((((* "O QUE VEM SEMPRE ESTEVE AQUI, A PAZ ESTA DENTRO DE TI E SO VOCE PODE TOCALA, SER A PAZ SHANTINILAYA, NADA EXTERNO LHE MOSTRARA O QUE TU ES. NADA MORRE POR QUE NADA NASCEU, NADA SE DESLOCA PORQUE NADA PODE SE DESLOCAR VOCE SEMPRE ESTEVE NO CENTRO, NUNCA SE MOVEU , O SILÊNCIO DO MENTAL PERMITE QUE VOCÊ OUÇA TODAS AS RESPOSTAS" *)))): "ESSÊNCIAIS" "COLETÃNEAS " "HIERARQUIA" "PROTOCÓLOS" "VÍDEOS" "SUPER UNIVERSOS" "A ORIGEM" "SÉRIES" .

segunda-feira, 28 de junho de 2010

TERCEIRA TEMPORADA DOS JOGOS

Terceira Humanidade - Plêiades – Terceira e Última longa Temporada dos JOGOS!

Constelação das Plêiades.
Sistema Estelar do Sol
Planetas: NIBIRU, TIAMAT, TERRA

Após a destruição de Avyon, a Linhagem de Amelius foi transferida para Nibiru. Isto foi feito levando uma filha da Casa de Avyon para outro planeta Pleiadiano, para se casar exatamente antes da destruição de Avyon. Porém, há controvérsias…

A criança nascida da união da filha da Casa de Avyon para outro planeta pleiadiano foi Niestda, o futuro primeiro governador/comandante de Nibiru.

A Federação Galáctica foi formada antes da criação de Nibiru e depois da destruição de Avyon - que foi um fator determinante para sua formação. A criação de Nibiru foi um dos primeiros e mais importantes feitos da Federação Galáctica.

A Federação Galáctica percebeu a necessidade de uma força-estelar para patrulhar a galáxia, com capacidade para manter a paz. Havia muitos conflitos com os Répteis durante o tempo anterior à destruição de Tiamat, porém foi a destruição das colônias Reptilianos em Tiamat que deu início à Grande Guerra Galáctica. E hoje se diz assim: não se deve fazer a guerra para promover a paz! Talvez seja verdade…

Esta guerra duraria muitos milhões de anos e envolveria a galáxia inteira. Nenhum sistema estelar ficaria a salvo dos danos causados pelo conflito. Por favor, lembre-se: isto é a integração das polaridades em ação. Deve-se experimentar ambos os lados antes de se poder integrá-los.
A Grande Guerra Galáctica proporcionou um perfeito tabuleiro para jogar o jogo. Todas as almas no universo naquele momento tiveram a oportunidade de encarnar em ambos os lados para adquirir experiência, inclusive o Avyonianos, femininamente polarizados.

Passaram-se dezessete gerações, de Niestda, que foi o primeiro comandante/administrador de Nibiru, até quando o comando de Nibiru foi dado a Anu. Isso ocorreu depois que Alalu, seu meio-irmão, foi convidado a se demitir, a pedido do Conselho Nibiruano da Federação Galáctica, pois já não podia atender às necessidades do povo e à situação naquele momento.

Devido a origem reptiliana dos nibiruanos, a família de Anu acabou tendo diversos conflitos armados com outros povos dentro das Pleyades e fora dela. Como no caso do quadrante nas proximidades de Aldebaran, de Touro e de Rigel, de Órion, a maior parte por conquistas de planetas e questões de ordem racial e egocêntrica. Os reptilianos precisam ser os donos do mundo, os primeiros, os conquistadores maiores… tudo isso segundo o mito de criação deles.

Também, todos esses conflitos aconteceram, devido a diversos aspectos de ordem política que estavam sendo sustentados pelos diferentes grupos de poder tecnológico dentro da nossa galáxia e de outras dentro do que os Confederados denominam de Universo TETA. Os Confederados de certa forma, protegiam a família de Anu e o genoma puro da linhagem humana trazida supostamente por esta família!

Muitas coisas erradas do passado e enganos severos que geraram a atual situação da nossa civilização. Erros cometidos com base na política desequilibrada e egocêntrica do povo nibiruano e da postura social que as Pleyades sustentaram durante milhões de anos dentro de suas diversas famílias.

Nibiru também era habitado por uma raça de seres de Órion, o planeta dos repitilianos, estes seres eram os Anunnákis. Neste momento em que eles se dirigem à Terra (450mil anos atrás), é justamente o momento em que estão procurando um novo lar. Esses seres tinham uma vida muito longa, mas para continuar a espécie precisavam de novo material genético.

A matriz genética não estava disponível em Órion por conta das destruições causadas pela Guerra. Mas esses seres haviam acoordado com a Federação manter a linhagem pura do genoma humano, a linhagem de Amélius e precisariam de um novo lar e material genético para cumprir o acordo. Essa é a família de Anu que institui a Raça Branca na Terra.

Lembrem-se a linhagem de Amélius foi transferida para Nibiru através da princesa ainda desconhecida que foi levada para Nibiru para se casar também não se sabe ainda com quem, logo antes da destruição de Avyon – o planeta lar dos Humanos Lyrianos. A família de Anu é uma grande mistura e até a sua linhagem real é humana reptiliana – Anu e sua esposa Antu e o seu herdeiro o primogênito Enlil.

Por razão de todos estes interesses sobre a humanidade e a Terra, que agora nos chegam as mensagens sobre a nossa origem estelar e do por que foi permitido tanto abuso com a humanidade, tanto da parte da família de Anu como da de outros povos. Para que a realidade maior seja vista pelas pessoas, pois agora é chegado o tempo em que a humanidade, ao menos parte fundamental dela, ganha poder de decisão diante de todas estas circunstâncias, porém ainda assim são muitos os interesses e manipulações a que continuam submetidas a maioria das pessoas, entre elas a manutenção da ignorância.

Inicialmente a questão da ética e da expansão dos impérios estelares, desenvolvia uma linha própria de interesses entre cada raça e a busca da liderança tecnológica e independência em relação aos grupos filiados a Federação Interestelar e as diversas casas de Comércio. Cada grupo desses buscava de forma secreta burlar as diretrizes da Federação que tinham sido herdadas dos seres de outras dimensões superiores da referida Confederação Intergaláctica. Seres que se diziam serem os semeadores do universo visível e invisível. Mas que não eram assim aceitos por todas as raças.

Porém todas as raças sabiam que isso era uma grande possibilidade, frente a tecnologia que utilizavam que estava a frente de muitos outros povos e sabiam ainda da tecnologia dos Sirianos que era bem superior a de todas essas raças presentes na galáxia.

Por essa razão dava-se crédito a essa Confederação, ao mesmo tempo em que se tentava esconder as tarefas e atividades que não estavam de acordo com as diretrizes de não interferência e não abuso do poder. Como cada grupo estelar dentro de seu crescimento pessoal e individualista agia da mesma forma, conseguiram durante milhares de eras do nosso tempo, enganar a Confederação.

Mas somente com o tempo se deram conta que estavam era na verdade enganando a si mesmos e atrasando todo o processo evolutivo e entendimento das leis maiores do que podiam denominar de DEUS ABSOLUTO.

Intrigas e mentiras eram parte da estrutura colonial em toda a galáxia e em nosso planeta também o era. ENLIL, por exemplo, era o opositor político de Enki pela herança direta do poder. Eles eram irmãos de sangue por parte de pai - Anu, porém isso os tornou inimigos em muitas situações.
Por outro lado, dentro das Pleyades, a família de Anu – Enki e Enlil – tinha muitos inimigos e concorrentes políticos fortes, por essa razão, o exílio em Nibiru era muito vantajoso e estratégico, pois poderiam manter suas atividades fora da vista e auditoria dos grupos internos de vigília das Pleyades.

A família de Anu tinha poder e foi, na ocasião, muito conhecida dentros dos círculos de colonização dos grupos centrais nas proximidades de Órion. Porém isso gerava disputas importantes e os colocava em guerras sem sentido pelos planetas nesta região central da grande nebulosa de Órion e da estrela de VEGA, que representava o ponto de partida para muitas das raças geradas há milhares de eons. Isso inclui parte do genoma original da espécie humana ariana primordial da estrela de VEGA que foi um ponto político de suma importância.

Como a família de Anu, trazia o genoma humano original para implantação da raça ariana em nossa galáxia, mais especificamente na Terra, tinha grande prestígio na Federação Intergaláctica, que prezava pela continuidade e finalização dos Jogos de Integração das Polaridades.

Quando Anu assumiu o comando de Nibiru, o dirigiu para o nosso sistema solar e Tiamat. Tiamat tinha aproximadamente a mesma órbita que a Terra tem hoje. Era apenas um pouco mais longe do sol. Sendo o 12º planeta do sistema solar, Nibiru entrou no sistema solar em uma órbita contrária, conforme é o seu padrão orbital. Passaram por Netuno e Urano e, conforme se aproximaram de Saturno, deixaram a sua influência gravitacional os mover para uma posição que os alinhou com Tiamat.

Aproveitaram um satélite de Saturno e o arremessaram em direção ao meio de Tiamat com tal força que ela ficou inflada. Então dispararam um raio laser na fenda criada, na região dos geradores de fusão. O feixe de luz apagou os campos de força, e Tiamat se tornou sem vida.
Durante este tempo Anu estava em comunicação constante com seus superiores no Conselho Nibiruano. Recebeu a ordem para continuar com sua órbita regular e, quando chegou no sistema solar, deveria terminar o trabalho. Isto significava dividir Tiamat em dois, e desviar a metade superior para uma nova órbita, para ser reabilitada. Esta metade superior se tornaria a Terra. A metade inferior seria fragmentada e se tornaria o cinturão de asteróides.

O satélite de Saturno que haviam arremessado para destruir Tiamat, se tornou Plutão. Que foi desviado e colocado em órbita, lá foi estabelecido um posto avançado da Federação e de Nibiru, que seviria para determinar o estado das coisas no sistema solar.

Uma vez que Tiamat foi colocada “fora de uso”, não foram ouvidas mais muitas notícias dos Répteis durante algum tempo. A quase destruição de Tiamat foi um grande choque para eles, e eles precisaram de tempo para se recuperar. Só 2% dos Répteis sobreviveram, uma parte foi para os subterrâneos e outra foi levada para bordo de Nibiru.

Foram levados para Nibiru, os membros das famílias de Répteis dominantes que tinham sido expulsos pelo Conselho Reptiliano por não terem obedecido ao plano para destruir os Humanos.
Assim, com a cooperação dos remanescentes da Casa de Aln a bordo de Nibiru, Anu partiu para a sua próxima missão: a destruição do Planeta Real Reptiliano, Aln, na constelação de Órion.
Quando os Répteis se recuperaram do choque da destruição de Tiamat e Aln, a Grande Guerra Galáctica começou. Os reptilianos decidiram que os Humanos nesta Galáxia tinham que ser destruídos para a paz reinar. Eles armaram Maldek, o planeta/posto-avançado militar deles em nosso sistema solar, para fazer justamente isto.

A metade superior de Tiamat, agora chamada Terra, foi reabilitada e novamente semeada pelos Felinos. Eles, com a ajuda dos Sirianos Crísticos, semearam plantas, animais, e uma nova raça guardiã da Terra. Uma vez mais a raça guardiã da Terra, em evolução, foi protegida pelos Sirianos Terrestres. Mas desta vez havia uma diferença: os Sirianos Etéricos tinham seus irmãos e irmãs, os Sirianos Aquáticos, também no planeta.

Assim, havia os Sirianos Crísticos trabalhando com a Hierarquia Espiritual para vigiar o planeta, os Sirianos Aquáticos mantendo a biosfera, e os Sirianos Terrestres protegendo a nova raça guardiã da Terra, que estava em evolução.

Alguns milhões de anos depois da re-semeadura da Terra, uma nova colônia Humana, chamada Hybornea, foi estabelecida. Os colonos humanos vieram de todas as partes da galáxia, e Hybornea sobreviveu e cresceu durante quase um milhão de anos. Era uma colônia de Lyrianos/Sirianos e atraiu colonos que tinham inclinação pela polaridade feminina. Os Hybornianos tentaram ajudar os Mutantes (metade animal – metade Sirianos Etéricos) e conseguiram libertar alguns deles do ciclo animal, mas ainda faltavam muitos para serem libertados.

Hybornea foi destruída pelos Répteis em um ataque massivo. Eles lançaram seus ataques de Maldek, que depois foi destrído por Nibiru. Maldek é agora parte do Cinturão de Asteróides, junto com a metade inferior de Tiamat.

A destruição de Hybornea alimentou ainda mais a fogueira da Guerra Galáctica. Esta seria a grande batalha final. Nibiru foi ordenado a destruir Maldek e colocar os Répteis para fora de seu sistema solar pela última vez. Anu fez isto, mas não antes que os Répteis tivessem destruído as colônias Humanas em Vênus e Marte, e tivessem deixado ambos planeta inabitáveis.
A destruição de Maldek trouxe o fim à Guerra Galáctica.

A destruição de Maldek custou a Nibiru a destruição de seu próprio campo de força protetor, devido à grande quantidade de armas atômicas usadas pelos Répteis em seus ataques. Maldek foi destruído e Nibiru foi severamente avariado, e seus habitantes estavam morrendo aos milhares. O único modo de salvar a grande força-estelar da Federação Galáctica era encontrar grandes quantidades de ouro para mantê-lo em suspensão no campo de força ao redor de Nibiru. Isto protegeria a força-estelar da radiação que varria o espaço.


CONTINUA EM HISTORIA recente  NA SEÇÃO "A ORIGEM"

http://a-casa-real-de-rigel.blogspot.com/ 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails