((((* "O QUE VEM SEMPRE ESTEVE AQUI, A PAZ ESTA DENTRO DE TI E SO VOCE PODE TOCALA, SER A PAZ SHANTINILAYA, NADA EXTERNO LHE MOSTRARA O QUE TU ES. NADA MORRE POR QUE NADA NASCEU, NADA SE DESLOCA PORQUE NADA PODE SE DESLOCAR VOCE SEMPRE ESTEVE NO CENTRO, NUNCA SE MOVEU , O SILÊNCIO DO MENTAL PERMITE QUE VOCÊ OUÇA TODAS AS RESPOSTAS" *)))): "ESSÊNCIAIS" "COLETÃNEAS " "HIERARQUIA" "PROTOCÓLOS" "VÍDEOS" "SUPER UNIVERSOS" "A ORIGEM" "SÉRIES" .

terça-feira, 24 de julho de 2012

DÊ-SE A SUA LUCIDEZ, A SUA MATURIDADE, A SUA MORADA DE PAZ SUPREMA, O SEU ABSOLUTO

DÊ-SE A SUA LUCIDEZ, A SUA MATURIDADE, A SUA MORADA DE PAZ SUPREMA, O SEU ABSOLUTO



Comecemos pelo óbvio ignorado por aqueles que sequer imaginam como funcionam. O humano compreende-se dono de si e consciente de suas intenções. Esta certeza entre eles faz com que o modus-estupiduz-operandi desta humanidade não alcance que o humano, além de outras combinações de 3, tem 3 camadas de funcionamento:
1- ego
2- personalidade
3- inteligência cerebral
(pelo menos pensam que têm, pois o cérebro que funciona para armazenar e promover conexões nervosas, jamais, jamais pode processar o que é de sua Essência, o que é de seu Coração)

Não se faz necessário desenvolver sobre o ego, a personalidade e a "inteligência cerebral", pois cada um que aqui lê já está abarrotado de exemplos em seu cotidiano.


Com estes pontos evidenciados nas linhas acima, agora podemos pontuar o funcionamento demasiado de, com coisas ditas positivas, negativas e até neutras, a forma padronizada, quase que mecânica, do humano se justificar. E, claro, a tridualidade (ego, personalidade e cérebro) tem, todas, todas as justificativas seja lá para o que for.

A elaboração é da ilusão, dos elementos que compõem a tridualidade.
A Simplicidade é Verdade, pois é ela, somente ela que possibilita a Vibração do Coração, a Essência pulsando.


Você é simples com as palavras?
Você elabora seja lá o que for para quê? Para lhe agradar, para estar de acordo com todos e tudo, para se iludir.

Mas quem precisa de palavras?
Quem precisa se justificar, explicar ou elaborar uma boa resposta?


A conveniência de si mesmo é um fracasso, uma vergonha. Mas quem é simples percebe a personalidade daquele que lhe quer dizer ou justificar algo elaborando e justificando detalhadamente, ou não.

E, claro, convenhamos, todos os que me leem dizem-se simples, muito simples.
Hipocrisia.


Outra armadilha mental: a famosa COERÊNCIA.
O indivíduo antes de tudo procura ser coerente para ele mesmo. Ele quer ser "bonzinho" para ele mesmo. Pura ilusão.


A necessidade de criar uma imagem de si para si e procurar viver de acordo com a sua crença de ser alguém bom, inteligente e generoso, faz com que ele funcione, mesmo que não consiga na prática, tentar o máximo possível ser coerente para sustentar essa imagem que ele quer ser, quer manter, esta personalidade que é uma farsa completamente oposta à sua Essência. Que é simples e que jamais deixou de estar dentro dele.


Que tal algo que sempre esteve aí?


Ser Simples não é o que esse mundo crê quando define alguém simples. A simplicidade jamais pode ser elaborada, intencionada, muito menos coerente. A Simplicidade é espontânea, e se é espontânea, ela não é do controle mental, é um Estado de Ser, natural, de Paz, de Amor.

Quem elabora, quem funciona em coerência não se percebe, não se enxerga, não se ouve. O Simples é Lúcido sobre este funcionamento e vê claramente aquele que chafurda nas palavras se explicando, se esclarecendo, elaborando, se posicionando e se "pré-ocupando" em manter a sua imagem e agradar a si e a qualquer um que o ouça, o veja ou o leia.

O Simples diz a eles:
O que você explica, elabora, justifica e tudo que você promove para manter a sua coerência, só lhe serve para se manter na ilusão. Para manter-se enganado, para ficar completamente avesso e distante da sua Essência, da Simplicidade, do seu Amor, pois a sua maior carência é do seu próprio Amor.

Se você não se dá o seu Amor, o que você é?
Você é aquele que finge, se engana, um hipócrita que não se reconhece, que foge de si através da imagem criada por si e para si. Eis a sua personalidade.


Entenda que quando você diz algo achando que é para alguém, você antes de tudo está dizendo para você. A necessidade de exteriorizar seja lá o que for, é a falta evidente do que é sugerido, reclamado ou manifestado por você. E, como sempre, há uma acusação exteriorizada, embora seja uma realidade que você é aquela falta, aquela crítica, aquele julgamento, pois tudo saiu de dentro de você.

Isso é tão claro para o Simples e tão complicado para o hipócrita coerente.
A coerência é uma forma de aprisionamento disfarçada de virtude. Ela é extremamente confinante àquele que é refém da própria imagem e modos idealizados.


E alguém consegue imaginar a personalidade coerente associada ao ego espiritual? Há muitos presentes e evidentes no MM. Eles constantemente se manifestam, que na verdade é para si, para se enganar. Os Simples perecebem e os coerentes chafurdam.

Este texto é para eles, os coerentes.
A coerência é uma armadilha que ridiculariza o dominado pela personalidade. A necessidade de espiritualidade é a maior motivação do hipócrita bonzinho que alimenta mais e mais a sua ilusória necessidade de coerência.


Em nossa área de comentários muitos "coerentes" ali se manifestam e nos últimos 15 podcasts muitos coerentes se manifestaram. Mas o que eles mais manifestam é a incoerência de estar e funcionar num espaço completamente em desacordo. Sem a vibração básica que é a Simplicidade.


Os duvidosos podem e devem conferir, se reler, se ouvir novamente. Mas aproveite a sua manifestação de dúvida, qualquer que seja, pois qualquer dúvida é a afirmação da ignorância sobre si e a necessidade de buscar a falta para manter a coerência, seja da imagem, seja das manifestações.


Agora eu quero dividir sobre as suposições, deduções, "achismo" e especulações. Todos sabem o que significam estas palavras, mas raramente alguém se percebe deduzindo, supondo, achando e especulando. É o que mais fazem, tanto quando se referem ao passado, tanto quando se referem ao futuro.

Estes, têm pavor do que chamam "ser uma pessoa leviana", não por suas identificações, mas sim, por seu modus operandi. São levianos todos aqueles que deduzem, supõem, acham, imaginam e especulam e emitem opiniões, pois esta forma vulgar e leviana de projeção, de falar levianamente sobre algo que eles não têm a Verdade, a certeza. Funcionar com estes exemplos levianos e, na Verdade, o "pré-julgamento", ou seja, muito pior do que vocês sabem o que promove julgar algo ou alguma pessoa.

E tão óbvio não é?
É tão fácil de compreender, mas eu quero ver alguém se assumir funcionando assim? Basta 5 minutos para cada um, acompanhado de alguém ou não, pois para onde seus olhos apontarem ou seus pensamentos associarem ou projetarem, que a dedução, o achismo, a suposição, a especulação, a imaginação estarão agindo a toda força prejulgando.


E como podem estar prontos para alguma coisa se não se veem, se enxergam, se ouvem ou se sentem?

Ouça-te, enxerga-te, reconheça-te!


Por que não, por que não aproveitar, em sua intimidade e começar a se observar? Você é o melhor exemplo para você mesmo. Feito isto, você já dá um grande passo em sair da hipocrisia e acolher a sua própria honestidade. Parece estranho, mas raramente uma personalidade permite-lhe alguma honestidade consigo mesmo.

Eu não tenho qualquer prazer em compor um texto destes, os exemplos são quase que infinitos como o círculo da ação / reação, mas somente cabe a cada um dar um pequeno passo para fora deste círculo infinito, sozinho. Eu poderia desenvolver milhares de linhas mais, com os mais claros e evidentes exemplos, positivos e claros resultados. Que não seriam suficientes, pois ainda é só teoria. A prática só é viável por cada um, em sua particularidade, em sua intimidade em viver esta, eu diria "experiência de si mesmo".

A "EXPERIÊNCIA" é simplesmente observar-se, ser, como disse BIDI, o Observador. Mas pelo menos no início, somente observe a si, pois com a clareza de como você funciona, a plateia, os atores, o palco, a peça e todo o teatro serão vistos com muita Simplicidade para facilitar a sua saída deste "jogo".

Lembre-se: o Observador é você em transparência, pois o Observador transita facilmente, livremente em qualquer situação sem ali interferir, mas observando e tornando-se consciente sobre o seu funcionamento. Prepare-se para observar o ridículo, o dramalhão, a pieguice, a chantagem, o vitimismo, a hipocrisia, a vergonha, a desonestidade, a coerência, as desculpas e muitas outras "normalidades" que o ego e a personalidade fazem e o refém sequer percebe.


Mas com tudo isso aparentemente chocante, o olhar Lúcido do Observador te faz rir muito de tudo isso, de todo este mundo e, sobretudo, de você. Rir, se divertir, mas principalmente rir de si mesmo é, além de um grande alívio de libertação, ele facilita o seu "re-conhecimento" em prol da sua Lucidez.


O básico está aqui, para quem queira, para quem honestamente quer sair do próprio confinamento, das próprias crenças e das garras do próprio ego e personalidade.

Agora, eu vou deixar 3 AFIRMAÇÕES abaixo. Para estas, não adianta, neste momento, alguma forma de concatenação ou análise intelectual, as mesmas só serão claras para aqueles que fizerem a "EXPERIÊNCIA DE SI MESMO" e lá se encontrarem, se chocarem e se divertirem em ver como eram, como funcionavam.


São elas:

"Não existe mais prisão, o que ainda existe são as suas próprias correntes."

"O que chega sempre esteve presente."
"A Consciência, qualquer, é a teoria. A prática da Consciência é a Lucidez Absoluta e Suprema."


Chega né? Me servi e estou aqui rindo de tudo.
Para quem queira, eu desejo uma boa
"EXPERIÊNCIA DE SI MESMO" e divirta-se muito.

Apenas um instrumento cumprindo a Promessa,

Anthonio


M.M - http://minhamestria.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails