((((* "O QUE VEM SEMPRE ESTEVE AQUI, A PAZ ESTA DENTRO DE TI E SO VOCE PODE TOCALA, SER A PAZ SHANTINILAYA, NADA EXTERNO LHE MOSTRARA O QUE TU ES. NADA MORRE POR QUE NADA NASCEU, NADA SE DESLOCA PORQUE NADA PODE SE DESLOCAR VOCE SEMPRE ESTEVE NO CENTRO, NUNCA SE MOVEU , O SILÊNCIO DO MENTAL PERMITE QUE VOCÊ OUÇA TODAS AS RESPOSTAS" *)))): "ESSÊNCIAIS" "COLETÃNEAS " "HIERARQUIA" "PROTOCÓLOS" "VÍDEOS" "SUPER UNIVERSOS" "A ORIGEM" "SÉRIES" .

quinta-feira, 5 de julho de 2012

GEMMA GALGANI - 02-07-2012 - AUTRES DIMENSIONS

GEMMA GALGANI - 02-07-2012 - AUTRES DIMENSIONS


 

Eu sou GEMMA GALGANI.

Irmãs e Irmãos encarnados, eu venho a vocês a fim de, não somente vos entregar o que eu tenho a entregar, mas também para Comungar em cada um de nós.

Enquanto representante do Manto Azul da Graça, eu venho exprimir as qualidades que resultam da ação do Manto Azul da Graça e das Partículas Adamantinas, sobre a vossa vida, aqui, aí onde vocês estão, sobre a Terra, nestes tempos tão preciosos, tão importantes: o retorno da Luz ao que vocês São, em primeiro lugar, e, sobre esta Terra, no fim do confinamento.

Para além dos efeitos que vos foram descritos, desde há uns anos (efeitos esperados sobre as vossas Lâmpadas, sobre a vossa Consciência, o sentido do que é a Unidade, do que é a Luz), as transformações que vocês viveram, o Abandono à própria Luz, e talvez o Abandono do Si, vos deve permitir, hoje, manifestar sobre esta Terra, uma Presença do que vocês São, mais particular, mais intensa mas também com características precisas.


A ação da Luz, pela sua inteligência, pelo Amor que vocês São, vos deve permitir estar numa confiança extremamente presente, extremamente nova.

Muitos dentre vós oscilam ainda entre as fases de Alegria e as fases normais da vida, principalmente porque, como vocês sabem, existem passagens de um ao outro e do outro ao um. O que vai desaparecer é o próprio sentido das oscilações. O desaparecimento destas oscilações e destas passagens de uma consciência do Eu, ao Si, e à Alegria, se traduzirá, a partir do instante em que vocês aceitem deixar a Luz trabalhar, na totalidade, em vocês, sem procurar controlá-la, vos Abandonando a ela mas agora num outro nível.


Mesmo o que foi vivido, nas etapas que vos trouxeram até ao presente, até hoje, deve tender a apagar-se. Este apagamento não é, também, um ato de vontade, no máximo pode ser, como isso foi descrito, a seu tempo, por HILDEGARDE, minha Irmã, como uma tensão para o Abandono.

Hoje, os efeitos da Luz, penetrando cada vez mais profundamente na matéria, neste mundo, devem determinar, em vocês, de maneira natural, o aparecimento de certas características, de certos estados, mesmo no seio da vossa vida normal. Um dos elementos maiores, durante este período, é a confiança. Não uma confiança em vocês, não uma vontade em vocês, não o estabelecimento de uma matriz, qualquer que ela seja, mas antes o que está prefigurado pelo que, talvez vocês tenham ouvido, foi dado por BIDI, em relação ao Absoluto.

Viver a Alegria não deve mais ser somente reservado aos vossos momentos de Alinhamento, aos vossos momentos de Paz, aos vossos momentos de Interioridade. Mas a Alegria deve também, a partir da agora, modificar todos os setores da vossa vida. E para isso vocês não têm nada a realizar senão dizer «sim» à Luz, se apagarem, na totalidade, em todos os jogos que vocês jogam, em todos os jogos da vossa personalidade, da vossa vida normal.


Eu devo precisar (como, aliás, isso vos foi repetido várias vezes) que não é uma questão de abandonar a vossa vida mas, bem mais, de a viver de uma outra forma. Vivê-la de uma outra maneira é, para além do vosso papel de Ancorador da Luz que se concluiu, tornar-se essa Luz sobre a Terra, tornar-se esse farol que não tem nenhuma vontade, que não tem nenhuma confiança na personalidade mas que deixa emanar de si, pela Transparência, numa lucidez nova, a Luz que vocês acolheram e que transmutou o que foi em vocês.

O Manto Azul da Graça, para aqueles que o vivem, mudou irremediavelmente a situação da vossa consciência. A Confiança de que eu falo, não é a confiança em vocês, nem mesmo a confiança no que quer que seja sobre este Mundo, nem mesmo em quem quer que seja dos nossos Planos, mesmo se efetivamente a nossa Presença no seio do vosso Canal Mariano ou no vosso Coração, seja de vos regozijar.

A Confiança de que eu falo é aquela que se estabelece, ela própria, no seio da Luz. É um estado que, quando a Luz está presente e age por si mesma, sem nenhuma intervenção da vossa parte, vai pôr fim aos derradeiros medos, vai pôr fim aos últimos apegos da personalidade, às últimas dúvidas.


Não são vocês que criam esta Confiança: foi Ela que se criou, desde o instante em que vocês renunciaram totalmente a vocês mesmos.
Isso participa das etapas finais, antes de ser Absoluto, vos dando a viver um progresso na vossa vida, que não vos pertence mais, porque vocês pertencem à Luz, porque vocês São a Luz.

Compreender e aquiescer isso, é viver a Alegria permanente, é não mais ser alterado por qualquer circunstância da vossa vida, por qualquer acontecimento deste Mundo, é permanecer quase imóvel, nesse estado de ser particular onde a Confiança se instala.

Esta Confiança é um dos atributos da Luz e do Amor. Não são vocês que a criam, foi ela que se criou, no interior de vocês, desde o instante em que vocês apreenderam o princípio da sua ação. Mas, para isso, é preciso, efetivamente, renunciar a todas as vistas sobre este Mundo, a todas as vistas sobre as leis que vos são conhecidas e simplesmente deixar trabalhar esta Luz que vos preencheu, que vos transformou.


Múltiplas expressões podem ser empregues: a Passagem da Porta Estreita, a Crucificação, a Ressureição.

O que se passa a partir do instante em que vocês decidem, na vossa consciência, deixar verdadeiramente, real e totalmente, trabalhar a Luz? Bem, vocês constatarão que o conjunto dos medos, o conjunto dos apegos da vossa personalidade, desaparecem por si mesmos. Vocês cessam toda a luta, vocês cessam toda a apreensão, não por um qualquer desejo ou uma qualquer vontade mas antes pela ação da própria Luz, que vai realmente transformar o que vocês são, que vai realmente modificar o que, ainda há algum tempo, constituía a vossa vida.

Esta Confiança é o Amor, porque o Amor é confiante e doce e se vocês deixarem trabalhar o Amor e a Luz que vocês São, sem aí misturar a mínima personalidade, a mínima vontade, se vocês se abandonarem, portanto, totalmente, à Luz e se vocês Abandonarem, mesmo, toda a pretensão espiritual em ser o que quer que seja e em ser quem quer que seja, no seio deste Mundo, se vocês aceitarem não serem nada, então vocês se tornarão o Todo, porque a Luz preencherá todas as Sombras que ainda possam existir.


Não haverá mais espaço, não haverá mais lugar para a mínima dúvida. A vossa vida se desenrolará, efetivamente, numa graça renovada a cada dia. Mas, para isso, é preciso efetivamente, como isso vos foi preparado, de qualquer modo, por alguns Anciãos e por BIDI, é preciso que vocês desapareçam, na totalidade, que não exista mais nada senão o que vocês São, quer dizer, esta Luz. A Confiança está aí, ela não está noutro lugar.

Então, certamente, neste Mundo, constituído por elementos que vos foram dados e precisados pelo IRMÃO K (ndr: na sua intervenção de 1 de julho), é indispensável se abandonarem, quer dizer, viver a vossa própria Crucificação. E esta Crucificação, ela vos foi trazida pelas circunstâncias da vida. É preciso reconhecê-las como tal.

O que quer que vos pareça perdido, o que quer que vos pareça para perder, o que quer que vocês abandonem, vocês encontrarão a graça. Não pode ser de outra maneira porque, como é que o que vocês viveram até ao presente, vos poderia levar num outro lugar, senão à Essência do vosso Ser, senão à Verdade do Amor? E isso vai levar, certamente, à Confiança Absoluta, total e ilimitada, vindo, como um bálsamo, apagar o que podia restar de zonas de sombra, de personalidade, de medos, de apegos.


O desafio, pode ser, para alguns de vocês (extremamente poderoso, porque perturbador). Porque através de certos apegos que permanecem em vocês, a vida vai-vos colocar face a isso, de uma forma ou de outra. E é nisso que se realizará o Abandono do Si ou não. É nisso que se produzirá uma Ressureição feliz.

Se vocês aceitarem e compreenderem que a Luz é bem mais inteligente do que nós (nesta pessoa, sobre este Mundo), então vocês constatarão rapidamente que a Luz é aquilo que vocês São e que no seio desta Luz não há senão o Amor e a Confiança. Este estado cria, efetivamente, uma aura, um campo Vibratório, em torno de vocês, não deixando nenhum espaço para nenhuma interferência. Mas é preciso também aceitar, em algum lugar, sobre os domínios que vos pareciam importantes até ao presente, vos deixar despojar, na totalidade, do que vos parecia importante, porque, justamente, o que se despoja e que se afasta de vocês, é o que vos impede de serem vocês mesmos, na totalidade, e de viver esta confiança.

Enquanto vocês crerem controlar a vossa vida, a Luz não pode estar aí, na totalidade. Enquanto vocês crerem que vocês se dirigem para uma evolução, para um Mundo encarnado diferente, a Confiança não está aí.


O que vos pede a Luz, hoje, é um sacrifício. Ela o vai pedir de maneira cada vez mais insistente. Para alguns de vocês, isso será muito fácil e, para outros, certamente, existirão coisas a transcender e a ultrapassar. Mas, aí também, compreendam que não são vocês que as transcendem e as ultrapassam mas antes esta Inteligência da Luz e este Amor indizível que está bem para além de todas as compreensões sobre este Mundo, de todos os Amores sobre este Mundo, e de todas as Vibrações sobre este Mundo.

É preciso deixarem tudo, Interiormente, a fim de que esta Confiança se instale. As circunstâncias exteriores da vossa vida, no que vos chega ou vos chegará, não estão aí senão para provar a vossa confiança na Luz, que é a Confiança. Para provar, de qualquer modo, a vossa fidelidade e a vossa certeza na Luz. Não mais como um objetivo distante, não mais como uma busca (que, talvez, vos tenha conduzido), mas antes como o fato de baixar todas as armas do ego e da personalidade, de render todas as dúvidas, todas as interrogações sobre o amanhã.


É um convite, também, a se instalarem, na totalidade, neste tempo presente, através dos diferentes mecanismos onde a consciência não tem mais necessidade de se projetar num desejo, num fim, seja ele o mais nobre. Mas, de qualquer modo, vocês param ou vocês concebem e percebem que não há outro fim senão estar no instante presente, não mais existir, de se apagarem, na totalidade, a fim de que a Consciência da Luz e a Confiança da Luz, ajam, em primeiro lugar, em vocês e pelo campo de energia, pela aura que é gerada, sobre este Mundo.

A Onda da Vida, o Encontro com MARIA, que muitos de vocês começam a viver, a título individual, ou com um de nós ou com um dos Anciãos, tudo o que se manifesta como Consciência e Presença do vosso lado esquerdo, não está aí para entreter um discurso, nem para ser visto, simplesmente, mas antes para fazer ressoar, em vocês, este Abandono, esta Confiança. Vos dando a viver a realidade e a Verdade dos nossos contatos. Não deixando mais o mínimo lugar para o medo, sobre este Mundo, em relação ao que quer que seja, a qualquer relação que seja, vos instalando nesta Confiança que é uma certeza total.


A Luz, de qualquer modo, vos testa nas vossas últimas reduções, nos vossos últimos apegos. Em que estão vocês interessados? Nos vossos apegos ou no que vocês São? O que é que vos motiva? O medo e a falta? Ou a Plenitude do Amor-Luz? Cada vez mais, vocês estarão, talvez, divididos entre os dois.

Definitivamente, vos pertencerá, aí também, como foi dito, passar esta Porta Estreita. E a Confiança é um elemento maior porque a Confiança que instala a Luz, em vocês, não é a vossa confiança, qualquer que seja o vosso estado de medo, de falta de certezas, de interrogações. Se vocês acolherem a Luz, se vocês aceitarem a sua ação final, vocês descobrirão verdadeiramente a que foi denominada esta Morada da Paz Suprema, permanecendo nesse corpo.


É preciso morrer para si mesmos, morrer para o que vocês foram, morrer para a vossa história, morrer para todas as histórias, para compreender que não há história e que há Luz.


Então, certamente, muitos entre vós que viveram as primeiras etapas desta transformação da Luz, recusam, no instante, baixar as armas, porque têm a impressão de controlar a Luz. Mas vocês não podem controlar a Luz, porque é o que vocês São, para além de toda a pessoa, de toda a vida e de toda a personalidade. Aí também, há um olhar diferente a ter, há uma consciência diferente que se manifesta.

Vocês não podem pretender ser Luz e ser uma pessoa: isso vai-vos aparecer cada vez mais claramente e isso corresponde, na totalidade, ao fim derradeiro deste Mundo, nesta Dimensão.

Vocês vão aceitar ou não? Se vocês derem um passo, vocês constatarão, nesta aceitação, que há verdadeiramente uma facilidade e que a Luz é um bálsamo que é mesmo capaz de eliminar todo o rasgo, toda a interrogação, todo o sofrimento. Porque a Confiança da Luz substitui, muito vantajosamente, a confiança que vocês puderam ter dela, a confiança que vocês puderam ter em quem quer que seja, ou no que quer que seja. Mas é preciso aceitar, e só vocês, mais uma vez, o podem aceitar.


Só vocês podem passar esta Porta, se vocês o desejarem. Nós estamos aqui para esclarecer isso. Muitas das minhas Irmãs vos disseram e repetiram: o que querem vocês Ser, no que se querem tornar?

Mas é preciso compreenderem que vocês não podem permanecer no Coração (ndr: terceiro chacra) e estar no Coração (ndr: quarto chacra). Quer vocês estejam no ego e na pessoa (ndr: terceiro chacra), quer vocês estejam no Coração. E se vocês estão no Coração: não há mais pessoa, há só a Transparência do que vocês São, não há nenhuma vontade pessoal, não há nenhum desejo de controlar a Luz. Há só, como o disse, por outras palavras, BIDI, esta vida que se vive e vocês que não são esta vida e, no entanto, estão nesta vida.

Esta tomada de consciência deve fazer-se e vai fazer-se. Isso conduzirá, cada um de vocês, a um estado profundamente diferente onde nada mais poderá ser como antes, onde nada mais, do que vos parecia uma certeza, poderá ser mantido, porque a Luz, efetivamente, o Amor que é o que nós somos, vos quer inteiramente.


Então, o que querem vocês? Querem ser Luz ou querem resistir? Todas as circunstâncias das vossas vidas, da própria Terra, na sua totalidade, vão se ver face a esta equação que condicionará o destino, que condicionará a qualidade do que vocês São.

São vocês, e só vocês, que aceitarão ou que recusarão.
A aceitação da ação confiante da Luz virá também aumentar o Êxtase Interior, porque não pode persistir um Êxtase e uma dúvida, um Êxtase e um medo. É um ou outro e isso, aí também, vos vai aparecer cada vez mais claramente, cada vez mais evidente.

Vocês não podem continuar, quando o momento chegar, a participar nas vossas ocupações normais e Ser Luz. Será um ou outro, é aí que vocês mostrarão o que vos resta de apegos, e o que resta de sombras em vocês, vindas dos vossos medos, vindas da personalidade. O que quero dizer é que, dentro de muito pouco tempo, vocês não poderão mais ser uma pessoa que tem a sua vida e a Luz.


Não é mais o tempo de alimentar a vida e a vossa pessoa, pela Luz, mas, antes, que a vossa vida e a vossa pessoa se apaguem perante a Luz.

Eu não vos escondo que o ego não pode apreciar isso, porque mesmos os modos de funcionamento que vocês têm, e que vocês têm desde tempos imemoriais, para alguns de vocês, ocultaram a vossa natureza, a nossa natureza que é Amor e Luz. Dito de outra forma, Ser Luz e Amor não se pode acomodar a outra coisa senão ao Amor e à Luz. E enquanto existir, em vocês, uma tendência para permanecer apegado ao que quer que seja, de permanecer implicado no que quer que seja, vocês o constatarão bem, por vocês mesmos, que isso é incompatível com a Luz.

Porque, efetivamente, como anunciou a minha Irmã MARIA, há algumas semanas, e como isso vos será firmemente dado, nesses três dias que vêm, pelas intervenções de METATRON, MIGUEL e MARIA, esta pressão da Luz é uma pressão de Libertação. Mas para a personalidade é, claro, o inverso, é a perda de toda a referência, é a perda do que fez as vossas certezas, do que fez a vossa confiança e a vossa vontade. Mesmo isso deve ser transmutado.


É o momento em que CRISTO dizia: «deixem os mortos enterrarem os mortos e sigam-me».

O que querem vocês, o que decidem vocês, qual é o vosso polo de interesse? Vocês estão apegados a quem quer que seja, ou ao que quer que seja, ou vocês estão Livres? Não pode haver apego e Liberdade, não pode aí haver Sombra e Luz, ao mesmo tempo.


O que era possível até ao presente, não será mais possível. É preciso escolher, não com a cabeça, mas é preciso escolher entre a Luz e a Sombra: vocês não poderão mais compor com as duas, isso terminou.

Isso vai vos aparecer, mais uma vez, cada vez mais claramente e cada vez mais evidente porque a verdadeira escolha (não as escolhas que foram colocadas, há alguns anos, mas o que se desenrola agora) é, de qualquer modo, uma confirmação: vocês jogaram com a Luz, vocês serviram-se da Luz ou vocês são Luz? Cabe a vocês compreender isso e, sobretudo, vivê-lo, na vida normal.

Não é nos momentos de meditação, de oração (chamem isso como quiserem) que a Luz deve estar aí. Ela deve também, agora, aclarar toda a vossa vida, tudo o que vocês vivem. E isso não pode ser uma decisão do ego, isso não pode ser uma qualquer ação da personalidade que realiza isso mas antes, de qualquer modo, a aniquilação total da personalidade e de tudo o que compreende essa personalidade: os apegos antes de tudo, os hábitos, os medos. Tudo isso deve ser varrido, não por uma ação da vossa vontade mas, pelo «sim» franco que vocês dirão à Luz.


Porque, eu vos lembro, uma coisa é querer a Luz, outra coisa é perceber a Luz ativar tal lâmpada, ou outra tal lâmpada, e outra coisa é tornar-se essa Luz, na totalidade, pondo fim a todas as ilusões, a tudo o que vos priva da Liberdade.


O Amor é Liberdade. A Luz é Liberdade. A Libertação não é uma palavra vã. A Luz vem-vos libertar, se vocês o aceitarem, mas vocês não podem ser libertados e manter qualquer apego que seja.

Vocês não podem estar privados de Liberdade e ser Livres. Eu não falo da liberdade de movimento, da liberdade de pensamento. Eu falo da Liberdade, a mais fundamental, do Amor e da Luz. Então, certamente, quando há uma vida para conduzir, muitas interrogações podem apresentar-se sobre o que vocês têm a fazer, sobre os apegos que vocês têm, mas é justamente aí (e somente aí) que se encontra o desafio.


Vocês querem seguir o CRISTO? Vocês querem responder ao seu apelo? Vocês querem ascensionar ou não?
Lembrem-se de que vocês são livres nas vossas escolhas mas que uma dessas escolhas é a Liberdade e que a outra não é a Liberdade.

Onde colocam vocês a Liberdade? Na crença de que vocês vão ter escolha? Ou na aceitação do que vocês São, na totalidade?
Uma ou outra vão tornar-se cada vez mais incompatíveis, cada vez mais afastadas e, além disso, isso se afastará da mesma forma que se afasta de certas coisas vossas, no Interior de vocês como na vossa vida.

Não é mais tempo, de qualquer modo, de adiar porque o nosso Apelo vai soar, porque a constituição do Canal Mariano, o fato de ser percorrido pela Onda da Vida e de viver o Êxtase ou a Alegria, volta, de qualquer modo, a vos colocar e a vos fazer colocar a questão: eu sou a Alegria ou eu sou o medo? Eu sou o Amor ou eu sou a falta de Amor? Eu sou transparente comigo mesmo? Será que eu aceito que a Luz toma todo o lugar, na totalidade, inteiramente? Ou será que eu resisto, para manter a minha pessoa, os meus apegos, quaisquer que sejam esses apegos?

Foi dito, há pouco tempo, que aquilo a que vocês estão apegados vos perde. E isso a que vocês permanecem apegados vos perderá cada vez mais. Vocês não têm nenhum meio de se subtrair disso. Vocês não têm nenhuma técnica que vos permita, fora do vosso próprio posicionamento, adoçar ou evitar esse momento, essa Passagem.


Compreendam bem que, do nosso lado, nós trabalhamos, desde há vários dos vossos anos, nesta preparação. Nós sabemos também, pertinentemente, que muitos de vocês, Irmãos e Irmãs que chegam perante esta porta, neste momento, estão tomados de uma angústia, de um medo aterrador.

Este medo do vazio, este medo do nada que está inscrito no medo da morte, no medo do outro, também, deve ser visto. Não é qualquer coisa sobre a qual vocês devam agir, por vocês mesmos, mas antes compreender que é a Luz quem agirá, sobre isso, ela mesma. E se ela não agir, não é porque não há Luz, é porque, vocês mesmos, se colocaram em oposição a isso.


É preciso estarem cada vez mais lúcidos sobre os proponentes e os resultados de todas as ações que vocês conduzem neste mundo, quer elas vos pareçam as mais justas, quer elas se refiram às obrigações mais importantes da vossa vida. Porque vocês devem redefinir e aceitar redefinir, portanto, o que é mais importante para vocês. Será a Luz? Será o Amor? Ou será a projeção do vosso amor em qualquer um ou em ninguém, quer dizer, nos vossos apegos.

Isso se passa agora e a vida, devido ao fim do isolamento da Terra, os conduz a isso, cada um de sua forma, para coisas que podem vos parecer insignificantes mas, para as quais vocês constatarão que, elas não são tão insignificantes como isso, ou para qualquer coisa que vos pareça tão grande que vocês terão, talvez, a impressão de não conseguirem chegar lá.


Mas lembrem-se que o Amor e a Luz são a vossa natureza. Que o Amor e a Luz estão aí, em vocês, em torno de vocês, e em todo o lado. Cabe, portanto, a vocês ver se vocês querem ser Libertados. Cabe a vocês ver se vocês querem ser a Liberdade ou o sofrimento. Mais ninguém, senão vocês, pode decidir. Mais ninguém, senão vocês, pode passar.

Nós estamos aí, ao vosso lado, e em vocês, e nós estaremos cada vez mais. Nós vos chamaremos à noite e de manhã. Nós manifestaremos a nossa Presença ao soco, nas situações onde, justamente, vocês não estiverem em meditação ou alinhados, mas nos momentos mais inoportunos, à primeira vista, mas que são, a partir do que nós percebemos de vocês, os momentos mais oportunos.


Nós não vos viemos por à prova ou vos testar. É a Luz, que está em vocês, que testa, de qualquer modo. Vocês são a Liberdade e a Alegria? Vocês são o Absoluto? Ou vocês estão nas resistências da pessoa que todos os dias quer alimentar-se de Luz e desviá-la para proveito da personalidade? Isso não é o Amor.


O Amor é tudo dar e, sobretudo, se dar a si mesmo, na totalidade. Isso já vos expliquei, há muitos meses. Enquanto vocês não se derem, bem, a Confiança não pode estar aí. Enquanto vocês não tiverem colocado tudo nas suas mãos, da Luz e do Amor, permanece uma parte de Sombra, uma parte de vontade, uma parte de necessidade de controlar os acontecimentos e a vida, mas isso não é a Vida.

Isso vos aparece, de uma maneira ou de outra, e vocês se verão verdadeiramente, tal como vocês são sem ter necessidade de projetar sobre quem quer que seja (ou o que quer que seja) as vossas próprias faltas, os vossos próprios sofrimentos.


Como dizia o IRMÃO K, apenas ontem: o que se produz no exterior está também em vocês. Não há nem culpado, nem responsável, nem vítima, nem carrasco, nem ninguém senão vocês mesmos. Tudo o que vos chega é justo. Tudo o que vos chega (e tudo o que vos toca) está aí, justamente, para vos tocar e para vos mostrar, claramente, aí onde vocês estão. Não é uma escolha realizada pelo mental, mas é antes a própria Vida que vem vos mostrar isso.

Ser Amor e Luz, é aceitar não mais ser a pessoa, é aceitar desaparecer (quer esse desaparecimento seja da Consciência, quer ela seja simbólico, ou quer ele seja real) porque não tem mais nenhuma importância.
Quer vocês estejam nesse corpo, quer vocês estejam sem corpo, vocês constatarão que vocês permanecem identificados com o que vocês São, a partir do instante em que vocês aceitarem, realmente e concretamente, não ser mais apegado.

Tudo isso se desenrola para vocês, se não estiver já presente, vai se desenrolar e se desenrola, neste momento. Também não há que refletir e que se colocar a questão já que a própria Vida vos vai propor, muito precisamente, isso, em circunstâncias que vos são próprias e que são, mais uma vez, as mais adequadas para vocês: para Ser a Luz que vocês São.

Qualquer que seja o acontecimento que vos chegar (ou qualquer quer seja o acontecimento que chegar a este Mundo), a finalidade é (e permanece) e permanecerá, até ao fim, a Luz. Mas não uma Luz e um Amor exteriores mas, antes, a consciencialização de que vocês São isso, porque nós somos todos isso.

Se vocês tomarem o tempo do observador do que se desenrola na vossa vida, então, vocês compreenderão. Se não se passa nada de momento, deixem vir o que vai vir. Vocês não podem mais manter a mínima dúvida e vocês se colocarão a escolha, que não é a desse corpo, nem dessas emoções e desse mental, mas que é uma real transfiguração e ressurreição.

Façamos uma pausa, alguns instantes, na Comunhão das minhas palavras e da vossa escuta, antes de retomar.


… Comunhão …

É nesta Comunhão que se encontra a Verdade, a única. Os nossos Irmãos e as nossas Irmãs, Anciãos e Estrelas (que vêm sobre do Oriente, da sua vivência), vos falaram da Ilusão, de Maya. Resta agora verificá-la.

A Ilusão é sofrimento. Maya é sofrimento. A Luz e o Amor são Liberdade, totalmente. Vocês irão fazer a experiência. São vocês que decidem viver (ou não viver) esta experiência. Mas vocês não podem e não poderão, cada vez menos, restringir a Luz nas vossas vistas, nas vossas perspectivas, nos vossos sonhos, nos vossos desejos. A Confiança está aí, ela não está noutro lugar. Irmãs e Irmãos, a Paz, a Morada da Paz Suprema está acessível agora, aqui, aí onde vocês estão. Ela não é uma fuga, ela não está noutro lugar, quando a vossa consciência não estiver mais aqui. Ela é agora.


Eu vos convido a depor as armas. O melhor testemunho deste depor de armas é a Onda da Vida.

A primeira vaga trabalhou, para aqueles entre vocês que estavam mais próximos desta Verdade, desta Liberdade. Vocês estão todos convidados, agora, a vivê-la. Para isso é preciso largar tudo o que não é vocês. A Liberdade está aí, ela tem este preço, o do sacrifício. Ela não está na fuga da vida, porque a Vida está (e estará sempre), neste mundo como em todos os mundos, n’ A Fonte como no Absoluto.

Mas é mesmo uma atitude nova, uma compreensão, real e nova, do que se deve jogar, do que se deve viver. E lembrem-se que vocês têm a Liberdade de escolher. E se, a partir dos dias que vêm, a Onda da Vida não nascer, é porque vocês resistem. É preciso renderem-se a essa evidência.


Se vocês não resistirem mais, a intensidade da Onda da Vida (como no ano precedente, a intensidade da Luz Adamantina permitiu a abertura da Porta KI-RIS-TI), hoje, vos liberta, na condição de vocês a aceitarem. Vocês aceitam desaparecer? Vocês aceitam Ser Amor? Não o amor humano que vocês projetaram nas vossas afeições diversas e variadas, mas o Amor da Vida e o Amor do Amor.

As relações, todas as relações, são levadas a mudar. As relações que se estabelecem entre nós e vocês, pelo Canal Mariano, são relações de Amor Vibral, Verdadeiro, Autêntico. Será que o conjunto das vossas outras relações é marcado por isso, ou será que isso é diferente?


Vocês terão a oportunidade de fazer a diferença entre o Amor vivido pelo Canal Mariano (com o Duplo, qualquer que ele seja) e o amor humano. Eles não têm nada a ver um com o outro.
Eu diria mesmo que tudo os opõe.

Cabe a vocês ver, cabe a vocês viver e cabe a vocês determinar. O testemunho das vossas resistências será agora a existência (ou a não existência) da Onda da Vida, a sua percepção (ou a sua não percepção). E a Onda da Vida é também esta Confiança na Vida (e não nessa vida que vocês viveram no seio dessa pessoa).

Isso vai ser realizável e consciencializável, cada vez mais, porque as próprias circunstâncias da vossa vida vão vos levar a compreender isso. Mesmo se isso possa vos parecer difícil, o importante não é que isso seja difícil ou fácil, é estar consciente disso, porque vocês também não são o que é fácil ou difícil: vocês São bem mais que tudo isso. Vocês aceitam ser o Amor e a Liberdade? Ou preferem permanecer o sofrimento o confinamento, mesmo se vocês estão Libertados?


O Manto Azul da Graça, o Supramental, a Onda da Vida são uma alquimia, são uma Tri-Unidade. Esta nova Tri-Unidade, que vos dá a viver o que vocês São, a partir do instante em que vocês se afastarem do que vocês não são (como diria BIDI), de tudo o que é efêmero, de tudo o que não faz senão passar, mesmo se isso, para vocês, vos parecesse fundamental, mas vocês não são nada disso.

Como BIDI vos disse: o que resta, quando vocês partem, de tudo o que vocês construíram no seio desta vida, deste efêmero? Estritamente nada. Então, vocês querem ser nada ou vocês querem Ser Tudo? Não há outra possibilidade.

A Liberdade, o Amor e a Luz e, do outro lado, a não-confiança, o medo, a dúvida, o sofrimento. Isto vai vos aparecer, verdadeiramente, cada vez mais facilmente.
E não haverá outra pessoa a culpar senão vocês mesmos.

O que quer que vos faça viver um Irmão ou uma Irmã, o que quer que a Vida vos faça viver (quer isso seja nesse corpo, nas vossa relações, no que quer que seja), não há senão vocês e vocês mesmos, uma vez que o mundo é uma projeção total.

Vocês o vão viver, se vocês não resistirem.
Eis o que eu tinha a vos dizer neste espaço.
Vivamos um outro momento e instante de Comunhão, antes de ver se vocês têm perguntas (e exclusivamente em relação a isso), de uma maneira geral. Vivamos, então, esta Comunhão.


… Comunhão …

Eu sou GEMMA GALGANI. Eu me dou a vocês, no Amor, na Unidade, na Alegria e em toda a Confiança. E vocês, vocês têm esta Confiança? Vocês são esta Confiança? Não aquela que vem da vossa pessoa, mas antes do que vocês São.

Eu vos amo e eu vos digo até breve.
Se vocês têm perguntas, eu as escuto, entretanto.


Pergunta: Se toda a humanidade estiver Libertada, será que isso significa que esta Liberdade se obterá na doçura?
Ela se obterá na doçura para aqueles que não resistirem. Os que resistirem, sofrerão. Mas, mesmo este sofrimento é uma Ilusão, mas não para eles.

Nós não temos mais perguntas. Nós vos agradecemos.

Eu rendo graças à vossa Presença, à nossa Comunhão.
Até breve.


Mensagem de GEMMA GALGANI no site francês:
http://www.autresdimensions.com/article.php?produit=1504
02 de julho de 2012
(Publicado em 04 de julho de 2012)
Tradução para o português: Cristina Marques e António Teixeira


M.M - http://minhamestria.blogspot.com/
C.R.A - http://a-casa-real-de-avyon.blogspot.com/


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails