciso que eu lute, é preciso que eu me oponha ao que chega». Enquanto que, aquele que já está na sua Eternidade, deixa acontecer o que acontece, sem ser de forma nenhuma afetado pelo que acontece.

E a forma como vocês reagirem, através do que chega ao vosso próprio corpo, é, efetivamente, muito significativa da vossa capacidade de estarem apegados, ou não, a esse corpo. Se vocês estiverem apegados, vocês sofrerão. Se vocês não estiverem apegados, isso não tem nenhuma espécie de importância. Mais uma vez, não é uma negação do que quer que seja, é simplesmente o posicionamento que vocês têm, no seio da vossa Consciência.

Tudo isso faz parte do trabalho de Libertação da Terra, da Onda da Vida, mas também do Supramental. São os apegos da personalidade a ela própria (ndr: ver a seção «protocolos a praticar/Apego arquetípico da personalidade a si mesma»). E se vocês estiverem apegados à vossa personalidade, o que é que vocês irão constatar? É que a abertura (iniciação) do Coração Ascensional (quer ela seja espontânea ou através dos protocolos de cristais, ou de gestos, como vocês quiserem, pouco importa), se a ativação em Vibração da caixa torácica se faz, isso quer dizer que a personalidade não resiste (ndr: ver a seção «protocolos a praticar/Implantação do Coração Ascensional»).

Pelo contrário, se a personalidade resiste, estando apegada a si mesma, à sua própria sobrevivência (que não existe, é claro, porque a personalidade desaparece, como vocês o sabem, quase totalmente, no momento em que o corpo não existe mais), portanto, se vocês estiverem apegados à vossa pequena pessoa, vocês irão sofrer, certamente, de diferentes formas.

Mas se vocês não estiverem mais apegados à vossa pequena pessoa, isso quer simplesmente dizer que a Vossa Consciência já passou para a sua Eternidade. Então, nesse momento, o que quer que acontecer a esse corpo, vocês não serão afetados, assim como com o que acontecer a este mundo.

E eu creio que SNOW falou, também, sobre a ação dos Cavaleiros e dos Elementos, em vocês, no momento em que eles se apresentarem a vós: vocês resistem ou não, vocês opõem-se ou não. Mas, por vezes, a oposição, lembrem-se, pode tomar aspectos extremamente viciosos, ou seja, vocês dizem: «ah sim, mas sim, eu, eu sou Luz, este corpo, ele deve ser Luz. Por que é que ele sofre?». E a personalidade vai procurar uma causalidade. Mas a causalidade do que vos vai acontecer, durante este período, está sempre ligada ao que existe no seio da consciência, nos dois primeiros chacras, ou seja, a maneira pela qual vocês são tributários do que vocês creem ser, através desse corpo.

É muito simples: a Luz ilumina e ela ilumina violentamente, agora, cada vez mais violentamente.
E se vocês não forem Transparentes, no plano espiritual, com vocês mesmos, se vocês não se deixarem atravessar pela Luz, que fará a Luz? Ela vai encontrar uma zona de resistência e essa zona de resistência vai induzir, por vezes, inconvenientes (desagrados).

E estes inconvenientes podem ser terríveis; mas os inconvenientes só se referirão ao corpo e à personalidade, certamente não ao que vocês São. Portanto, se vocês sofrerem, é porque vocês estão apegados a esse corpo e a essa pessoa. Aquele que não está apegado nem a esse corpo nem a essa pessoa, cuja Onda da Vida subiu até ao topo, não tem nenhuma razão para sofrer, mesmo pelo desaparecimento desse corpo.

Mesmo a dor é profundamente diferente, segundo o lugar em que vocês se colocarem, e isso vos aparece cada vez mais claramente. Não é, mais uma vez, uma punição do que quer que seja: é, simplesmente, a ação da Luz que vai mostrar as últimas trincheiras da personalidade a estarem apegadas aos hábitos, ao seu corpo, aos seus hábitos alimentares, aos seus modos de funcionamento. Tudo isso representa, relativamente à Liberdade que está aí, obstáculos maiores.

Questão: Poderia desenvolver sobre o tema de Linhagem ou de Linhagem Estelar?
Oh, isso foi objeto de muitíssimas comunicações (ndr: ver as intervenções de RAM de 23 outubro 2008, de ANAEL de 16 agosto 2009, de 01 outubro 2009, de 17 março 2010 e de 15 maio 2010, de UM AMIGO de 18 setembro 2010, de O.M.AIVANHOV de 02 setembro 2012).

E nós vos dissemos o que era necessário conhecer, ainda mais porque hoje isso serve ainda menos do que antes de conhecer as Linhagens, sobre o plano intelectual ou mental. É uma revelação que se faz de maneira Interior. Isso foi dito, penso eu, tanto por Anciãos como por Estrelas: as vossas Linhagens revelam-se a vocês e se despertam, efetivamente, sob a forma, quer de sonhos, quer de visões de certos tipos de animais que são as vossas Linhagens Estelares.

As vossas Linhagens Estelares são em número de quatro. A Origem Estelar só há uma. Mas as quatro Linhagens estão ligadas, é claro, à proporção relativa dos quatro Elementos que vos constituem, tanto na vossa Eternidade, como também no vosso corpo. Portanto, eis o que eu posso dizer. Mas, agora, vocês enumerarem as Linhagens só alimentará o mental.

Lembrem-se (e isso, isso sempre foi dito, mesmo depois do momento em que o Arcanjo ANAEL, sobretudo em 2008 e 2009, vos falou destas Linhagens): elas revelam-se a vocês de maneira natural. Se vocês as procurarem, vocês não as encontrarão: elas revelam-se. O importante não é conhecê-las.

O importante é viver o impacto Vibratório, por exemplo da Linhagem de Sírius, ou ainda de Arcturius, ou ainda das Plêiades. Porque, quando uma Linhagem se revela a vocês, a ação do Elemento correspondente está, ao máximo, em vocês. Portanto, a única coisa a identificar é, simplesmente, ver, nos vossos sonhos, nos vossos Alinhamentos, mas é muito claro: se vocês se puserem a ver uma águia, a cara da águia, o olho da águia, o voo da águia, qualquer que seja a componente, vocês têm uma Linhagem que está ligada, é claro, ao Ar. E que vem de onde? De Altair.

Se vocês virem o golfinho, há aí uma Linhagem de Água. Que vem de onde? De Sírius. Mas o importante não é ter este conhecimento intelectual, mas sim viver, em vocês, o efeito deste animal (que não é um animal, vocês o sabem).

Afastem-se, ao máximo, durante este período, de tudo o que vos quer sugerir o intelecto. Àquele que viveu o que quer que seja dos momentos de Graça – ao nível do Coração, com a Onda da Vida, com os Êxtases, ou com a Vibração que se propaga, agora, sobre os Novos Corpos ou sobre o conjunto do peito ou do corpo – é extremamente simples identificar os momentos em que é o mental que vos vai estimular e fazer cócegas e os momentos em que é a experiência que vos alimenta e não mais o mental.

A diferença é crucial para ver, mas vocês deveriam vê-la cada vez mais facilmente. Basta simplesmente compreender que, quando vocês têm necessidade, não de uma explicação mas de conectar um acontecimento, ou de colocar uma questão sobre um acontecimento, aí, é o mental que intervém.

Pelo contrário, se vocês fundirem no acontecimento e na experiência do que é vivido, vocês verão que não será preciso nenhuma explicação ou compreensão. Nesse momento, vocês vivem, realmente, a experiência Vibratória, em si mesma, a explicação. Vocês não precisam de fazer apelo ao mental. Depois, pode-se sempre, como agora, evocar processos que vocês tenham vivido há uma semana, há quinze dias, que vocês vivem neste momento, e encontrar uma explicação.

Mas lembrem-se que nunca é a explicação que é importante. Saber, por exemplo, que sonhar com um golfinho, ou ver um golfinho, está ligado a Sírius e ao Elemento Água, é muito bom. Mas se vocês não o viverem, isso não serve estritamente para nada. Se vocês o viverem, mesmo sem entender porquê, aí, isso serve para alguma coisa.

E eu vos lembro que são precisamente as palavras que foram usadas pelos Arcanjos, há pouco tempo (ndr: ver as intervenções de MIGUEL e de SRI AUROBINDO de 02 novembro 2012): esta espécie de superposição, como eles disseram, de justaposição das duas Consciências, é precisamente o que vos permite tomar consciência, nesse sentido, dos momentos em que vocês estão na Eternidade e dos momentos em que vocês estão no efêmero.

O efêmero sempre se colocará questões. Então, certamente, eu faço aqui apelo ao vosso mental mas, justamente, se vocês tivessem lido a resposta, vocês não teriam uma questão para se colocarem. É justamente por isso que eu vos digo tudo isto.

Questão: Com todas as transformações que o planeta vive neste momento, é sábio ou prudente evitar as viagens aéreas?
Ora, aí, cara amiga, o que quer que faças, isso não evitará nunca o fim. É completamente estúpido privar-se de viagens ou do que quer que seja. É claro, a menos que seja prejudicial para a Consciência e para o corpo, mas disso, eu já falei acerca dos alimentos.

Mas querer enterrar-se num lugar, porque acontecem eventos, não serve estritamente para nada. O Elemento irá encontrar-te e o teu destino te encontrará, quer estejas num avião ou num buraco na Terra, para te proteger de não sei o quê. É sempre a personalidade que pensa preservar o corpo.

Tentem, ainda assim, ter presente no espírito que a personalidade, a consciência limitada, tem a particularidade de se crer eterna, imortal e infalível. Evidentemente, ela está exatamente no inverso. Quer dizer que ela é falível, que ela é mortal, que ela nunca será eterna. Porque, se uma personalidade fosse eterna, mesmo através do princípio da personalidade que é a reencarnação, não haveria nenhum obstáculo para vocês se lembrarem de todas as personalidades.

Se isso não existe, independentemente da falsificação, é porque a Eternidade não tem nada a ver com uma sucessão de efêmeros. Enquanto vocês forem tributários (dependentes) disso, vocês estão presos às vossas próprias ilusões: ilusões de Eternidade, no seio do efêmero, que não existe.

Eu vos remeto, por isso, para os inumeráveis ensinamentos (porque o são, mesmo que tenham sido apresentados de forma diferente) de BIDI, que vos tem abordado, durante meses, um certo número de elementos. Agora, cabe a vocês verem se vocês permanecem tributários (dependentes) da vossa pequena vida, da vossa pequena pessoa, fazendo delas um propósito eterno.

Então, é claro, aquele que não passou para a sua Eternidade, que só viveu nesse corpo, os processos Vibratórios, que se parou no Si, que se parou no processo Vibral da Consciência, de alguma forma, assumiu os seus aspectos Vibrais, das suas experiências vividas no seio da Consciência. Mas lembrem-se do que disse BIDI: mesmo isso é para deixar ir. E eu, antes dele, tinha uma expressão de que eu gostava muito.

Vocês sabem, vocês veem os amendoins num frasco, vocês pegam os amendoins, mas, para tirar a mão fora, é preciso largar os amendoins. Se vocês não largarem o que vocês têm, você se perdem a vocês mesmos e isso, vocês não vão tardar a perceber de forma total. Não como uma crença ou interrogação mas como a Verdade do que é para viver.

Eu vos lembro que CRISTO disse: «Aqueles que quiserem salvar a sua vida, perdê-la-ão». É sempre a personalidade que é responsável por uma viagem ou uma busca espiritual, sempre. Porque, no momento em que vocês aceitarem, em que vocês viverem, a vossa própria Transcendência, então a busca espiritual torna-se caduca. Não há nada a procurar: está tudo aí, como diria BIDI. Mas, enquanto vocês não o tiverem vivido, isso vos parece um total absurdo.

Vocês não podem viver sem pesquisar e sem procurar. Aquele que vive o que ele É, não é, porque ele procurou, que ele encontrou. Ele encontrou, justamente, porque ele parou de procurar. É preciso não confundir o Fazer e Ser, porque o Fazer está sempre dependente de um ter, de um resultado. O Ser não tem nada a ver com uma qualquer ação: ele é, de toda a Eternidade, para além do Si. 

Então, é claro, a personalidade vai vos dizer que é preciso progredir, que é preciso procurar as suas Linhagens. Não, nós sempre vos dissemos que são as coisas que vêm até vocês, a partir do instante em que pararem de querer fazer, de querer saber. E, nestes tempos de mudança, é muito duro, para aqueles que ainda estão com toques de personalidade, ter que lidar com estas mudanças brutais.

Porque a personalidade, como vos disse o IRMÃO K, não há muito tempo (ndr: sua intervenção de 16 outubro 2012, na seção «essenciais») está marcada pelo sentido do hábito. O hábito, nos seres humanos, permite-lhes tranquilizarem-se: comer a tal hora, fazer tal trabalho, fazê-lo o melhor possível, ou apressá-lo, se não se gosta dele (é exatamente o mesmo).

Mas é sempre a personalidade que se aplica para fazer bem isto ou aquilo. O efêmero e, como já foi dito, a consciência da personalidade, vai sempre procurar um meio de se tranquilizar e a melhor maneira de se proteger, é o hábito. Ora, o hábito impede a Liberdade e impede a Autonomia.

E são armadilhas que não se veem muitas vezes, porque há pouca oportunidade de ver a si mesmo, neste nível. Mas isso vai tornar-se cada vez mais claro. Esta Clareza, independentemente da Visão Etérica, é francamente uma visão da retina que vos dá a ver, quer os flashes de Luz no Céu, quer vocês saiam à noite - vocês irão constatar, à vossa volta, uma espécie de forma branca, de nuvem branca. Isso é a Luz e vocês vão se fundir aí dentro.

Questão: Sentir as ligações ao nível dos tornozelos, está ligado à evolução da Luz?
Ora, é diferente para cada um. A Libertação da Onda da Vida, a Libertação da Terra, a Onda do Éter que subiu ao longo das pernas, permitiu, a muitos de vocês, suprimir essas famosas pulseiras dos tornozelos e dos pulsos. O que é que vocês notam? Alguns de vocês sentem, de novo, essas pulseiras.

Não é um bloqueio, é simplesmente porque vos devolvem (porque vocês devolvem a si mesmos, pela interação da Luz) essas pulseiras. Porque se não houvessem essas pulseiras, para alguns de vocês, vocês já teriam deixado definitivamente a consciência limitada e vocês não estariam mais aí.

Ora, como nós o dissemos, esses, precisamente, que foram Libertados, são os Libertadores da Terra. Precisamos de vocês, aqui, onde vocês estão. Assim, as pulseiras nos pulsos ou nos tornozelos já não são bloqueios que estavam ligados ao fato de não partir muito rápido para a Eternidade, mas verdadeiramente, agora, para alguns de vocês (mesmo que tenham vivido viagens no Estado de Ser [Etreté] ou nesse Último estado – que não é um estado – que é denominado Absoluto), vocês encontraram pequenas ligações para poderem completar o trabalho que é para fazer aqui.

Eu vos lembro que este trabalho não é um Fazer: é deixar Ser o que É. E, para isso, é preciso que a Luz não progrida muito rápido no Interior do coração do Coração. Quer dizer que o Ponto ER da Cabeça e o do Coração, através da Lemniscata Sagrada, não reduzem, imediatamente, o Fogo a pó.

Questão: Os pequenos flashes brancos que se podem ver igualmente, estão ligados à Luz?
Sim, de fato. Quando há um flash, fenômeno brutal, é o atrito entre a consciência limitada da Terra e a Consciência Ilimitada da Terra. Quando, pelo contrário, vocês veem uma névoa branca que se move muito lentamente, ao vosso nível ou no ar, aí, é simplesmente a Luz.

Não são os flashes que resultam da fricção. Enquanto a Luz, no seu aspecto vaporoso e lento, é a Luz e não são as áreas de atrito ou resistência ou de confrontação.

Questão: A sua encarnação anterior, enquanto Merlin, teve um caráter preparatório em relação ao que vivemos?
Não, absolutamente não. Se vocês quiserem, o que vocês vivem está inscrito desde há 320.000 anos. Foi preciso um certo número de ciclos que se repetem, sob a égide dos grandes Melquisedeques da Terra, isto é ORIONIS, sob a égide dos Guias Azuis de Sírius, sob a égide dos Nefilim e dos Elohim (ou seja, os Gigantes e os Seres de Cristal), para preparar este momento, por antecipação e por uma visão profundamente penetrante, eu diria, dos ciclos da Terra, sob o reinado da falsificação.

Enquanto Merlin, eu nunca dei elementos. Houve, na época, um ou dois elementos do futuro que eu pude comunicar. Mas vejam a dificuldade: isto é, quando caímos na encarnação, os Véus do esquecimento são extremamente poderosos, mesmo no momento do Despertar ou da Libertação, no momento em que nós vivemos o processo da outra consciência. Nós permanecemos tributários, (dependentes) é claro, para expressar o que tínhamos a expressar, da consciência ordinária (comum). E, portanto, nós fomos obrigados, de algum modo, como dizer, a interpretar o que foi dado para viver, para o colocar numa perspectiva de linearidade do tempo. E foi o mesmo com Michel de Nostradamus, foi o mesmo com Bença Deunov (que é a mesma entidade), foi o mesmo comigo ou com muitos outros que tiveram visões proféticas, digamos.

Então, a melhor visão profética, certamente, é extrair-se dessas mesmas visões. E é no que foram muito bem sucedidas, por exemplo, as Estrelas, porque as Estrelas, elas são muito menos tributárias (dependentes) na polaridade feminina encarnada, deste conceito temporal. A polaridade masculina da consciência limitada tem sempre necessidade de se referir ao tempo, aos calendários, etc.

O que é muito menos frequente nos processos místicos tocando uma polaridade feminina. O que explica porque, por exemplo, Estrelas como MA ANANDA MOYI, ou ainda GEMMA GALGANI, tenham exprimido a intemporalidade da Luz, mais do que processos de Visão. E vocês nunca verão, e vocês nunca viram, na sua vida, uma MA ANANDA MOYI vos falar da chegada da Luz, porque a Luz era, para ela, um processo vivido no momento presente, que não dependia de nenhum tempo.

Foi apenas a inscrição da vossa consciência na Linearidade do tempo, que permitiu escrever, de alguma forma, um desenrolamento do tempo. Mas aquele que é Absoluto não tem nada a ver com a chegada de Hercólubus, com a chegada da Onda Galáctica: ele já está instalado no interior dela.

Portanto, esta noção temporal está verdadeiramente inscrita na pessoa e apenas na pessoa. Aquele que é Absoluto ou vive a Infinita Presença, quer este mundo acabe numa hora, ou nunca, não muda nada.
O que não é o caso, é claro, para a grande maioria da Humanidade encarnada que é tributária (dependente) do tempo.


Questão: As três Estrelas ainda encarnadas hoje, ignoram quem elas são?
É preferível que elas o ignorem. Toda a missão (eu não gosto muito desta palavra), mas qualquer função incorporada na encarnação, passa obrigatoriamente pelos mecanismos de esquecimento celeste.

Não o esquecimento das vidas passadas. Por exemplo, quando eu era aquele, como me apresento hoje, Omraam, é claro que eu sabia que tinha sido Merlin na minha vida, porque nós temos acesso a toda a memória das nossas vidas passadas, num processo de Libertação ou, em qualquer caso, de Despertar.

Mas nunca do que está lá em cima, porque, isso, é algo que deve ser escondido, mesmo daquele que o porta, porque se isso lhe fosse revelado, haveria o risco de danos consideráveis. Então, uma Estrela não sabe que ela é uma Estrela, aqui, na Terra. Um Ancião não sabe que ele é um Ancião, aqui, na Terra. Ele sabe-o lá em cima. Isso é muito importante.

Eu vos transmito todas as minhas bênçãos e eu terei a oportunidade de vos vir ver, em cada semana, durante estas audiências públicas. Então, eu estarei convosco todas as semanas. E, portanto, eu vos digo até breve. Portem-se bem.


NDR:

Eixo ATRAÇÃO / VISÃO


O Ponto ER do peito


O Ponto ER da cabeça




Mensagem de O.M AÏVANHOV no site francês:
http://www.autresdimensions.com/article.php?produit=1689
10 de novembro de 2012 (Publicado em 11 de novembro de 2012)
Tradução para o português: Cris Marques e António Teixeira
http://minhamestria.blogspot.com/


http://a-casa-real-de-rigel.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails