((((* "O QUE VEM SEMPRE ESTEVE AQUI, A PAZ ESTA DENTRO DE TI E SO VOCE PODE TOCALA, SER A PAZ SHANTINILAYA, NADA EXTERNO LHE MOSTRARA O QUE TU ES. NADA MORRE POR QUE NADA NASCEU, NADA SE DESLOCA PORQUE NADA PODE SE DESLOCAR VOCE SEMPRE ESTEVE NO CENTRO, NUNCA SE MOVEU , O SILÊNCIO DO MENTAL PERMITE QUE VOCÊ OUÇA TODAS AS RESPOSTAS" *)))): "ESSÊNCIAIS" "COLETÃNEAS " "HIERARQUIA" "PROTOCÓLOS" "VÍDEOS" "SUPER UNIVERSOS" "A ORIGEM" "SÉRIES" .

terça-feira, 14 de setembro de 2010

ESPIRITUALIDADE NÃO SE COMPRA. ASCENSÃO, ELEVAÇÃO ESPIRITUAL NÃO ESTÁ A VENDA. - CIRA MUNHOZ

espiritualidade nao se compra

Anthonio, envio-lhe esse texto para se achar conveniente postar no teu site. Tem muita gente vendendo santidade e iluminação em 10 liçoes regiamente pagas. grata.


Tenho estado muito tempo a considerar o como, porque, onde e quando se da realmente o crescimento interior. Questiono-me quais os caminhos que trilhei e onde eles me levaram ao longo desse tempo em que me descobri multidimensional. Relembrando o tempo perdido quando andei como quem anda numa esteira. Havia um cansaço nesta busca, era forçoso buscar e busquei tanto fora de mim, que numa época resolvi parar. Era inútil buscar tanto.

Serenada a vontade de busca, encontrei. Fora de mim havia uma ponte que me levava do nada a lugar nenhum. E, passei por esta ponte anos a fio indo de um ponto a outro até o cansaço. Quando finalmente resolvi não mais atravessar essa ponte me concentrei em algo que ouvia dentro de mim que me dizia: é de dentro para fora que se faz a reconstrução.

E essa voz interna que eu teimei em não ouvir por anos a fio me mostrava que como ser divino, eu era a única responsável por minhas causas e efeitos. E que tantos estudos e cursos não me levariam a lugar nenhum, porque eu ouvia outras vozes que me ditavam como eu era e como deveria ser.

E eu mergulhei por muito tempo num ponto zero, sem me encontrar porque buscava nos outros a MINHA verdade. Percebi que o estudo é deveras importante desde que eu aprenda e apreenda que a minha verdade é só minha não importa quão “elevado” e espiritualizado seja o meu mestre exterior.

Cursos? Vários. Tempo perdido? Eu diria que sim, porque nem sempre os instrutores foram brandos comigo, antes, arraigavam em mim a certeza de quanto ruim ou errada eu era e que só alcançaria a salvação se me moldasse aos ensinamentos “deles”.

Sei que existem pessoas que tem uma intenção séria, muitos desses professores espirituais intencionam sim, ajudar; conheço alguns bastante sérios em seus ensinamentos, mas decidi depois de um tempo que eu não mais pagaria um centavo para aprender, porque despertei para uma verdade ( minha) de que tudo que eu preciso saber está dentro de mim desde a minha primeira existência neste planeta ou em outros. E todos os humanos trazem dentro de si toda a sabedoria que precisam para passar com louvor nas provas terrenas, indo desta vida mais sábios e purificados, ou não. Cada um escolhe a porta que vai entrar.

Quanto a mim, e isso é minha experiência pessoal, percebi que os que recebiam de mim os parcos trocados que a custo conseguia juntar para comprar entendimento, o faziam apenas para enaltecer seu ego e seu ponto de vista.

Os piores (hoje sei) “professores espirituais” com seus tantos cursos disso e daquilo eram na verdade grandes ofensores de minha alma, e digo isso sem medo de ser recriminada, pois eram eles estudantes como eu na grande escola da vida, apenas liam livros (como eu) iam a palestras e conferencias (como eu).

A diferença é que eles depois de livros e palestras passaram a ser, de repente, antigos e sábios mestre há longo tempo, prontos e capazes de solucionar todos os mistérios da vida.

Há que se ter cautela com seres sejam bem ou mal intencionados que ditam regras, aconselham, previnem,e que se acreditam diferentes dos outros, porque tal comportamento de “mais santidade”, mais elevação que os meros mortais, origina a segregação e classificação dos homens.

E, se todos somos UM, não há diferença no que sabe (consciência desperta) e no que anda a esmo buscando a verdade espiritual. São idênticos aos olhos do Pai. Não há a menor diferença.


Ninguém pode ser mestre de ninguém porque somos iguais. Na totalidade somos todos estudantes. O que sabe é como aquele que está na 5ª série e o que não sabe está na 1ª serie, aprendendo e também chegará à conclusão dos estudos, mais dia, menos dia. Todos somos mestres de nós mesmos, orientados pelo poder divino a todo tempo e hora.

Eu me acautelei contra esses “doutos” ensinadores que cobram por uma coisa que é inerente a cada ser humano- a sabedoria e essência divina – porque se consideram melhores que o resto dos seus iguais humanos, criam bloqueios ou obstáculos em seus corpos sutis que realmente os impedem de ver e compreender, nos níveis mais interiores, as pessoas que acreditam estar ajudando.

Criando uma condição psíquica em si que os impedem de ajudar porque se sentem melhores e mais sábios que o estudante que os chama de mestres.

Então empregam um pouco de psicologia, um pouco de ensinamento, ou os misturam numa atitude piedosa e egóica ressaltando no outro onde está o “erro”, alimentando assim com essa aberração, a boca dos sofredores, os buscadores que ávidos pagam para aprender o que o Divino neles já sabe.

A pessoa (no caso eu, que vivi isso) que está sendo ajudada permanece na ilusão de que este conselheiro têm o verdadeiro saber. E. Esta ilusão crescente se baseia exclusivamente na atitude que o “professor” exibe um misto de orgulho e santidade espiritual que foi construída artificialmente através de livros e palestras, conteúdo rico, porém não adaptados e exercidos em suas próprias vidas.

Continuo dizendo que existem pessoas sérias que realmente tentam ajudar e esclarecer, mas o profissional sério sabe até onde ir sem causar dependência psíquica, sabe a hora em que o aprendiz está pronto para seguir sozinho e o deixa livre para buscar sozinho o que somente o próprio buscador precisa aprender a nível pessoal e divino.

Cartas, cristais, mantras e tantos outros artifícios são válidos, desde que o buscador entenda o que está fazendo. Passamos milhares de anos criando uma falsa imagem de nós mesmos de tal forma que a verdadeira pessoa interior está inteiramente escondida.

E só despertará verdadeiramente quando houver o autoconhecimento e aceitação serena de que todos os fatos e feitos nesta existência têm o propósito de fazer-nos crescer. E fatalmente cresceremos independente de qualquer coisa exterior.

Os “profissionais” que encontrei constantemente reforçavam a consciência de meus defeitos e erros mostrando o quanto eu era inútil e sem espiritualidade, e que se não seguisse seus dogmas e ensinamentos eu estaria irremediavelmente perdida. E eu bestialmente pagava para ouvir isso. Somente ao me libertar de meus demônios interiores e desses ensinadores santificados encontrei meu verdadeiro caminho, porque ele (o caminho, meu caminho) esteve todo o tempo dentro de mim.

Tenho visto divulgações de cursos muito interessantes e sérios em seus propósitos, esclarecedores, mas infelizmente isso é uma minoria.

A grande e maior parte deles alimenta a falta de esperança e auto-estima negativa através da constante afirmação do “ser errado”, sem dar ao sofredor um vislumbre de que a situação atual é mutável e dependerá dele, única e exclusivamente o burilamento verdadeiro e saudável.

A pior parte de tudo isso é que encontramos em todos os segmentos, religiões, cultos, e grupos fanáticos é que se não seguirmos seu credo é o fim da esperança.

E os incautos acreditam verdadeiramente que são fracassados doentios. E um homem é aquilo que pensa ser. Os que não vêem as coisas sobre o prisma ditado são negados e perdidos.

Os que “pagam pra ver” e se libertam das ditaduras e ensinamentos na grande maioria “vêem a luz no fim do túnel, pois percebem que o próprio crescimento dependerá exclusivamente deles. Tal não seria se não tivéssemos provas de pessoas que mesmo semi analfabetas vivem de forma limpa, e são espíritos elevados e criativos. Livros são bons, cursos são bons, palestras são boas, mas somente se o que se aprende couber exatamente em nosso grau evolutivo.

De que me vale pegar uma apostila de doutorado em quântica se não conheço nada sobre o assunto? Assim é os que cheios de “boas intenções” vendem cursos e dogmas, querendo que o buscador cresça em 10 lições sobre mentalização, mantralização , cristais e codificações.

No meu modesto e parco saber, aprendi que aprendemos a cada minuto o que é NECESSÁRIO em nossas vidas e missões. Não é o outro que sabe o que é bom para a minha jornada. É o meu Eu Interior, que se consultado me dará as diretrizes.

Porque estou falando tanto em “ensinadores espirituais”?

Porque tirando os profissionais sérios, sobra uma corrente de charlatanismo que se entranha nos espíritos incautos e suga-lhe não somente o dinheiro (tirado do orçamento apertado), mas também a consciência de que ninguém está sozinho nesta vida e basta aprender a orar sozinho, buscar sozinho (isso em se tratando de espiritualidade).

Há pouco tempo, alguém do nada, me “revelou” uma de minhas vidas passadas, quem eu sou, como sou e como deverei ser daqui pra frente. Apenas sorri. Faltou dizer-me o nome espiritual de meu ser interior. Quanta sabedoria, uma pessoa que conversou comigo uma única vez e “viu” tudo isso..

E aí vem o meu questionamento: ATÉ QUANDO VÃO NOS DIZER QUEM SOMOS?

Até quando vamos permitir esse circulo vicioso de nos mostrarem um caminho para nossas próprias vidas? Porque ainda pagamos pelo mapa da mina, se o tesouro está todo dentro de nós mesmos?

Ta certo, você faz um curso porque quer conhecer novos caminhos. Isso é certo. Porém, não soube em momento algum que Jesus, Buda, Mahatma, Madre Tereza, e tantos outros cobraram para dar um conselho, orientar ou ensinar a espiritualidade a ninguém.

ESPIRITUALIDADE NÃO SE COMPRA. ASCENSÃO, ELEVAÇÃO ESPIRITUAL NÃO ESTÁ A VENDA.

Pseudos grupos religiosos, lideres, professores, ensinadores, se encontram sempre na margem de algum impulso espiritual, enganando os outros, com fenômenos externos e meios rápidos de “iluminação”.

Há instrutores que desencaminham e desiludem, decepcionam com seus encantos, poções, banhos, cristais, o inocente que os procura.

Impondo a estes que o conhecimento pode ser comprado como se fosse um objeto decorativo para sua casa interna. Esses falsos mestres fingem ser iluminados e pregam, ensinam, orientam e cobram vergonhosamente a título da mestria que pensam ter.

Porém estes mesmos mestres quando a vida lhe impute dores, sofrimentos, tormentos de alma se vêem perdidos porque perderam a sua essência e o dinheiro arrecadado de nada lhes vale. E somente aí percebem que tanto faz uma pilha de um milhão de moedas, como uma pilha de dez moedas arrecadadas. Elas não o livrarão do mal cultivado e se voltarão mais dia menos dia para o seu eu interior buscando o mapa que venderam a outros, os ensinamentos que receberam por intuição e mérito, mas não o encontrarão, porque os venderam.

Os verdadeiros mestres jamais receberão um centavo por seu trabalho, e as portas do templo coração para eles estarão sempre abertas.

Já o “mestre” assalariado pelas dores e infortúnios do próximo, estará perdido e em dado momento o karma lhe será pesado na grande balança cósmica das causas e efeitos.

Diante disso, eu falo por experiência própria que não adianta o outro rezar por mim se eu não ouvir a prece em meu coração. Não adianta eu ler milhões de livros somente com os olhos, se eu não deixar esse conhecimento fazer parte de meu dia a dia, num exercício de melhoramento.

A reforma é íntima, o conhecimento é gratuito e o Pai nos dá diariamente através de experiências, sinais; basta que estejamos abertos para aprender e quando possível passar adiante esses conhecimentos ainda que poucos, a qualquer ser que nos procure. Sem cobrança financeira ou psicológica, sem causar dependência psíquica no outro que esquecido da mestria que lhe cabe, talvez tenha muito mais a nos ensinar do que pensamos saber e conhecer.

A quantos buscam o conhecimento espiritual eu digo veementemente. Não paguem por um conhecimento que é seus por direito divino. Basta crer, estudar (sim, claro) fazer cursos (ótimo), mas com a consciência de que tudo já está dentro, bem dentro de nossas memórias akashicas e só nós mesmo poderemos despertar essas lembranças.

Quando o discípulo está pronto, o mestre aparece. E geralmente o mestre que surge, vem de dentro, porque a sabedoria divina dotou a cada um de nós da mestria, estejamos nós lembrados disso ou não. Despertos ou não.

E eu acredito nisso com todas as forças do meu coração. E apesar de estar dando os primeiros passos em direção ao meu crescimento interno , não pagarei para aprender quem eu sou, porque isso foi me dado como direito divino, de forma gratuita e amorosa.

Cira Munhoz.

ciramunhoz@hotmail.com

Abri um espaço para os textos enviados pelos leitores do Blog MINHA MESTRIA. Compartilhe enviando o seu para: minhamestria@gmail.com.
CLIQUE AQUI para acessar outros textos de leitores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails