((((* "O QUE VEM SEMPRE ESTEVE AQUI, A PAZ ESTA DENTRO DE TI E SO VOCE PODE TOCALA, SER A PAZ SHANTINILAYA, NADA EXTERNO LHE MOSTRARA O QUE TU ES. NADA MORRE POR QUE NADA NASCEU, NADA SE DESLOCA PORQUE NADA PODE SE DESLOCAR VOCE SEMPRE ESTEVE NO CENTRO, NUNCA SE MOVEU , O SILÊNCIO DO MENTAL PERMITE QUE VOCÊ OUÇA TODAS AS RESPOSTAS" *)))): "ESSÊNCIAIS" "COLETÃNEAS " "HIERARQUIA" "PROTOCÓLOS" "VÍDEOS" "SUPER UNIVERSOS" "A ORIGEM" "SÉRIES" .

terça-feira, 21 de setembro de 2010

E AGORA??? - DAVID MARINHO

e agora??? - Dvid Marinho



Beleza, já abri um olho! Comecei a despertar. E agora?

"E agora?"... Pense numa perguntinha chata! Infelizmente eu não vou saber responder... Mas é repetindo ela insistentemente que se começa a chegar às repostas.

Sim, eu sei, é tão angustiante... (Nem me diga!) É encarar o fato de que o nosso destino está nas nossas mãos, e de mais ninguém. Que não temos mais quem nos aponte as direções. Que não temos mais nada nem ninguém para responsabilizarmos pela nossa própria inércia, pelos nossos tropeços, pelo nosso atraso, pela nossa dor. Que não vai ter mais nada para nos distrair do caminho da Verdade, a não ser que nós mesmos determinemos assim.

Pois é, temos que assumir, é o jeito... É tudo "culpa" nossa. "E agora?", a pergunta que não quer calar...

Tive uma idéia: vamos exigir a devolução do nosso Livro do Destino, seja lá pra quem o emprestamos; vamos grampear os pedaços juntos, caso ele tenha sido dividido entre mais de um, e voltar a ser os únicos autores dele.

É verdade, não dá pra apagar as páginas que escreveram por nós... Mas olha só: podemos escrever um FIM bem grande e a qualquer momento iniciar uma nova história protagonizada por nós mesmos, totalmente independente da história anterior. Fora o personagem principal, podemos mudar o enredo, o ambiente, a linguagem e até os atores coadjuvantes, se acharmos necessário. A tinta não acaba, não precisa ter medo de escrever "errado" quantas vezes forem necessárias.

Não vamos nos preocupar com o desfecho da nova história, vamos curtir o prazer de exercitar essa nova etapa da nossa escrita, criar as cenas mais incríveis e emocionantes. Quantas mais, melhor. As mais diversas e inimagináveis. Em algum momento uma delas (ou várias) certamente dará margem a uma trama fascinante!

Também não vamos nos preocupar com a publicação do livro. A indústria tem dado pouco espaço para as obras realmente emocionantes ("Não vende", eles dizem), e estas provavelmente não virariam best-sellers. Tampouco pensemos em ter leitores, pois a maioria daqueles que estão preocupados em ler as histórias alheias, é porque estão tendo dificuldades (ou preguiça) em criar a sua própria.

Não podemos esquecer também de fazer a crítica de nossa obra, regularmente, em tempo real, estudando os passos do personagem principal, conhecendo-o melhor a cada página e percebendo os seus momentos de insucesso. Assim evitaremos colocá-lo em outras enrascadas - o personagem somos nós mesmos, lembram? Você se colocaria em fogo cruzado, se pudesse evitar? Ops, você pode! :)

Às vezes vamos encontrar colegas escritores sem muita inspiração, e com todo carinho podemos estudar com eles os elementos básicos de uma narrativa, ou de repente até sugerir algum ambiente, um personagem coadjuvante, um jeito diferente de escrever... Porém com muito cuidado para não acabar escrevendo a história por eles. Só nos interessa escrever o nosso próprio Livro do Destino. Quem escreve no do outro acaba deixando o seu de lado...

Se começarmos a não gostar da nova história, se não tiver reviravolta que costure novamente os fios da trama, sem problemas! Rabisquemos outro grande FIM e partamos para um novo começo. Tudo novo, de novo! Eba!

A tentação de ficar olhando para a história anterior é grande, e se ela ficar irresistívelel podemos arrancar as páginas velhas e guardar numa gaveta. Quando a nova história estiver bem encaminhada, restituimos as páginas arrancadas. Quem sabe até aproveitemos algumas cenas, trágicas no passado, mas que agora parecem estar recheadas do mais legítimo humor pastelão!

"E agora?" será o nome de um desses capítulos bem engraçados. Vai ser um clichê comum a todos os livros, praticamente um prólogo que antecede o verdadeiro começo da história.

E assim a Nova Biblioteca Mundial de Gaia se fará com os mais belos livros - exemplares únicos - que carregam as mais grandiosas histórias de gente que resolveu dar um passo à frente, sem olhar para trás.

Então, mãos à obra - literalmente!

David Marinho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails