((((* "O QUE VEM SEMPRE ESTEVE AQUI, A PAZ ESTA DENTRO DE TI E SO VOCE PODE TOCALA, SER A PAZ SHANTINILAYA, NADA EXTERNO LHE MOSTRARA O QUE TU ES. NADA MORRE POR QUE NADA NASCEU, NADA SE DESLOCA PORQUE NADA PODE SE DESLOCAR VOCE SEMPRE ESTEVE NO CENTRO, NUNCA SE MOVEU , O SILÊNCIO DO MENTAL PERMITE QUE VOCÊ OUÇA TODAS AS RESPOSTAS" *)))): "ESSÊNCIAIS" "COLETÃNEAS " "HIERARQUIA" "PROTOCÓLOS" "VÍDEOS" "SUPER UNIVERSOS" "A ORIGEM" "SÉRIES" .

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

DEPRESSÃO OU POBRE DE MIM? - RAVENA

depressão ou pobre de mim...


Aprendi muito nos últimos tempos, lendo muitos livros, conhecendo muitos blogs, devorando alguns textos e mais textos e praticando no dia a dia um pouquinho do que tenho devorado. Porque não adianta ler e não entender, se você não entendeu, leia quantas vezes for necessário, até que pelo menos um pouquinho do que você leu, seja visto na prática por outras pessoas. A Laura Botelho diz que um corpo doente é um corpo que NÃO está em equilíbrio. Simples assim.

Como tudo na vida é muito simples e nós complicamos tudo, quero falar hoje sobre a maior das complicações da atualidade: A depressão.

O sentimento de fragilidade e abatimento é na verdade um não desenvolvimento da auto estima. É a incapacidade que o indivíduo tem de conseguir ficar bem. Algumas pessoas até tentam sair desse estado, mas a situação já ficou tão mecânica, é tão automático permanecer no baixo astral, que elas se acostumam com as sensações produzidas pelo corpo, pela mente e se colocam na eterna posição de vitima.

Elas esperam tudo dos outros, não se amam, não se valorizam, não são alegres, porque cultivam a tristeza e a melancolia no dia a dia, não compreendem, não perdoam, não conseguem estar em paz consigo e esperam que os outros, o marido, o filho, os amigos, o chefe, a sogra, o vizinho, faça o que elas próprias não conseguem fazer por si mesma.


Estão em guerra interior e disseminam tristeza, lágrimas e reclamações por toda a parte. O corpo fica tão viciado nessas sensações- emoções que chegam a influenciar os componentes químicos liberados pelo cérebro, por isso o uso de anti depressivo faz algum efeito temporário nessas pessoas, mas claro, não cura a causa, porque a causa não está no cérebro, está na mente, no coração, na alma.

Partindo do princípio de que se estamos desequilibrados, tudo fica desequilibrado, a mente está desequilibrada e ninguém consegue achar uma solução desequilibrado, então se você focar na doença-depressão, só atrairá mais doença.

Por exemplo: de uma depressão que poderia ter sido passageira vira uma síndrome do pânico. A depressão nada mais é que tristeza por todo o corpo. E você focou tanto na tristeza, deu tanta importância a esse sentimento que ele cresceu.

Os remédios aliviam os sintomas mas não curam a causa. Mas você pode, basta não focar na doença, o vitimismo nos arrasta para o buraco, quanto mais vitima nos sentirmos, mas no fundo do buraco caímos.

Faça uma análise de si mesmo, identifique onde tudo começou, só você pode fazer isso, sempre existe um estopim, ficamos tristes quase todos os dias por diversas situações, mas nem todos permitem que ela se alastre. Nem sempre tudo acontece como você planeja, o mundo não é cor de rosa e se as coisas não estão do jeito que você gostaria, a culpa não é do mundo azul, cinza ou do seu vizinho, é preciso compreender que nem sempre conseguimos as coisas do jeito que queremos e agir como crianças, fazendo birra, chorando, reclamando não mudará as coisas e sim tornará tudo pior.

Infelizmente algumas pessoas gostam do estado depressivo, porque despertam a piedade alheia, ganham atenção das pessoas que a cercam. “Coitado, ele está em depressão! Opa, será que os depressivos enxergam essa “atenção” como um benefício carinhoso, afinal são poupados e bajulados em função da doença. SEJA SINCERO com você, analise-se, você se enquadra nessas situações?

Quer ser aceito, mas não se aceita.
Quer ser amado, mas não se ama.
Quer ser compreendido, mas não compreende.
Quer ser alegre, mas vive de mal humor.
Quer ser conhecido, mas não se conhece.

Só você pode modificar tal situação, não culpe ninguém e principalmente não se culpe, mas exerça sua responsabilidade sobre sua vida, sua condição emocional, modifique os comportamentos que favorecem a tristeza e o vitimismo.

Sabe o que intensifica a condição de tristeza e de “pobre de mim”?

O melindre, pessoas que se magoam com facilidade por qualquer motivo, dramatizam tudo. O melindroso é igual burro quando empaca, não sai do lugar, porque uma palavra, um gesto, uma frase atravessada ou mais enérgica que o contraria, abalam sua estrutura infantil e mimada e quando um mimado não consegue o que quer, ele chora, fica triste, faz chantagem emocional, faz birra e não aprende nas diferentes situações e lições que a vida oferece. Não sai do lugar, porque acha que tudo e todos estão contra ele.

A depressão não deixa de ser um estado cômodo de viver a vida, uma desculpa para não se desafiar, não buscar, não mudar, não se melhorar.

Pessoas com boa energia, otimistas, bem humoradas, pró ativas, corajosas, atraem boas oportunidades e não as repelem. Você é dono da sua vida, não fique remoendo seus temores, alimentando raiva, tristezas, atitudes negativas. Não fique remoendo seus problemas.

Trabalhe sua ansiedade. Não pense no futuro, o tempo é o agora, o passado já foi, e o futuro "ainda não existe". O que existe é o hoje, o agora, a física quântica nos ensina que estamos imersos em infinitas possibilidade do AGORA, basta querer, você precisa estar convicto do que deseja.

Você só precisa de equilíbrio. Encontre algo que você goste muito de fazer, se entregue a isso, pense no hoje. Quem sabe um trabalho voluntário, enxergar os problemas alheios de perto, nos faz enxergar nossos problemas de maneira diferente.
Ocupe sua mente com atividades que te fazem bem ao coração e não haverá espaço para o medo. O estado depressivo irá embora como chegou. Confie no seu poder de auto cura, no poder do equilíbrio.

CONFIE EM VOCÊ MESMO, sua intuição é o seu guia e quando você menos esperar, conseguirá se equilibrar, não prometo equilíbrio constante, porque nada é constante, vibramos em intensidade diferente milhões de vezes por dia.

Mas se a sua vontade é equilíbrio e cura, será feito a sua vontade!

A sensação de raiva, medo, ódio, tristeza, libera trocentas químicas no nosso corpo, que levam apenas 90 segundos para percorre-lo todinho através da corrente sanguínea, o normal seria que essas sensações fossem embora durante esse curto período, mas nós conseguimos estender essas sensações negativas por horas, dias, meses, anos e nos afundamos em sentimentos que nos fazem mal e nos deixam doentes. Lembre-se disso quando uma dessas sensações estiver a te rondar.

Você pode deixar essa doença-comportamento ir embora ou cultiva-la, seus problemas não se resolverão num piscar de olhos, mas ficarão mais interessantes, você os enxergará como DESAFIOS a superar corajosamente e não como dramas de uma vida real. Não existe minha doença é, mas meu comportamento é...

Dê a você mesmo aquilo que você espera dos outros. Aprenda a se amar, se perdoar, se compreender, se aceitar, valorize-se, conheça-se. Empenhe-se em focar sua atenção em você e não espere isso dos outros. Você sempre atrai o que envia ao Cosmos.

Eu tive que apelar para uma música "brega", aquele que a maioria torce o nariz, mas sabe cantar de trás pra frente...he he..
Mas o que importa mesmo é a mensagem.

Beijão no coração

Ravena



http://evoluindo-sempre.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails