((((* "O QUE VEM SEMPRE ESTEVE AQUI, A PAZ ESTA DENTRO DE TI E SO VOCE PODE TOCALA, SER A PAZ SHANTINILAYA, NADA EXTERNO LHE MOSTRARA O QUE TU ES. NADA MORRE POR QUE NADA NASCEU, NADA SE DESLOCA PORQUE NADA PODE SE DESLOCAR VOCE SEMPRE ESTEVE NO CENTRO, NUNCA SE MOVEU , O SILÊNCIO DO MENTAL PERMITE QUE VOCÊ OUÇA TODAS AS RESPOSTAS" *)))): "ESSÊNCIAIS" "COLETÃNEAS " "HIERARQUIA" "PROTOCÓLOS" "VÍDEOS" "SUPER UNIVERSOS" "A ORIGEM" "SÉRIES" .

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

CONCEITOS DIFERENCIADOS - M. MARQUES

conceitos diferenciados


Cada vez mais, apercebo-me das barreiras da dialéctica frequentemente, nos debates em amenas cavaqueiras que se proporcionam, face aos acontecimentos exteriores que se sucedem. Apresentam-se soluções, devia fazer-se isto, aquilo, enfim um sem número de decisões, que não resolveriam nada do que se propõem resolver. Soluções pela palavra imposta nas diversas directivas legais, que apenas abrangem precedentes que apenas abrem mais "buracos" ainda e não a consciência de Ser, sem recurso a leis externas forjadas e forçadas. Da surdez tão proeminente às palavras interiores e ao cepticismo da evolução da alma, distancio-me no silêncio. Palavras e mais palavras...

Elas encerram conceitos diferenciados pelo reconhecimento dos mesmos, de acordo com a consciência de cada um, em cada momento. Conceitos numa dimensão fechada, rasa, alargada, elevada ao abstracto ou à filosofia aberta em todas a suas vertentes ou outra que agora não me ocorre e que poderá acrescentar. Certo é que as palavras pra uns são estanques na mensagem que passam, são limitadas ao seu significado popular e ou etimológico... pra outros um voo onirico, a criação duma outra realidade no seio da realidade comum, a trascendência a outro plano, a porta que abre ao desconhecido... que se dá a conhecer.

Quantas vezes em conversas as pessoas pensam uma coisa e ao procurar comunicá-la dizem outra. Quantas vezes o interlocutor escuta uma coisa e compreende outra. E quantas vezes não percebem coisa nenhuma e nada dizem guardando pra si juizos próprios, totalmente díspares e distorcidos. Imensas, e é esta comunicação desnivelada que quase sempre, está na base da incompreensão e no desconhecimento de tantos. No desconhecimento de Si.
Ele chama, quem dentre os homens O ouvem sem palavras?...
Seria tão mais simples!
Espero hoje o meu neto na lingua universal, que só um bébé traz!

Um abraço!

M. MARQUES

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails