((((* "O QUE VEM SEMPRE ESTEVE AQUI, A PAZ ESTA DENTRO DE TI E SO VOCE PODE TOCALA, SER A PAZ SHANTINILAYA, NADA EXTERNO LHE MOSTRARA O QUE TU ES. NADA MORRE POR QUE NADA NASCEU, NADA SE DESLOCA PORQUE NADA PODE SE DESLOCAR VOCE SEMPRE ESTEVE NO CENTRO, NUNCA SE MOVEU , O SILÊNCIO DO MENTAL PERMITE QUE VOCÊ OUÇA TODAS AS RESPOSTAS" *)))): "ESSÊNCIAIS" "COLETÃNEAS " "HIERARQUIA" "PROTOCÓLOS" "VÍDEOS" "SUPER UNIVERSOS" "A ORIGEM" "SÉRIES" .

quarta-feira, 30 de junho de 2010

NOSSA ORIGEM FELINA E A CASA REAL DE AVYON


DEVAIN
FELINOS ( raça raiz )


http://minhamestria777.files.wordpress.com/2010/10/felino1.jpg?w=200

Eles são de um universo que já se completou. Chegaram em nossa galáxia quando ela estava sendo construída. Foram convidados pelos Construtores e pela  "HIERARQUIA" Espiritual Universal para serem os mestres geneticistas do nosso universo. Eles residem em uma estrela na constelação de Sírius conhecida como Sírius A e não devem ser confundidos com os Humanos que colonizaram Sírius B. 

Eles viviam em Sírius A muito tempo antes dos Humanos de Lyra chegarem.
Eles criaram todas as formas de vida nos planetas e estrelas em nosso universo. Isto inclui vegetação, animais, e os veículos físicos que as almas usam para sua encarnação.

Eles são seres altos, com cabelos vermelho-dourado e, normalmente, olhos castanhos ou verde-dourado. Os Felinos são seres poderosos, altamente evoluídos, amorosos, gentis e de natureza benevolente. Quando nos ferimos em batalha, vamos até eles para nos curar, pois eles são os doutores do universo. Eles nunca tomam partido em qualquer guerra, pois já completaram as lições de integração das polaridades e Amor Incondicional. 


Eles também cuidam das almas que sofreram severos danos emocionais nas encarnações e que são enviadas aos Felinos para serem tratadas depois da morte.
 
Os Felinos vivem na 6ª dimensão para executar o trabalho deles, embora sejam seres de dimensões mais elevadas. A 6ª dimensão é a dimensão da criação, onde a energia torna-se física. 

Os Felinos trabalham muito unidos com as Hierarquias Espirituais dos diferentes planetas e galáxias em nosso universo. 

Quando é decidido que uma alma-grupo precisa de um planeta e um veículo físico para encarnação, são os Felinos que são nomeados para a tarefa de preparar o planeta e criar os corpos. Houve tempos em que eles também criavam planetas.
 
Os Felinos são fortemente envolvidos com a história de vocês. As esfinges encontradas ao redor do mundo são uma lembrança da existência e do envolvimento deles. 

Você alguma vez se perguntou por que o leão é o rei da selva, embora ele não seja o maior? Os Felinos deixaram os leões e todos os gatos para serem os transmissores de informação para Sírius A. 
 
Os leões em particular, foram transformados em reis da selva para que eles não fossem dizimados e pudessem, então, continuar sendo transmissores de informação ao longo dos muitos milhares de anos que a Terra e os seres humanos precisariam para completar o Plano Divino deles.

Os Gatos são o vínculo de informação entre a 3a. e a 6a. dimensão. Muitos de [vocês sabem que freqüentemente os reis e rainhas tinham um gato de algum tipo como companheiro constante. Antigamente os Faraós do Egito eram guiados pelos Felinos através dos seus gatos. 


Se você vê alguém que tem o que vocês chamam de “olhos de gato”, isto provavelmente é porque eles são parcialmente de origem Felina.

APRESENTAMOS
Os Felinos ( o Povo Leão)
Raça paterna dos Humanos




Os Felinos são uma das duas raças primárias do nosso universo. Eles chegaram aqui por convite dos Fundadores. Tendo sucesso em completar seu Jogo Universal e completando o universo deles, um grupo de 45 Felinos voluntários vieram para este universo para ajudar a desenhar e supervisionar o mesmo jogo aqui.

Os Felinos são uma raça bípede que têm 12 a 16 pés de altura. Sua pele é coberta por uma espécie de penugem macia, e embora eles não tenham pelo, eles têm manes e ambos machos e fêmeas tem cabelos longos.

Seus olhos variam a cor varia do azul ao ouro e podem mudar do azul para o ouro, conforme amadurecem. Eles também transformam-se de ouro marrom para branco.
O Felino padrão tem o temperamento quente, sanguíneo e intelectual. Logo que eles amadurecem eles ficam mais sombrios, introspectivos e a natureza mais gentil. Os anciões são reverenciados por sua sabedoria, compaixão e discernimento.

Como uma raça, eles são extremamente próximos e tem um grande senso de justiça. Os femininos são reverenciados e honrados e com igual status que os masculinos.E verdade que da forma felina, todos eles são muito curiosos e inquisitivos.

Como parte dos Jogos Universais, os Fundadores deram aos Felinos um novo planet ana Constelação de Lyra para ser a sua casa. Os Felinos chamaram este planeta de Avyon. Essa não é exatamente a pronúncia, nem a escrita, mas é próximo o suficiente. O nome verdadeiro não pode ser traduzido.

Avyon era um planeta paraíso com montanhas, lagos, rios e oceanos. Este planeta azul foi muito bom como o nosso presente planeta Terra em termos de variedade de vegetação e formas de vida.
Quando os Felinos chegaram, eles estavam na forma etérica, e por isso, passaram a fase de fazer evoluir um corpo físico com o qual pudessem residir no planeta. Depois de muitos milhões de anos, eles evoluíram o leão e outros felinos e começaram a encarnar nessas formas de vida.

Como parte do plano, uma parte do grupo original ficou como Felinos etéreos de forma a fornecer orientações aos encarnados. Eles seriam os equivalentes modernos de nossos dias ao que chamamos Seres Crísticos. Lembre-se, este era um planeta em 3D e uma vez que os felinos etéreos encarnavam, eles também ficavam sob o véu da amnésia que faz parte do funcionamento da terceira dimensão (3D)de um planta de livre arbítrio.


A medida que o tempo passou, e através de inúmeros ciclos de encarnação, os felinos desenvolveram uma linha de felinos que caminhava ereta e reteve a consciência dos seus homólogos etéreos graças à encarnações periódicas de alguns dos Felinos Etéreos, e o DNA de um bípede mamífero semelhante ao macaco, que foi evoluindo também neste planeta. 

Com o DNA do macaco - como o mamífero - os Felinos foram capazes de assumir uma forma mais próxima ao corpo humano, retendo a maior parte das características faciais e outras características dos felinos. Foi a partir desta passagem que se atingiu uma determinada fase que a linha genética conhecida como a Real Linha de Avyon, ou Casa de Avyon, entrou em prática.

Os Felinos etéreos continuariam voltando a encarnar para prover não apenas DNA para a modernização, mas ensinando e treinando seus irmãos e irmãs planetários no corpo nos elevados princípios dimensionais para não ficarem presos no inconsciente clico de encarnações animais.
Como você pode ver, o Felinos evoluiram em Avyon da mesma forma que os humanos evoluíram aqui na Terra. A única diferença é que o homem não ficaria preso no ciclo dos animais.

Em tempo, a consciência Felina tornou-se grande o suficiente para assumir as responsabilidades de guardiães planetários de seu mundo. Eles continuaram a evoluir e, eventualmente, desenvolveram a tecnologia de viagens espaciais e, em seguida, warp tecnologia. Seus irmãos e irmãs etéreos continuaram a agir como seus guias
Muitos deles tornaram-se geneticistas (uma especialidade Felina) e começaram a ajudar o desenvolvimento de formas de vida de diferentes tipos para os planetas e estrelas do universo.

 Alguns dentre eles se tornaram grandes exploradores espaciais e cientistas de diversos tipos.
Foi durante esta fase do seu desenvolvimento que os felinos voltariam a sua atenção para o bípede mamífero que eles desejavam tanto, e iniciariam um programa de melhoramento e cruzamento genético que iria dar-lhes uma alma, e, nesse processo criaram uma nova espécie que tornaria-se conhecida como Humanos.

Após inúmeros cruzamentos e melhoramentos genéticos, o Homem Adão foi criado. Havia duas estirpes, a estirpe cabeça vermelha sendo os mais ativos e energéticos, e a estirpe dos loiros de platina, sendo o mais naturalmente gentis e introspectivos.



Depois de muitos milhares de anos de cuidadosos cruzamentos e reproduções contínuos, o Felino / Humano híbrido começou a ser mais comum na linhagem real dos Felinos, A Casa de Avyon, mais que os Felinos puros. No entanto, este era o plano.

 
Em tempo, a raça pura dos Felinos passaria a ser os antigos ancestrais dos seres humanos com suas características genéticas apenas como um lembrete da ligação entre eles. E, embora as relações genéticas entre os felinos e seres humanos tenham sido esquecidas pelo homem moderno, os Felinos permanecem em nossa consciência como uma criatura real, digno do nosso respeito e amor.

Os felinos continuam a ser os amorosos e guardiões de apoio de seus tutores genéticos descendentes, os seres humanos. Eles continuaram neste papel através dos tempos e de todas as dimensões do Jogo Universal.

Devin (Felino) é o patriarca da reinante da Casa Real de Avyon da 9D, e Anu (Humano) é o patriarca da reinante da Casa Real de Avyon neste momento.

 
NOTA: VEJA MAIS EM 1°, 2° E 3° TEMPORADA DOS JOGOS UNIVERSAIS DE INTEGRAÇAO DE POLARIDADES.
"A ORIGEM"

http://a-casa-real-de-rigel.blogspot.com/

A Linguagem Universal de Vida.- telepatia.




















Linguagem Universal de Vida.

O Dr. Lyall Watson, autor de Super Nature e The Romeo error, nos presenteia com pesquisas muito interessantes a cerca da telepatia.

Telepatia: Pathos é um termo grego que significa primariamente, moléstia, doença, mal, mas também paixão, inimizade, afeição. Ou seja, é um termo para descrever certos tipos de sensações (estar doente), ou emoções (paixão, afeto, aversão). Por conseguinte, telepatia vem a ser um mecanismo de transmissão, à distância, de emoções que, obviamente não precisam ser traduzidas em palavras.

No livro Super Nature ele faz observações bem explícitas acerca do processo de comunicação entre seres vivos.
Ele repetiu uma experiência que originalmente foi feita por Clive Bakster que acredita na existência de uma “consciência primária em todas as coisas” que Watson caracteriza como “linguagem universal da vida”.

Ele pegou 18 ovos e os colocou numa espécie de mesinha giratória. De vez em quando, por meio de um dispositivo inteiramente aleatório, um dos ovos soltava-se e descia, por uma canaleta, até uma vasilha de água fervente. Ele notou que o ovo ligado ao detector acusava imediata reação no momento em que o “companheiro” mergulhava na água fervente, mas nenhuma reação registrava quanto à queda dos demais 17 ovos, a não ser que houvesse ocorrido um espaço mínimo de 15 minutos. Qual a explicação?

Watson notou que o bloqueio não ocorria no ovo receptor ou seja, aquele que estava ligado ao detector, e sim nos 17 ovos que permaneciam na giratória e que interrompiam prontamente a comunicação logo que o “companheiro” mergulhava na água fervente.

A única explicação possível que ocorre a mente (designa Watson) é de que, quando o primeiro ovo cai na água e emite seu sinal de alarme, os outros 17 ovos, à espera de sua vez, “desmaiam” todos – e que são necessários 15 minutos para que eles se recuperem.

Watson lembra a tradição do Sioux, como também outros índios norte-americanos, que adotam certos rituais que somente agora começam a fazer sentido.
Quando se torna necessário preparar um novo “totem” para tribo, os mais velhos se reúnem e vão a floresta, a fim de conseguir uma boa árvore, com a qual possam elaborar a figura.

Encontrada a árvore, todos se aproximam cerimoniosamente em semicírculo, e “conversam” com ela, mais ou menos nos seguintes termos:
“Olhe aqui árvore, lamentamos muito, mas você sabe como é, importante para nós o nosso totem, e o antigo está estragado. Precisamos de um novo tronco... E então, escolhemos você!

Dito isso, sem olhar para trás, todos se retiram apressadamente, aproximam-se da 1° árvore que encontram mais ou menos semelhante àquela e a cortam pra fazer dela o desejado totem.

Não há dúvidas de que os índios sabem das coisas.
Relacionando isto com o comportamento dos ovos, Watson declara-se inclinado a concluir que, talvez todas as árvores da floresta desmaiam quando a primeira delas ouve sua sentença de morte.

Os índios cortam uma árvore “desmaiada” e portanto, anestesiada, para não lhe causarem dores desnecessárias, mesmo tendo em vista o nobre fim.

Claro que você tem direito às suas próprias idéias e explicações. Quanto a mim fico com Watson, que por sua vez está com os índios, que estão com os segredos da natureza!

Nossas mentes e corações estão abertos ao acesso de sentimentos, emoções, conflitos, alegrias, afeto ou aversão.
Podemos nos comunicar com os bebês, desde que nascem e até mesmo antes, sem o diálogo.
Podemos nos comunicar com a natureza, com os animais, porque estamos imersos no fluido universal.

Na telepatia não é necessário o diálogo, porque trasmitimos nossas emoções, nossos sentimentos.

Sabe quando você pensa muito em alguém e esse alguém te liga, aparece na sua casa... É a conexão que você estabeleceu com ela através do seu pensamento. Não é coincidência. Elas não existem.
O que existe é oportunidade de aprendizagem e a todo instante, provas do nosso poder de modificar e melhorar tudo a nossa volta.

Um dia alcançaremos as condições necessárias para que se utilize esse meio de comunicação.
É claro que a escolha é sua. Eu optei por abrir minha mente e aprender, aprender, aprender.
Espero que você faça a mesma coisa.

Li sobre essa pesquisa no livro Nossos Filhos São Espíritos de Hermínio C. Miranda, não é um livro psicografado e sim um livro de estudo com ótima seqüência de pesquisas e experiências científicas descritas pelo autor.


http://a-casa-real-de-rigel.blogspot.com/

terça-feira, 29 de junho de 2010

SNOW - 29-06-2010 - AUTRES DIMENSIONS

SNOW - 29-06-2010 - AUTRES DIMENSIONS



Eu sou Pluma Branca ou Snow.
Recebem o Amor de uma de suas Irmãs.

Irmãos e Irmãs presentes nesta assembléia, eu venho hoje, além mesmo da busca à qual eu os convidei, expressar certo número de elementos relativos à Terra e à natureza.

Os povos nativos, o meu, como tantos outros, sempre guardaram presente, em sua Consciência, a capacidade de perceber o Sopro da vida ou o Sopro do Grande Espírito.

Nós permanecemos próximos da Terra, por instinto e por intuição.
Porque nós sempre aceitamos que nossa vida nesse corpo era possível, de um lado, pela Terra, e de outro lado, pelo Sopro do Espírito e o sol.

Nós jamais procuramos outra coisa além desta harmonia.
Esta harmonia, certamente, não é, como o sabem, uma Verdade absoluta, mas, mesmo assim, na natureza as forças de Vida são muito mais facilmente captáveis e assimiláveis pela Consciência.


Hoje, a maioria dos seres humanos está cortada do Sopro do Grande Espírito na natureza, por seus modos de vida, por seu modo mesmo de encarar a Vida.

O dinheiro colocou, entre os homens, uma barreira e eu me explico: em minha tribo, como em todas as tribos e os povos nativos, quando você sonhava ou desejava algo que não tinha, era preciso propor outra coisa no lugar.

É a grande diferença, com relação ao que vocês chamam de compra ou de comércio e toda a diferença está aí, e ela é essencial.

Obviamente, não falaria do que jamais conheci, que vocês chamaram ainda de finanças, ilusão sobre ilusão.

Assim, portanto, quando um ser de meu povo queria algo, ele devia dar, no lugar, outra coisa.
Isso foi chamado de troca, que foi tão ridicularizada em suas sociedades.

Mas o importante não é a troca em si, era a intenção que estava por trás.

A saber, se eu queria, por exemplo, este bonito ornamento, esse belo animal, era necessário que eu fornecesse algo que era meu, algo que eu conhecia.

E, portanto, havia, nessa troca, uma relação que se estabelecia entre dois seres que trocavam e compartilhavam.
A relação era então direta.
Era um comércio equitativo e, sobretudo, pleno de sentido.

Então, hoje, vocês compram e compram, com algo que não foi criado ou que vocês não possuem.

O objeto que vocês cedem, na troca, é algo que lhes pertencia, que vocês cedem contra outro objeto.

Todas as sociedades tradicionais funcionam segundo esse princípio.
E aí está que o ocidental, desde algumas centenas de anos, não contente de ter criado, como pelas religiões, um intermediário na relação, além disso deram este intermediário todos os poderes sobre a relação.

Vocês perderam então o verdadeiro sentido da palavra comércio.

Então, certamente, àqueles de vocês que me responderiam que o valor de uma tenda não é o valor de um apartamento, eu responderia, certamente, a seus olhos, mas certamente não aos nossos.

E em nome de que o valor que vocês atribuem é mais real que aquele que nós atribuímos?

De fato, esse princípio de simplificação em todos os níveis, tornou tudo complexo.
A Vida se tornou algo que não é natural, porque é preciso ganhá-la.

É através dessas coisas muito simples, que são, para os povos nativos, tão evidentes, que vocês contribuíram, de algum modo, para manter e para desenvolver aspectos cada vez mais abstratos.

Nessa abstração, lhes parece que se desembaraçaram de certo número de obstáculos.

No início, quando tive a oportunidade de ver com meus olhos, por outro canal, quando compreendi que, ao invés de semear a Terra com suas fezes, vocês utilizavam da água limpa, não pude crer e, no entanto, era a Verdade.

Qual é o ser humano, no mundo ocidental, que tem consciência que ele polui a água ao invés de semear a Terra, deste modo?
Eu poderia multiplicar os exemplos ao infinito, mas meu objetivo não está aí.

Hoje, as coisas são profundamente diferentes com relação ao que vivi em minha última vida.
Simplesmente, vocês deverão retomar Consciência da pulsação da vida que existe na natureza, porque a natureza será seguramente sua maior ajuda no que vocês são chamados a viver.

Antes do retorno na Unidade, do Grande Espírito, vocês devem, eu diria, com urgência, domesticar de novo a natureza e se domesticarem de novo, a vocês mesmos, se reconectarem, em todos os sentidos do termo, com o pulso da Terra, o pulso dos vegetais, a vida dos animais.

Como o sabem, muito grandes entidades anunciaram a fase que vocês vivem como um período de dissolução de tudo o que não é natural, de tudo o que é artificial.

Assim como as frases muito conhecidas que foram pronunciadas pelas pessoas dos povos nativos, vocês chegaram a este extremo.

Quando lhes disseram que o dinheiro não se come, e fomos muitos a dizê-lo, olhavam-nos com olhos perplexos, dizendo-nos que não se tinha mais necessidade de ter alimentos sobre si, porque era suficiente sacar um bilhete para comprá-los.

Tínhamos verdadeiramente muita dificuldade para transmitir o que vivíamos.
Nós éramos então como todos os outros povos nativos: os selvagens que se opõem ao progresso, à evolução.

Em sua desmedida, o homem ocidental jamais viu que não era uma evolução, mas, bem mais, uma involução e uma degradação profunda de sua própria Consciência e de sua confiança e de sua orientação.

Vocês então, vocês todos, sem exceção (e mesmo nos povos nativos, em seguida, por avidez, por conveniência), foram cortados voluntariamente desta conexão à natureza, aos elementos.

Ora, na dissolução que vem a vocês, apenas isso restará.

A natureza é vida.
A natureza está bem mais próxima do que vocês chamam de Dimensão Superior que o ser humano.

Começando, já, pelo reino mineral que Vibra e que permite a própria coesão e a manutenção de certa dose de Sopro do Grande Espírito, sem o qual tudo seria apenas escuridão.

A vida, na natureza, está repleta de elementos, elementos que, seguramente, falam conosco.

Compreendam bem que o que falo não está ligado a uma visão que vocês chamariam de xamânica, mas bem além.
A natureza, em sua totalidade, é sinais e manifestações.

Eu lhes digo isso porque, no que vocês vivem hoje, o apoio o mais maravilhoso que vocês podem encontrar é, obviamente, vocês mesmos, em sua Dimensão Uma, interior.
Mas a natureza é uma grande ajuda para isso.

Vocês ali encontrarão reconforto, reconciliação, apaziguamento, o que jamais seus bilhetes ou seus plásticos poderão lhes trazer.

Os acontecimentos da Terra vão forçá-los a repensar, no pouco tempo que lhes resta nesse mundo, sua relação com esse mundo e com muitas coisas que vocês devem deixar para encontrar o Sopro do Grande Espírito e estar em acordo com ele.

Existem homens insensatos que não compreenderam mesmo que eles não podiam mais viver uma geração sem natureza.

Que digo eu uma geração?
Uma dezena de anos.

Como o sabem, alguns povos abandonam já a Terra: as abelhas, os golfinhos, as baleias.
Eles não abandonam a Terra para se salvar, mas eles abandonam a Terra para ir para a nova Terra.
Eles ali estão já, aqueles que devem ir.
Eles realizaram seu sonho.
Eles escaparam da ilusão e do sofrimento.

Nós sempre dissemos, como outros povos, que a vida é um sonho que se tornou um pesadelo.
É de fato possível, era de fato possível, mesmo no que vivo agora, em minha Consciência, com minhas Irmãs, que esse mundo era uma ilusão, mas uma ilusão que tinha sido ordenada, preparada, para a qual a vida podia se expressar e se religar ao Grande Espírito, antes que a Sombra chegasse.

A vida nesta dimensão pode ser mágica.

Muitos povos, irmãs das estrelas, vivem, aliás, em total liberdade, em comunhão com a natureza, nos mundos Unificados.

Em meio a todos os povos há necessidade de compreender o que é lógico, mas o problema vem que a necessidade de compreender veio substituir a necessidade de viver e a percepção da vida.

Não tendo mais esse sentido, o sentido não aparece mais, o significado, ainda menos.
É necessário portanto fazer intervir suposição, análise.

Eu intervenho essa noite para bem marcá-los no que é o mental e o que é a empatia.

Para bem fazê-los observar que o ocidente, como muitos povos nativos, infelizmente, escolheram o mental, o que vocês chamam de razão, de lógica.
E o drama é que o homem quer se apreender, com o mental, da vida e do sentido profundo da vida.
É um erro funesto que os leva a viver o que chamo, eu, de ruptura e a sede perpétua.

Vocês sabem essa palavra: «por que», «por que», «por que», «por que», que volta, mais ou menos conscientemente, durante o dia, esta injunção tão oposta à injunção da vida que é «Vida», «Vida», «Vida».

«Porque» não é a vida.
«Porque» é uma construção, que não é você e à qual vocês são identificados, tão identificados.

Certamente, sejam minhas Irmãs, sejam os Anciões, sejam os Arcanjos, nós transbordamos literalmente de amor por vocês.
Isso nada tem de excepcional, é normal.

E estamos entristecidos, não falo por vocês, em particular, neste espaço, mas pelo conjunto da humanidade, por ver que sempre e sempre, mesmo quando os sentidos da vida se instalam, para alguns de vocês, novamente, em seu Coração, a cabeça continua: «por que», «por que», «por que».

Será que a vida pergunta por que está viva?
Será que seu Coração pergunta por que ele bate?

Eu exprimo, com minhas palavras, certamente o que deveriam exprimir as formas de Consciência bem além da humana.

Vocês descobrirão que, hoje, se vocês querem ir para onde seu Coração quer conduzi-los, vocês devem redescobrir, com toda urgência, o que é a simplicidade.

A simplicidade não quer dizer sofrimento, ela quer dizer Alegria.
A Alegria só pode se instalar se vocês são simples.
Já em acordo com vocês mesmos, não com a cabeça que diz «por que», «por que», «por que», mas com o Sopro, esse Fogo que está em vocês.
Porque absolutamente tudo ali está, tudo, sem exceção.

Um dos grandes neófitos, pertencente mais ao ocidente que aos povos nativos, veio vê-los.
Não havia necessidade de vir nos ver, nós, porque sua mensagem nós a conhecemos desde o início dos tempos.
Ele veio lembrá-los, tentar ao menos lembrá-los, ele lhes disse que vocês deviam voltar a ser como crianças, maravilhadas pela vida, que não se preocupam nem com o amanhã nem com outra coisa que o que vivem, no instante em que vivem.

Mas, certamente, o mundo os levou em conceitos.

Ganhar a vida.
Como se se pudesse ganhar a vida, eis que a vida É, de qualquer modo.
Ela não tem necessidade de ser ganha.
Isso faz parte de crenças que falsificam ainda mais o pouco de vida que restou nesse mundo.

Era necessário, naquele momento, se proteger, eis que era preciso ganhar sua vida, da doença, da velhice e mesmo da morte, até ignorar o sentido e a função.

Até considerar que a morte não lhes concernia, que era algo tão distante que era indecente dela falar ou evocá-la.

Fizeram-nos então penetrar, com seu consentimento, em camadas muito mais pesadas, mesmo, que a armadilha inicial.
E vocês consentiram.
Nós consentimos.

Aquiescência à ilusão, aquiescência a uma maior falsidade, a tal ponto que alguns disseram que o homem era um lobo para o homem, e é a Verdade.

Então, sim, a natureza, contra ventos e marés, vive e prossegue seu papel.

O ser humano, entre os mais estúpidos entre eles, pensou mesmo em suprimir a natureza, suprimir as árvores, suprimir a vida.

Ali havia apenas essa palavra: negócios.

E, depois, negócio tornou-se negócio, como sempre (o negócio é a vida), enquanto é anti-vida.

As relações entre os seres se tornaram sem graça, não impregnadas de vida.

De fato, trocar um animal por um pulôver é trocar uma parte de si.
Comprar com uma peça, é anônimo.

Como vocês dizem, o dinheiro não tem cheiro.
O pulôver e o animal têm cheiro.
O cheiro daquele que o fez, daquele que o alimentou, que ali se investiu.
E, sobretudo, não há intermediário.

O que nos tem mais chocado, com a vinda do homem branco, é essa necessidade de se tranquilizar por ritos, por igrejas, eu creio, pelos tempos.
Como se o ser tivesse se tornado tão impuro que ele precisava outro ser se dizendo puro (mas, frequentemente, ainda mais impuro que ele mesmo) para entrar em contato com o Grande Espírito.

Mas o Grande Espírito está por toda parte.
Ele não pode ser fechado em nenhum lugar.

Então, sim, a natureza os restitui ao que vocês são, nesta dimensão, falsificada ou não.
Ela os restitui à Verdade.

A natureza é um inimigo, assim os ensinaram, assim vocês acreditaram.
A natureza, agora, apenas restituirá o que a humanidade abafou.
A natureza, nos tempos que lhes restam, se tornará cada vez mais seu salvo-conduto, seu meio de prover todas as suas necessidades.

É diferente voltar à natureza e em meio à natureza voluntariamente, do que esperar para ser forçado.
A natureza se abre a vocês, se vocês se abrem a ela.

Ela é paz, se vocês são paz.
Ela é violência, se vocês são violência.
Não há qualquer punição aí.
Há somente uma ressonância, somente uma evidência.

Na natureza não há “por que”.
Há somente evidência e a aceitação do Supro do Espírito que ali está.

A Terra é viva e a Terra não tem que aceitar e, aliás, ela não aceita, a visão deformada da vida.
A Terra vai se liberar, ela dá à luz.
Ela vai se liberar de certo número de forças que a forçaram a permanecer.
E se ela ali permaneceu, não é por ela, mas por vocês, para nós.

Vocês acreditam que, desde tanto e tanto tempo, a Terra não teve os meios de se liberar de todo parasita, de toda vida, em sua superfície?
Ela não o fez, por vocês.

Ela respeitou suas vidas até certo ponto, até o momento em que o Grande Espírito chegou, há quase 30 anos, e lhe disse: «agora é a hora, você deve se liberar».

A Terra bem que respondem ao Grande Espírito: «mas eu apoio muitas Consciências e vida, não posso, assim, mudar».

Então, o Grande Espírito disse à Terra: «eu a deixo viver ainda, o tempo que alguns homens despertem, que alguns homens aceitem reviver a verdadeira vida».

E a Terra esperou, pacientemente.

Ela suportou ver a natureza desfigurada.
Ela suportou ver seu éter poluído pelas ondas contrárias à vida.
Ela suportou tudo isso, por vocês, e unicamente por vocês.

O que lhes digo é a estrita Verdade.
Quem rende graças à Terra, quem agradece a Terra por ter esperado?
Quem se dá conta disso?

Os povos nativos, alguns Guardiões e Guardiãs da sabedoria.
Não todos, alguns.

Hoje, a Terra se libera e vai se liberar, inteiramente.
O momento chegou.
Ela lhes pergunta: «vocês querem fazer parte da vida, da nova vida?
Vocês querem se juntar a mim, à Unidade, às dimensões da liberdade?
Vocês querem ir também a outros planetas, outras dimensões?».

Para isso, é preciso mudar.
Para isso, é preciso parar: «por que», «por que», «por que».
E viver.
Viver.

Como em sua linguagem, vocês podem lhe dizer, saber é: ter a si mesmo.
O saber não é o conhecimento.

A mãe Terra dá.
Ela dá sem distinção.
Ela lhes deu tudo, apesar do constrangimento.
Vocês acreditam que a Terra pôde suportar tudo o que ela suportou se não tivesse, nela, um Amor imenso pelo conjunto de vidas que ela nutria?

Hoje, as coisas são diferentes, porque o momento chegou;

Então, sua busca, esta busca de vocês mesmos, os levará mais facilmente que vocês perceberão a vida da natureza, da Terra.
Porque, lembrem-se também que a Terra, em seus aspectos íntimos, em seu Coração, tem o cristal, a Fonte.

Hoje, esta busca de vocês mesmos deve se viver.
E viver é estar inteiramente imerso no Sopro do instante, no Sopro da Verdade.

Mas é a vocês que cabe viver a experiência de apreender o alcance, não com compreensão ou saber, mas com o Coração.

A Terra os levará para o mundo novo.
Ela conhece o caminho.
Ela conhece a estrada.
Aí também, dêem-lhe confiança.
Ela sabe qual povo ela deve levar primeiro, na nova dimensão.
Ela obedece à vida, ao Sopro.

Assim, a busca que vocês levaram, além do sentido pessoal, é um convite para se voltarem para o verdadeiro valor, que é a vida.

Certamente, a cabeça vai responder, ela responderá sempre, aliás: «eu devo ganhar minha vida, devo pagar isso ou aquilo. Eu devo.».

Mas quem disse?
As leis.
Quais leis?
Aquelas do homem ou aquelas da vida?
A Sociedade.
Qual sociedade?
Uma sociedade que fala de direito e que não lhes atribui nenhum.
Uma sociedade que fala de liberdade, enquanto vocês não têm nenhuma.
Onde está a liberdade?
Será que está no fato de comprar o que bem lhes parece, ou será que ela está no fato de viver?

Vocês vão viver em breve uma mudança de condições, uma mudança de vida, uma mudança de paradigma.

A chave, certamente, é o Coração.
Mas uma das chaves do Coração é a natureza.

Então, vocês me responderão: «eu não vivo na natureza».
Então, eu responderia: «é que você não sentiu a vida».

Certamente, assim que se fala de natureza, o humano civilizado vai compreender: perda de muitas coisas, perda da civilização.
E se eu dissesse que a Terra não se importa com suas sociedades, com suas civilizações?
Ela respeitou a vida que corre em vocês e nada mais.
A mulher sempre foi bem mais próxima da natureza que o homem, porque, inconscientemente, ela sabe o que é a vida e levar a vida.
O que faz a Terra.

Agora, não é mais tempo de voltar atrás e viver como os povos nativos, é muito tarde.
É simplesmente tempo de acolher, urgentemente, o Sopro, o Sopro e o batimento de sua própria vida, que vocês poderão reencontrar na natureza.

Dirijam-se à Terra, não para lhe pedir a cura das pragas que os homens lhe infligiram voluntariamente.
Isso a nada serve.
Mas, simplesmente, lhe dizendo que vocês querem entendê-la, rendendo-lhe graça pelo que ela é.

A Terra vai tomar uma importância essencial, a partir de agora, porque sua Consciência, para ela também, muda: ela se libera, como vocês.
Os seres que se liberam podem se compreender mais facilmente, porque vão já no mesmo sentido, com mais ou menos resistências, mais ou menos facilidade, mas vão no mesmo sentido.

O sonho da Terra vai se tornar sua Verdade.
Que vocês estejam sobre esta Terra ou em outro lugar, depois, vocês viverão no Coração.
Vocês assimilarão o papel da Terra, apesar da falsificação.
A Terra é o que há também em sua base, porque ela vem da Terra, não é?, mesmo se o homem transformou isso.

Como disse um dos filhos do Grande Espírito, vocês estão sobre esta Terra, sobre esse mundo, mais precisamente, mas vocês não são desse mundo.

Igualmente a Terra não é desse mundo.
Ela tolerou.
Ela esperou pacientemente a oportunidade de viver o que ela vive.

Então, sim, é preciso render graça ao céu, render graça aos guias, aos grandes seres que vêm vê-los, mas é preciso render graça, também, à Terra.

Ela jamais foi, voluntariamente, sua prisão.
Mas ela sempre tudo fez para que os filhos da Terra pudessem encontrar, em seu seio, consolação e vida.

Alguns seres fizeram, de maneira consciente, conscientemente, conscientemente destruíram as árvores, as florestas, a vida dos vegetais, dos animais.
Então, não é questão agora de desenvolver uma culpa que a nada serviria.
É simplesmente questão de se tornarem lúcidos e conscientes.

Lúcidos e conscientes, não quer dizer compreender e saber.
Lúcidos e conscientes quer dizer Ser.

Terem-se de pé.
Dentarem-se também, para sentir a Terra.
Pedir-lhe que os nutra, corpo, alma e Espírito.

Aí está, meus irmãos e Irmãs, o que tinha a lhes dizer.
Fui um pouco longa.

Se há respostas a trazer e eu possa trazê-las, então, eu as trarei de bom Coração.

Questão: como me lembrar de meus sonhos?
Cara irmã, estou mesmo ainda surpresa que você saiba o que é o sonho, porque, como vocês querem sonhar, dormindo fechados?

Você quer sonhar?
Então, durma sem obstáculos entre a Terra e o céu e você.
Reencontre o sono, fora.
Banhe-se dos raios da lua.
Recolha o raio da vida da Terra e, então, você percorrerá o espaço do sonho.

A maior parte dos sonhos que vocês vivem, fechados em suas casas, são bem insípidos, e apenas traduzem uma pequena fatia de vida.

Sonhar é possível, então, é preciso estar reconectado ao céu e à Terra.
Para isso, é preciso dormir sem uma estrutura acima de vocês e abaixo de vocês.
E o sonho se estabelecerá.

Não penso que haja muitos irmãos e Irmãs aqui que tenham pensado em dormir, como assim se chama, na bela estrela.
O sonho ali se encontra, eis que, instantaneamente, naquele momento, a Consciência indo para outros lugares, o espaço do sonho se abre, coisa que ele não pode fazer, ou então de maneira muito alterada, num espaço fechado.

Questão: como se pode o melhor possível render graça à Terra pelo que ela faz por nós?
Você pode acender um fogo, você pode cantar louvores.
O mais simples é ainda dar-lhe as palavras de seu Coração.
E vibrar por ela em seu Coração e dar-lhe esta Vibração.
Ela a tomará, ela a acolherá.
Simplesmente, muito pouco, no mundo ocidental, pensam.


Questão: para os Aborígenes Australianos, o sangue das regras das mulheres é importante?
Sim.
No sangue das mulheres, como no sangue da Terra, se esconde o mistério da criação.

Algumas tradições quiseram fazê-los crer que esse sangue era impuro, eu creio, no que vocês chamam de suas religiões monoteístas.
Obviamente, porque toda a magia da vida se esconde nesse sangue.
Mas eles sabiam o que faziam, privando-os desse sangue.

A tal ponto que, agora, não ocorreria a qualquer ser humano, no espírito, encarar esse sangue como puro e sagrado.

Certamente, certo número de poluições podem se eliminar nesse sangue, mas antes dessas poluições, o papel sagrado permanece.

Para além das tradições ou religiões monoteístas que os induziram nesta crença, o conjunto de povos da Terra, ditos primitivos, sabem e utilizam esse sangue sagrado.
Isso está tão distante, agora, do que é aceitável pelo homem civilizado, que não vale a pena ir mais longe.

Questão: os cantos ameríndios que ouvi durante sua intervenção são cantos de homenagem à Terra, em ressonância com sua Vibração?
Inteiramente.
Hoje, não cantarei, mas, em breve, eu lhes cantarei o canto da Terra.
Porque a Terra canta.
Ela canta verdadeiramente.

Assim como o cosmos canta, assim como as diferentes radiações cantam, cada uma, seu canto.
Assim como existe um canto em todas as partículas, a Terra, também, tem um canto.

Trata-se, portanto, certamente, do canto da Terra.
O cristal canta.
Mas, para ouvir esse canto, é preciso, certamente, estar na escuta.
E estar na escuta no Coração, e, portanto, no silêncio.

Questão: as estrelas, entre elas, cantam?
Sim.
Do mesmo modo que as árvores se comunicam entre elas pelos raios de Luz e pelos cantos.
A vida é canto.
Aliás, quando vocês conectam o Grande Espírito, em vocês, o som se faz ouvir.
São cantos.

Questão: na tradição ameríndia, que representa o lobo branco?
É o símbolo, como todo animal branco, de uma grande pureza.
É o símbolo também da renovação.

Assim, quando um animal branco aparece (para os Indianos, quando um visão branco nasce), anuncia grandes mudanças.
É a mesma coisa, em todas as partes sobre a Terra, para os povos religados.
O elefante branco, o urso branco, nas regiões onde não existe, quando aparece, assinala a renovação.
O lobo branco é a liberdade reencontrada.

Questão: a lua é uma Consciência à parte ou ela está incluída na Consciência da Terra?
Nem um, nem outro.
A lua não é uma criação natural.
A lua é uma embarcação criada do zero.

Questão: com qual intenção?
Remeter o fluxo e o refluxo e as forças gravitacionais.

Questão: qual é seu papel exato na dinâmica dos sonhos, eis que você preconizou dormir na bela estrela, portanto, a maior parte do tempo, sob a lua ou a irradiação da lua?
Não unicamente.
Antes de tudo, sob a irradiação das estrelas.
Mesmo se a lua possa, em alguns casos, e vocês o sabem, favorecer algumas visões, mas essas visões são apenas reflexos.

É aliás aconselhado evitar as noites de lua cheia para dormir fora.
Escolham antes, na bela estrela, um céu sem lua, onde as estrelas são mais brilhantes possível.

Questão: podem-se obter os cantos da Terra de que fala sob forma de gravação, isso já foi feito?
Isso foi feito, eu diria, em muito numerosos exemplares.
Segundo os povos índios, os cantos são muito diferentes, porque passam por um suporte para cantar a Terra.

Para alguns, eles cantam o ar.
Para outros, eles cantam a água ou as árvores.
Alguns cantam, podem cantar a Terra, inteiramente.

Algumas tribos foram mais centradas no canto da Terra, diretamente, eu diria.
Entre eles, os Lakotas, meu povo e, certamente, os Hopis.

Em meio a esses povos existem muitos cantos que cantam a Terra, diretamente.

Cabe-lhes fazer sua própria experiência.

Guardem, entretanto que, o que vão ouvir com seus ouvidos no que chamam de gravação, a mais autêntica e a mais pura que seja, não lhes retransmitirá jamais a cerimônia desse canto tal como é praticada na natureza.

Mas é, assim mesmo, uma aproximação.

Render graça à Terra, assim como foi pedido há pouco, pode se fazer cantando, vocês mesmos, esse canto espontâneo, aquele que sai de vocês, por exemplo, quando vocês cantam [vibram] de Alegria.

Questão: as cores do arco-íris têm um significado como os chacras no ser humano?
Qual relação, qual ressonância existe entre os chacras e o arco-íris se não é o elemento cor?
Mas a cor do arco-íris não é a cor de um chacra.

Questão: há uma ligação entre as cores do arco-íris e as funções específicas da Terra?
Quem agiria sobre a Terra?
Não, absolutamente não.

Questão: participei da criação de espaços de cura. Qual é sua contribuição?
A contribuição da intenção daquele que o criou.
Nada mais.

A própria Terra, sua natureza, é curadora.
Por que querer limitar?
O que é importante é a intenção.

A Terra tem vários espaços de cura, mas a Terra não tem necessidade de ser curada.
São vocês que têm necessidade de ser curados.

A Terra pode se curar de um dia para outro, sem qualquer ajuda exterior.


Questão: em sua tradição, a noção de sacrifício dos animais tinha um valor específico? Se sim, qual?

O sacrifício de um animal, como de uma árvore, particularmente em meio ao meu povo, era um ato maduramente reflexivo.
O sacrifício do animal é ligado a um agradecimento que oferecemos à Terra pelo alimento trazido.

Houve, certamente, tribos que sacrificaram animais com outros objetivos.
Mas, de uma maneira geral, o único sacrifício aceitável é aquele que permite de se nutrir.


Não temos mais perguntas, agradecemos.

Meus Irmãos e minhas Irmãs, terei talvez a oportunidade de voltar entre vocês.
O que quer que seja, Snow lhes transmite, agora, todo o Amor que este em meu Coração.


Mensagem de 29 de junho (publicada em 26 de julho de 2010)
DO SITE AUTRES DIMENSIONS
Tradução para o Português - Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com/


M.M - http://minhamestria.blogspot.com.br
http://a-casa-real-de-rigel.blogspot.com/


 

ZONAS DE AMPLIAÇÃO SUBSTITUINDO AS ZONAS DE CONFORTO

ZONAS DE AMPLIAÇÃO SUBSTITUINDO AS ZONAS DE CONFORTO
Uma mensagem da Mãe Terra/Gaia, canalizada por Pepper Lewis
23 de Junho de 2010


Caros leitores: Muitos de vocês sabem que as minhas aulas de canalização oferecem oportunidades para a conexão com os extraterrestres que são muito informados sobre a Terra – passado, presente e futuro. Alguns deles conhecem a Terra de maneiras diferentes e melhores do que nós, porque eles são mais objetivos sobre o nosso mundo, seus caminhos e possibilidades. Os seres com os quais estamos em contato são cientistas, educadores, exploradores e visionários. Eles nos oferecem pontos de vista extraordinários sobre o nosso próprio mundo, assim como perspectivas expandidas sobre outros mundos. Recentemente, Gaia esteve dizendo que este seria um bom momento para começar a pensar nos ETs de forma diferente – não como raças de seres que descerão dos céus em veículos desenvolvidos, mas como residentes locais a longo prazo, cuja identidade esteve retida, aguardando seqüências de tempo apropriadas. Desde que estes dias estão se aproximando rapidamente, Gaia me pediu para lhes apresentar detalhes de um encontro que ocorreu através do processo de canalização com uma entidade deste tipo. Esta foi a primeira reunião de uma série que ainda está por ser concluída, e mais discussões se seguirão.

Nosso visitante é um ser humano de origem extraterrestre. Ela nasceu aqui na Terra, filha de dois pais ETs. Quando ela completou cinco anos (com base na cronologia da Terra), seus pais arranjaram para que ela visitasse o seu mundo de origem. Ela viveu em seu mundo ancestral pelo equivalente a 12 anos, embora menos de um ano tenha decorrido na Terra. Ela agora é uma mulher adulta, capaz de existir em dois mundos com ajustes relativamente pequenos, e com mensagens vitais e significativas para oferecer aos dois mundos. Uilora (You-ee-lo-ra) não é um nome literal, mas um anagrama que representa o seu estilo e substância. Abaixo está um relato direto de uma conversa que incluiu Uilora, Gaia e eu. Pode parecer estranho e difícil canalizar uma entidade em um momento, muito menos duas, mas com um pouco de prática (e eu tive muita), é bem fácil fazer uma distinção entre diferentes vozes e energias, especialmente quando elas são tão únicas como são.

Minha mãe e meu pai não vivem na Terra agora, mas são capazes de me visitar sempre que assim escolhem. Eles viveram e trabalharam na Terra durante os anos de 1950 e 1960, oferecendo idéias e sugestões para o pessoal militar. Era uma época em que muitos países estavam reconstruindo os seus arsenais de armas, no que eles acreditavam que fosse a nova era de conceitos avançados. Meus pais trabalharam em diferentes instalações e para mais de um país ao mesmo tempo. Eles honravam os contratos e segredos de cada um, assegurando-se de que ninguém incorresse em qualquer dano durante os tempos considerados sombrios e perigosos. Eles pareciam muito normais e “eram membros” do mesmo modo que qualquer trabalhador que fosse dedicado a um projeto que poderia dizer igual. Um campo sensível, de múltiplas camadas, que corrigia os pensamentos de qualquer pessoa que questionasse a sua razão de estar presente, protegia a sua identidade. Isto pode parecer estranho para vocês, mas na verdade, é o protocolo padrão para a maior parte dos visitantes, especialmente aqueles que não podem fornecer uma identificação civil ou militar. É uma espécie de decepção, mas contanto que isto não contradiga os decretos que cada um prometeu defender, é permitido.

É melhor pensar nisto como uma lei transparente. Se o propósito é nobre, o campo mantém a integridade, o que por sua vez, disfarça ou obscurece a dúvida e a substitui com o reconhecimento e a gratidão. Entre os visitantes, unir e pertencer é muito importante. Uma das piores coisas que pode acontecer a um visitante é ter que se esconder ou desaparecer completamente. Meus pais ficaram muito orgulhosos pelo fato de que eles foram bem recebidos e aceitos por todos, particularmente dada a natureza do serviço que eles prestavam e os tempos reservados em que eles escolheram servir.

Pepper: Você poderia ser mais específica sobre a natureza do seu trabalho, assim como quando e por que ele terminou?

Uilora: Meus pais foram convidados a vir à Terra. Ainda me surpreende quando eu ouço que muitos pensam que a Terra pertence exclusivamente à humanidade que nasceu aqui. A humanidade é uma forma de vida importante e é notório que ela é divinamente inspirada e guiada, mas é o momento para a humanidade observar as estrelas com mais do que admiração em seus olhos. A Terra é um sistema solar inteligente que apóia uma diretriz orientadora avançada. Esta diretriz permite que muitas trocas diferentes ocorram, contanto que elas beneficiem a mais de um ser. Bem como hoje, os anos 1950 e 1960 ofereceram oportunidades àqueles que se reuniam sob as bandeiras e emblemas de serviço, além daquelas que são atribuídas aos países terrestres. Grupos de indivíduos eram leais aos projetos que beneficiaram mais do que o mundo. Estes projetos eram continuações dos mais velhos que foram iniciados e, posteriormente, abandonados décadas antes. Tais projetos estiveram em vigor antes mesmo que os governos do mundo os reconhecessem ou os aceitassem. Juntos com outros, meus pais tinham um conhecimento prévio dos vários caminhos para o crescimento que a Terra poderia tomar. Isto foi baseado na informação que foi reunida alguns séculos antes deste. Desde que a Terra e as suas formas primárias de vida têm sido manifestações físicas de um mundo de 3D, estes projetos permaneceram precisos. Noite após noite, o céu lhes parece quase a mesma coisa, ainda que ele mude um pouco. Este é um dos efeitos de viver em um mundo de 3D. Meus pais ajudaram a acelerar o tipo de pensamentos e idéias que permitiriam que a Terra se movesse em direção a uma maior conscientização. Eles projetavam estas idéias em uma tela mental, onde vários potenciais futuros poderiam ser vistos. O serviço que eles proporcionaram acelerou muitos avanços tecnológicos em uso hoje, especialmente aqueles que ajudaram a acelerar a viagem espacial humana. Seu objetivo era (e é) auxiliar a humanidade em permitir o tipo de pensamentos seqüenciais que resultariam em uma direção preferencial.

Pepper: Isto soa um pouco como controle da mente. Por que eles e outros se preocuparam conosco sob qualquer condição? Quem os convidou a vir à Terra e participar destes projetos? Eles estão em curso?

Uilora: Eu não me ofendo diante da sua declaração, e espero que você não seja ofendida pela minha resposta. O controle da mente é ao que você está exposta em uma base diária. Como o céu noturno, a maior parte dos seus pensamentos é quase idêntica, dia após dia. Eles são reforçados diariamente por tudo o que você vê ao seu redor, e pelos esforços dos meios de multimídia que você aprova. Tendo em vista os efeitos deste bombardeio, exigirá um esforço monumental de sua parte e de outros para escapar do arrasta e puxa deste campo menos elevado. Para começar, os meus pais trabalharam para libertar a humanidade disto, acelerando o campo que rodeia os pensamentos. Eles mostravam a muitos indivíduos como estender e projetar este campo para o futuro próximo e distante. Seu objetivo era criar um “mapa progressivo” dentro da mente, que ofereceria escolhas mais elevadas, em detrimento das menos elevadas, um tipo de reforço positivo que poderia ser transferido a qualquer um. Muitas das decisões que vocês fazem hoje estão baseadas nos sentimentos que lhes dizem que vocês não têm escolha. O trabalho que os meus pais estavam fazendo teria evitado isto. Até agora, a humanidade estava para se ser reconhecida como uma grande família de seres. Eles nunca pensaram se ou não o seu trabalho valeu a pena ou quanto esforço eles deveriam colocar no avanço de outra raça.

Eles não estavam preocupados com o futuro da humanidade, pois eles já estavam conscientes do seu potencial. Eles viam a humanidade como uma espécie inteligente que estava passando por um período especialmente sombrio. Eles gostavam de dizer que eles eram dedicados, mas não obrigados.

Eles foram convidados a vir à Terra no final do século 19 por alguns dos visionários daquela época. Eles fizeram uma pequena rima que cantava os louvores dos naturalistas, dos hedonistas e dos ambientalistas, dos pioneiros, dos transeuntes e dos artistas – “Rufus”, o revolucionário, o artesão ”Chan “, o boêmio “Boynton” de Berkeley, e “Muir”, o homem cujos pensamentos eram tão altos quanto as montanhas. Havia outros também, cujos pensamentos e visões abriram portas e chamavam os convidados a vir e a visitá-los.

A maior parte dos projetos foi conduzida dentro e ao redor das universidades, mas há muitas exceções quanto a isto, e você não deveria registrar isto como uma regra. Os projetos precisavam de vários indivíduos com mentes abertas a se unirem como um. Meus pais demonstraram como ter um pensamento, e em seguida, levá-lo a expandir em várias direções diferentes. Inicialmente, isto foi muito difícil para eles, porque eles sentiam como se estivessem tendo pensamentos “vazios”. Com alguma prática, eles aprenderam como influenciar e estimular determinados portais e caminhos, com uma associação de criatividade e de agilidade mental, o que por sua vez, acelerou a sua capacidade de imaginar um futuro mais criativo e iluminado. Esta técnica está ainda em uso hoje, mas os visitantes mais novos têm outros métodos que eles preferem.

Uma variedade de projetos estava em andamento durante os anos 50 e 60 e no início dos anos 70, mas após este tempo havia menos voluntários. Alguns dos voluntários originais sugeriram que aqueles que não desejavam ver os projetos avançarem, poderiam ter infiltrado os grupos originais. Os anos 70 foi um período de desconfiança, e até entre aqueles que já tinham experienciado aberturas progressivas, havia dúvidas. Dúvidas obscurecem a mente e impedem o coração de ver na escuridão. Os projetos foram transferidos para instalações mais formais e vieram sob a direção de agências e diretores. Meus pais continuaram a trabalhar aberta e cooperativamente com novos hospedeiros e contatos, mas a suspeita e a desconfiança continuaram a obscurecer o seu projeto e de outros. Eventualmente, os hospedeiros se tornaram “manipuladores” e os meus pais começaram a se sentir como mendigos, ao invés de visitantes. Após algum tempo, o projeto foi entregue novamente, desta vez para uma unidade especial que era uma ramificação de um dos ramos militares. Foi dito aos meus pais que isto daria ao seu projeto um status “oficial” e que eles seriam formalmente reconhecidos como delegados e amigos. Baseando-se nisto, meus pais sugeriram que o seu projeto se tornasse público e fosse oferecido a muitos. Infelizmente, aqueles que sabiam muito pouco, exceto que os meus pais eram visitantes de outro mundo, receberam isto como uma ameaça. Eles pediram aos meus pais que se vinculassem aos acordos de um país e que prometessem não revelar qualquer conhecimento a alguém que não recebesse aprovação anterior. Era óbvio aos meus pais que a primeira fase do seu projeto tinha chegado a um término. Eles já tinham previsto esta possibilidade, mas esperavam que outros estendessem o projeto por mais algum tempo, antes deste momento.

Pepper: Eu sei que Gaia nos reuniu para explorar mais eventos atuais, mas os seus pais e seu trabalho pioneiro na Terra me fascinam. Você mencionou anteriormente que os seus pais foram convidados aqui e que uma diretriz orientadora guiou a sua permanência e o seu trabalho. O que mais diz esta diretriz?

Uilora: A diretriz orientadora é um guia que é seguido por quase todos os visitantes. Isto se aplica à Terra, e a outros mundos, no qual a linguagem, a dimensão, o protocolo ou outras circunstâncias imprevistas, podem impedir um visitante de fazer uma escolha superior. Ela especifica que ações podem ou não ser tomadas, e tem proteções embutidas no caso de que eles não mais sejam capazes de tomar decisões devido à incapacidade. Muitos estados e países hoje têm diretrizes de serviços de saúde avançados. Estas idéias começaram como resíduos de memórias distantes que foram transmitidas à humanidade, os efeitos nefastos de experiências tristes e traumáticas de há muito tempo.

A diretriz avançada é um manual não escrito do conhecimento universal. Ele existe por sua própria vontade e pode ser modificado ou atualizado quando o momento ou a situação o exigir. Ele é tecido no vestuário que é usado por quase todos os visitantes de quase todos os mundos, mas é de particular importância onde os visitantes poderiam ser percebidos como convidados indesejados. Por exemplo, a Terra convida muitos visitantes diferentes, mas a humanidade está raramente consciente disto. Uma das razões que a nossa mãe coletiva (Gaia) nos uniu é para que comecemos a nos introduzir uns com os outros, tornando claro que estamos aqui no espírito de parceria. Embora muitos de nós estivéssemos aqui por algum tempo, em breve haverá mais. A diretriz nos protege e nos impede de interferir com os direitos ou a vontade de outros. É natural para aqueles com conhecimento avançado, quererem transmitir este conhecimento aos outros. A diretriz impede que idéias bem intencionadas se tornem ações indesejadas que não possam ser desfeitas.

Pepper: Ao longo de nossa conversa, você usou a palavra “visitantes” para descrever os seus pais e outros. É o seu uso desta palavra similar ao que chamamos de ETs? Você seria considerada como um visitante também?

Uilora: É ainda difícil para aqueles que chegam a partir de portais e locais além da Terra se introduzir adequadamente. Em outros mundos, o protocolo pede uma introdução ou saudação muito antes que qualquer limite seja ultrapassado e qualquer coisa menos seria imprudente e poderia ser interpretado como rude e até hostil. A Terra esteve passando por uma crise de limites e fronteiras por algum tempo e isto não foi definido (até por si mesma), o que é alienígena e o que é comum. A Humanidade questiona o direito nato daqueles que nascem em diferentes castas e culturas. Ela ainda aprova a aparência (pele) mais clara e vê mais luz naqueles que nascem com olhos de cor mais clara. Este ponto de vista limitado não é favorável à introdução daqueles dos mundos próximos ou distantes. Por exemplo, aqueles com uma capacidade de dirigir a humanidade na preservação de determinados recursos, são mais escuros do que a noite. Sua pele lhes pareceria molhada como uma foca, mas é realmente muito seca ao toque. Seus olhos resplandecem como diamantes e eles podem ver dentro e até através da Terra. O que faria deles a pessoa média se os encontrasse em sua verdadeira forma?

Se um ET é um ser que não nasceu na Terra, então eu não sou um ET, pois eu nasci na Terra durante o seu próprio tempo. Embora o meu nascimento fosse convencional, vocês não o considerariam assim. Embora eu passe a maior parte do meu tempo na Terra, sou também capaz de viver facilmente em alguns mundos. Meu tempo aqui não é limitado, mas a minha estadia permanece impermanente. Eu me considero um residente visitante de herança alienígena. Há muitos outros como eu.

Pepper: Eu sei que a Terra não pertence à Humanidade, mas ela pertence realmente a outra raça da qual não tenhamos conhecimento? Parece haver muita confusão em torno desta idéia. Você poderia esclarecer mais este assunto?

Uilora: A Terra não pertence a ninguém e é soberana ao ser sensível que a anima, entretanto, ela sempre pareceu pertencer às raças que a reivindicaram pelos direitos de herança. A Terra é um corpo celestial e como tal, não pode ser comprada e nem vendida. Embora a sua propriedade não possa ser reivindicada, ela tem sido contestada por várias vezes. A Terra foi chamada de “lar” por várias raças que escolheram viver na e dentro da Terra. Elas estiveram conscientes e inconscientes uns dos outros – separados pelo tempo, dimensão, geografia ou circunstância. A Terra é única, sendo um playground para alguns e um campo de provas para outros. Há pouco a que a Terra objete; nossa mãe é paciente, estimuladora e imparcial. A Humanidade está ocupada, criando vida em laboratórios e tubos de ensaio. Sua verdadeira herança está começando a despontar em alguns, mas haverá algum tempo, antes que o início do tempo retorne ao exato espaço onde a origem da humanidade começou.

Gaia: Ao meu convite e pedido, Uilora lhe falará sobre ela, seus pais e como eles vieram visitar a Terra. Mais tarde, ela lhe dirá por que eles não mais estão na Terra, onde eles estão agora, e por que ela escolheu ficar para trás. Como Uilora há muitos, cujas origens e nascimentos começaram em outro lugar, mas cujos interesses estão agora principalmente com a Terra. O tema dos extraterrestres em breve será revisto pela maior parte dos governos do mundo e por grandes organizações. É simplesmente o momento para eles fazerem isto, e eles estão sendo impulsionados a partir do interior e do exterior. Um impulso é como um desejo que parece atraente e interessante. É liberado através da luz encapsulada, que como uma pílula, é engolida inteira.

Não é incomum para a sua própria alma impulsioná-los, e na maior parte do tempo isto estaria baseado em seu próprio pedido. Por exemplo, se o seu desejo fosse fazer uma mudança específica ou se mover em sua vida, que você sentisse ser muito difícil ou quase impossível, a sua alma responderia ao seu pedido com uma infusão de energia. A energia de sua alma geralmente chega em pacotes de luz ou impulsos, que são então distribuídos através do seu sistema nervoso central. Sua alma não pode fazer esta parte por vocês e se vocês não conseguirem fazê-lo por si mesmos, vocês não experienciarão o pleno benefício que era pretendido. Esta é uma das razões por que é importante manter uma consciência saudável, assim como vários níveis de comunicação com a sua alma e com outros companheiros e professores. Vocês estão bem acompanhados em sua experiência e têm muito apoio para atrair de cima, mas afinal, vocês são responsáveis pelos seus desejos e a sua realização.

Apesar das dificuldades que vocês vêem ao seu redor, a Terra física é capaz de se apoiar e de sustentar. A Terra tem conhecido a sua cota de eventos calamitosos, sejam eles naturais ou artificiais, criados pelo homem ou em algum lugar e trazidos aqui. A futura Terra física pode se expressar como mais alcalina ou ácida, úmida ou seca; pode haver mais ou menos massa de terra durante cada grande ciclo, menos ou mais calotas polares. O futuro da humanidade, embora não seja frágil, não é tão tangível quanto o da Terra. Meu papel como Gaia, a consciência do planeta, é único no que se refere à humanidade, como mãe e uma provedora de elementos e de materiais mais necessários. Sem estes, a humanidade precisaria mudar e se adaptar muito rapidamente, talvez mais rapidamente do que seria capaz por si só. É por isto que é o momento de suas irmãs e irmãos galácticos virem com o seu auxílio e ajuda, se uma parceria puder ser estabelecida. No decorrer de muitos eons de tempo, tais parcerias foram possíveis. Não há nenhum mandato para estas e a história se revela unicamente no momento. Laços de cooperação entre as raças terrestres e as celestes foram feitas e rompidos muitas vezes, cada um com o propósito ou a promessa que os uniu.

A meu pedido, e porque a humanidade não pediu em seu próprio interesse, impulsos de luz estão sendo dirigidos em direção à Terra e de dentro da própria Terra. Estes pacotes de informações contêm conhecimento vital que pode ser rapidamente favorecido se aqueles que o recebessem, optassem por agir de acordo com eles. Por que agora? Como vocês podem ver a sua volta, muitos dos recursos do planeta estão sem administração. O planeta (meu corpo) pode sustentar, absorver e redirecionar muitas, mas não todas as suas funções. A primeira diretriz da Terra é ser um defensor de todos os aspectos da vida – passados, presentes e futuros. A humanidade, como a forma de vida mais consciente da Terra, suporta o título e a responsabilidade de administrador da Terra. Isto permanece em vigor, se a humanidade saiba ou não disto, acredite, confie ou respeite isto. Consciente ou inconsciente, a humanidade coletiva é o maior consumidor dos recursos da Terra e deve aprender a administrá-los adequadamente.

O atual vazamento de petróleo no Golfo do México se virou contra a habilidade da humanidade de governar ou administrar um ou mais recursos. Mais do que dois dos elementos vitais da Terra foram profundamente impactados e várias terras já estão afetadas com mais anúncios a serem feitos em breve. Animais e plantas selvagens nas áreas afetadas não se recuperarão por muitas décadas, e é provável que dez gerações de homens digam às futuras gerações que este foi o momento que virou a página e o curso do homem. A humanidade deve buscar agora a assistência além de si mesmo, a fim de minimizar as condições que ela criou. Como foi dito antes, é impossível que a Terra se volte contra os seus próprios filhos, pois eles são amados e sagrados para a Terra. Entretanto, um planeta consciente deve proteger e defender toda a vida. Ele deve se preocupar com o dia seguinte e a próxima era.

A Terra avalia as transgressões na administração das ampliações. Há cinco ampliações baseadas em cinco elementos da Terra indispensáveis. Qualquer transgressão significativa na organização elementar destes elementos é suficiente para levar a Terra a entrar em uma ou mais ampliações. Uma ampliação é uma comunicação estendida entre corpos celestes que permite e convida a assistência entre os mundos. A primeira ampliação, por exemplo, se origina da preocupação por um ou mais elementos ou recursos. Uma ampliação é um ato simples e natural que começa onde o amor ou o respeito esteve ausente por muito tempo. Em nosso próximo segmento, nós exploraremos as cinco zonas de ampliação e como elas vieram a ser. A Humanidade esteve durante muito tempo em uma zona de conforto e alguns dos efeitos das zonas de ampliação podem parecer surpreendentes. A Humanidade esteve acostumada a estar no comando do seu mundo e enquanto isto ainda for o caso, poderá precisar reaprender o seu espaço, a fim de reivindicar a sua posição.

Continua... em amoroso serviço à Terra e à Humanidade,

Pepper


----------------------------------
2007 Pepper Lewis e o Planeta da Paz. Toda a informação apresentada é para a sua leitura e apreciação. Ela pode ser compartilhada no todo ou em parte com outros que possam achá-la importante, contanto que seja para uso pessoal. Ao fazerem isto, nós pedimos que incluam sempre a nota de direitos autorais. Isto assegura a nossa habilidade de tornar esta informação disponível àqueles que não tenham acesso à Internet. Todas as outras reedições, incluindo as transmissões eletrônicas designadas para uso comercial, devem receber permissão do autor. As publicações e websites interessados em manter esta informação como colunas mensais, são encorajadas a assim fazer.

Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br

Pedro Coelho - Luz da Gaia

http://a-casa-real-de-rigel.blogspot.com/

LEI ESPIRITUAL DA ATRAÇÃO

LEI ESPIRITUAL DA ATRAÇÃO



“Semelhante atrai Semelhante”
Publicado em 25 de junho de 2010

O que significa é que todos e tudo que você atrai para a sua vida, é semelhante aos seus padrões de pensamento. Se você quer mudar o que ou quem você atrai, mantenha pensamentos mais positivos, amorosos e alegres. Os Mestres Ascensionados e os Anjos podem ajudar com esta mudança.

Você está cercado por bênçãos; continue a pedir orientação, e saiba que a orientação Divina está disponível a todos. Fique em silêncio e entre em contato com o guia interior que está conectado a todos nós também. Confie nesta orientação e siga em frente com ela. Parte do aspecto do tempo Divino é prestar atenção aos sinais e à orientação que você pediu. Os sinais estão aí; agora é o momento para você notá-los e se alegrar com eles, pois isto lhe possibilitará ver mais
deles em sua vida.

Sua orientação Angélica é procurar portas que se abrem, e atravessá-las com confiança e gratidão.

Você é ternamente amado,

Os Anjos

Tenha um lindo dia.

--------------------------------------------

www.playingwiththeuniverse.com

Direitos Autorais 2010... A permissão é concedida para cópia e redistribuição da Sabedoria dos Anjos, sob a condição de que o conteúdo permaneça completo e que todos os créditos sejam
dados à autora, e que seja distribuído gratuitamente.

Traduzido por: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br

http://a-casa-real-de-rigel.blogspot.com/

ANAEL - 11-05-2009 - AUTRES DIMENSIONS


Questão: a que correspondem as tensões que muitos sentem nas pernas?
A percepção que alguns de vocês sentem na parte inferior, a mais baixa do corpo, está ligada a modificações de reajustamentos magnéticos em curso sobre o conjunto do planeta.

Isto está diretamente ligado à abertura dos chacras que chamaria da nova Terra, para as raízes intraterrestres de nova dimensão onde encontra-se certo número de memórias que devem se evacuar.

Questão: e para aqueles que não sentem nada ao nível das pernas?
Pode não ser o momento, ou vocês não estão relacionados a esse processo de reajustamento.

Questão: as mudanças vibratórias sobre o planeta são sentidas por todas as pessoas, mesmo aquelas que não estão conscientes?
A maior parte das pessoas sobre este planeta está num período ou de questionamento, ou de espera, ou de dúvida.

O importante do que se vive, qualquer que seja o caminho individual, está ligado à noção de choque.

O choque não é feito para desencadear algo negativo.
O choque está aí simplesmente para abalar as certezas da consciência centradas numa uma realidade limitada. Quaisquer que sejam as escolhas, obviamente, para cada ser humano.
Cada caminho é diferente.

Alguns sairão reforçados em sua crença ou em sua negação dos planos que nós proporemos.
Outros, ao contrário, acolhem de braços abertos esse novo modo de funcionamento que está em curso de instalação.

O objetivo do conjunto de consciências espirituais que trabalham atualmente sobre a Terra não é impor-lhes escolhas, não é impor-lhes um caminho, mas propor-lhes uma alternativa ao que vocês conhecem.

Para poder propor esta alternativa há necessidade de abalar certo número de convicções, certo número de crenças, certo número de modos de funcionamento, certo número de certezas.

Cada um vive isso à sua maneira, que pode ser ao oposto de seu vizinho.
Há, nesse nível, vocês chamariam isso uma mudança de paradigma, uma mudança também de modo de funcionamento, mas a mudança de paradigma é preliminar à mudança de modo de funcionamento.

Questão: como tornar-se mais fluido para aceder a essa mudança?
Várias consciências luminosas, seja em minha esfera de evolução arcangélica, seja ao nível daqueles que os precederam sobre o caminho do despertar e da realização, todos lhes falaram de uma palavra essencial.
Essa palavra chama-se o abandono.

O abandono a suas crenças, o abandono a seu próprio poder, de entregarem-se a uma vontade outra que não é o que vocês são ou o que vocês crêem que vocês são, em todo caso.

Isso passa, obviamente, por certo número de sacrifícios, mas vocês podem estar certos que o que eu chamo sacrifício, em seu nível, não é absolutamente um sacrifício a meu nível.
Chamaria a isso despojar-se de suas ilusões.

Ilusão de poder, ilusão de conduzir sua vida, ilusão de dirigir seus projetos, enquanto que basta-lhes despojarem-se de tudo isso para aceder a um modo de funcionamento mais harmonioso, tão mais simples mas, ainda uma vez, vocês apenas podem descobrir esse modo de funcionamento se aceitam conscientemente deixar seus modos de funcionamento que determinaram suas vidas desde milênios.

Aí também é uma revolução, um choque, mas que é preciso aceitar fazer.
Nós não podemos, quem quer que sejamos, dar-lhes o acesso a esta nova realidade se vocês não soltam a antiga realidade que construíram. Não pode ser de outro modo, vocês não podem ter acesso a esse modo de funcionamento sem fazer morrer o antigo modo de funcionamento.

Mas isso lhes pertence, nós não podemos nem forçá-los, nem dar-lhes um resumo do que é esta nova realidade, enquanto vocês não tiverem dado inteiramente esse passo essencial. O choque e o abalo de sua sociedade, de seu mundo, têm por objetivo desencadear isso, se isso deve ser.

Mas vocês não podem aceder a esta realidade sem deixar o antigo.
O que não quer dizer morrer, o que não quer dizer desaparecer, mas, bem ao contrário, renascer.
Renascer para um novo modo de funcionamento, renascer para um novo estado que eu qualificaria, e que o Arcanjo Miguel denominou, unificação, que vocês entenderão proximamente.

A unificação passa pela comunhão.
Esta comunhão apenas pode realizar-se na condição que vocês se abram inteiramente.
O que capto no espírito da pessoa que guardo, a melhor imagem que possa lhes dar, é alguém que está habituado a ter, como um macaco, os amendoins num frasco fechado, mas do qual ele não pode tirar a mão.

Ele vê, no entanto, que há muitos amendoins à disposição, mas, para isso, ele deve soltar aqueles que ele tem em sua mão que fecha no frasco. Enquanto não tiver soltado o que ele tem na mão, ele não poderá aceder à abundância e ao ilimitado.

Vocês não podem pretender manter a limitação do que vocês são e aceder ao ilimitado.
Seu ego, sua personalidade, suas crenças, suas construções têm tendência a fazê-los crer que isso é impossível.

Obviamente, esse é seu papel, essa é sua função, porque esses modos de funcionamento mantiveram e permitiram a vida na realidade que vocês experimentaram. Mas vocês não podem aceder a esta nova realidade sem passar por esta noção de abandono que é real e verdadeiramente um renascimento.

Um renascimento para outra coisa e esta outra coisa apenas ser-lhe-á possível na condição que vocês superem o limiar de confiança e o limiar de consciência, para chegar a isso.

Eu poderia explicar-lhes, por palavras, o que é esta nova realidade.
Eu poderia vender-lhes através de palavras, através de vibrações, mas é no entanto apenas sua mão que soltará o que ela mantém no interior do frasco, que é sua vida limitada.

Esta é, como o disse o Arcanjo Miguel, sua decisão e não a nossa.
Isso necessita um abandono. O abandono necessita coragem, necessita superar os medos e o medo.

É apenas nesse preço que vocês poderão dar esse passo.
Se vocês dão esse passo, vocês aperceber-se-ão que poderão definitivamente rir do que vocês eram.

Questão: o trabalho deve ser feito, não unicamente num plano físico, mas num plano mental?
Eu falo de toda a realidade.
Vocês são construídos.
Isso se refere à construção desse corpo que habitam e que construíram pacientemente nesta vida e em outra vida. Isso se refere também à sua estrutura mais sutil, concernente ao que vocês denominam, eu creio, corpo emocional e corpo mental.

Vocês não poderão e não podem aceitar isso por seu mental ou por uma decisão nascida de uma emoção, ou seja, de um desejo. É nesse sentido que a palavra a mais empregada pelo Arcanjo Miguel, por mim mesmo e por outros, a palavra a mais exata em sua língua, é a palavra abandono.

O abandono é o momento em que todas as tensões ligadas à manutenção de sua vida, tal como a conhecem, cessam e desaparecem. O abandono necessita também entregar sua própria vontade a outra vontade que é você mesmo, mas em outro nível.

Mas vocês apenas podem fazer ou cruzar esse limiar aceitando isso.
Esta aceitação não é, tampouco, um ato mental, não é, tampouco, um ato de desejo, mas corresponde totalmente ao que denominei um limiar de confiança e de consciência.

Isso é crucial, não para compreender, não para intelectualizar, não para desejar, mas crucial para viver.O que não é a mesma coisa.

Este abandono, dito de outro modo, é também o momento que vocês poderiam chamar, ainda que não seja exatamente isso, a morte do ego. O ego não quer morrer, assim como o homem não quer morrer e, no entanto, ele sabe que morre um dia, necessariamente, que um dia vem o esquecimento do que foi.

A visão que vocês têm de vocês mesmos é limitada.
Quando vocês morrem, objetiva e realmente, a visão de vocês mesmos não está mais fixada à forma e às construções que elaboraram nos mundos da densidade, nos mundos desta dimensão.
Sua visão torna-se mais ampla e, entretanto, vocês se afundam nesse plano de realidade e recomeçam inexoravelmente os mesmos esquemas, as mesmas funções, com outros hábitos, com outras histórias mas, no entanto, é sempre a mesma história.

Alguns se deixam iludir pela qualidade de sua própria história e deixam-se prender novamente por esse mundo e esta realidade específica que vocês vivem.
A armadilha está ligada à atração.

Enquanto vocês vivem a atração a seus desejos, enquanto vivem a atração a suas crenças, a suas suposições, a seus modos de vida, a seus modos de funcionamento, vocês não podem aceder ao ilimitado e continuar a manter a limitação, sua própria limitação.

Ninguém o limitou, além de você mesmo.
Como lhes revelou o Arcanjo Miguel, vocês são grandes Mestres de Luz, realmente, mas vocês jogam os jogos da ilusão, vocês brincam de negar o que vocês são e esse jogo dura desde muito e muito tempo.

Nesse sentido, aí está porque, nesses momentos privilegiados, a multidão de consciências espirituais, multidimensionais que os olham com os olhos do coração, tentam abalar, por um choque, seus conceitos limitados e errôneos do que vocês crêem ser.

Questão: eles chegarão a mover esses limites?
Apenas você, pessoa alguma além de você, pode mover individualmente esses limites.
Nós podemos abalar através de um choque, certo número, eu diria, de suas convicções, de suas crenças, de suas certezas mas, como lhes repetiram muito numerosos intervenientes, nós não podemos dar esse passo em seu lugar.

Isso faz parte do juramento inicial que vocês passaram para vocês mesmos, mas também para (não gosto muito dessa palavra, mas é a melhor que encontro) as instâncias espirituais que geraram esta experiência, à qual vocês tomaram tanto gosto, que não visualizaram soltar a mão do frasco.

Questão: isto é específico para esta dimensão?
Não, como o sabem, esta dimensão pode ser cortada, ou dissociada, ou unificada, o que não é específico desta dimensão. Isso é específico do juramento que vocês mesmos se impuseram. O que devia ser uma experiência limitada, prolongou-se, não para prolongar a experiência da limitação, mas porque vocês estavam persuadidos, a título individual e coletivo, que prosseguindo a experiência vocês fariam ainda mais crescer a Luz e os Mestres que eram. Isso pode ser real, isso pode ser uma justificação real, mas não era absolutamente indispensável.

Entretanto, respeitando seu juramento, sua lógica, esperamos pacientemente que o ciclo, as rondas das galáxias, permitissem encontrar uma oportunidade mais forte de deixá-los perceber (por sugestão e não por visão real) o que é o lado ilimitado.

Mas nós nos comprometemos todos, há muito tempo, a jamais interferir com o que vocês denominaram: liberdade, livre arbítrio, experiência etc.

Entretanto, todas as coisas más, assim mesmo, um dia, têm fim.
Emprego propositalmente a palavra «coisas más» porque a experiência jamais é má, ainda que o chocolate não seja mau, mas, daí a comer dez quilos, a cada um de seus dias, não penso que a experiência possa ser agradável. Tudo é questão de dosagem e a maioria de vocês, tem talvez, em sua alegria e seu juramento, exagerado um pouco as doses, eu diria.

Entretanto, somos fiéis ao que decidimos.

Questão: esta experiência de 3ª dimensão dissociada servirá a outros?
Então, não sou responsável desse gênero de decisão.
Ela não me caberá jamais, não podendo passar pelo que vocês chamam a encarnação, dissociada ou unificada, aliás.

Ela pertence àqueles que, um dia, há muito tempo, em tempo linear, já viveram esse tipo de experiência. Nós não podemos, nós, Arcanjos, tencionar, como aqueles que vão lhes sugerir, ou propor, ou impor o que quer que seja com relação a seu caminho.

Não se esqueçam que a experiência desse mundo é única.
O que não quer dizer que os mundos da encarnação dissociada não existam em outros lugares.
Mas eu posso afirmar-lhes que a experiência que vocês viveram é, em muitos níveis, única.

De nosso ponto de vista, de nossa dimensão, e para empregar uma de suas expressões, qualquer que seja o lado, eu garanto-hes, luminoso, essencial em sua história, a expressão que me vem, é que isso é de um ridículo para dar muita risada. Se tomei o exemplo do macaco, é exatamente o que lhes assemelha. O que é para dar muita risada, quando vemos, nós, o que vocês são realmente.

Poder-se-ia também tomar o exemplo de alguém que batia como um louco numa porta fechada enquanto que, atrás de si, voltando-se, ele perceberia uma porta aberta, que o conduziria exatamente ao mesmo lugar.

Nesse sentido é efetivamente ao mesmo tempo grandioso mas efetivamente, tal como o dizem, para dar muita risada. Mas verdadeira e realmente.

Questão: tive dificuldade para conceber que seres ditos luminosos como nós supomos ser, não tenham esse discernimento?
Você não pode tê-lo enquanto não tiver cruzado esse limiar.
Você não pode reclamar ou desejar, ainda, um discernimento, enquanto está num mundo sem qualquer discernimento. Há um paradoxo e um efeito paradoxal de sua própria conduta.

Vocês se implicaram e investiram tanto nesta realidade que perderam mesmo de vista o próprio sentido da vida e vocês pretendem estar vivos. Nesse sentido, isso é também, em sua linguagem, para dar muita risada, se é que um Arcanjo pode rir.

Questão: o verdadeiro macaco não é aquele que está preso na gaiola, mas aquele que olha o macaco.

Nós olhamos porque prometemos, apesar de tudo, permanecer a seu lado.
Quando digo a seu lado é antes acima de vocês, porque, obviamente, vocês estiveram tão tomados em suas criações e em suas ilusões que se não estivéssemos intervindo, não sobre sua liberdade, mas sobre a própria estrutura desse mundo, há bem muito tempo que esse mundo teria desaparecido, o que não é o objetivo, confesso, para os seres que vieram trabalhar e transformar esta matéria.

Eu os lembro que nós, Arcanjos e outras consciências espirituais que jamais estiveram encarnados no sentido que o entendem, não podemos em caso algum participar de seus jogos.
Nós apenas podemos, efetivamente, olhá-los.

Questão: vocês nos acompanham, mas vocês mesmos são acompanhados?
Certamente.
Somos acompanhados pela Luz.
É o único acompanhamento, a nossos olhos, para nossa consciência, antes, possível, desejável e realizado.

Quando alguns de seus companheiros de estrada nesta humanidade lhes afirmaram que a Luz era onisciente, que a Luz era tudo o que era, isso não era uma visão do espírito.
Isso não era tampouco algo falso.
Era a estrita verdade.

A Luz, eu procuro a palavra..., é, poder-se-ia dizer, auto inteligente no sentido em que ela se basta a si mesma.

Jamais a Luz questiona a estrada que vai tomar.
A Luz é portanto evidência, contrariamente à ilusão na qual vocês evoluem.

Questão: se diz que sem sua intervenção a Terra teria sido destruída, isso significa que a experiência encalhou?
Se tivessem chegado nesta extremidade, apesar de nossa presença, a experiência teria encalhado.

Mas a experiência permanece a experiência.
Ela não é a verdade, qualquer que seja a grandeza e a beleza de sua experiência.
Digo isso, se fosse possível, sorrindo.

Para parafrasear uma frase de um outro Arcanjo que não citarei a fonte, vocês se colocaram num processo de pesos. Vocês confundiram o peso com o caminho.

Questão: são os medos que causaram todas essas destruições?
A imagem que posso dar é que, até um passado extremamente recente, vocês teciam mais véu de sua própria ignorância, por seu juramento, ao nível da Terra, pelo medo, um véu de fechamento.
Esse véu, graças à Luz, graças a Deus ou graças ao Amor, foi dissolvido.
E hoje, o que acontece?

Muitos de vocês sentem a iminência de um choque que eu não descreveria.
E, entretanto, o que é que vocês fazem? Esse choque é um choque de Luz, eis que nós dissolvemos literalmente as milhares de egrégoras de medos que vocês construíram ao redor de vocês.

Entretanto, hoje, o que acontece?
Os humanos têm ainda mais medo que antes, porque vocês não estão mais protegidos por suas couraças de medos ao nível do planeta.

Paradoxalmente, há, ainda, globalmente, mais medo.
Vocês têm medo de não mais serem protegidos em sua experiência da dualidade.
Isso é também um paradoxo de terem retirado suas vestes e seus casacos de medo que recobriam o conjunto deste planeta e perceber que, apesar de tudo, o ser humano, na generalidade, continua a criar o medo.

O medo é uma resistência.
A resistência é o oposto do abandono.
Vocês não podem vencer o medo pelo medo, pela fuga.
Vocês podem vencer o medo unicamente pelo abandono e unicamente por ele.

Questão: a limpeza dos centros energéticos basta para subir em vibração?
O fato de limpar o conjunto de suas lâmpadas, de seus centros de energia não permite, por si só, revelar o que vocês são, senão isso seria muito simples.

Esta questão ilustra o medo que os habita, porque vocês se dizem, muito logicamente, aliás, em seu modo de funcionamento, que vocês vão limpar, purificar, transcender seus chacras.

Isso lhes evita olhar o medo.
Entretanto, o medo persistirá de uma maneira ou de outra.
O único modo é cruzar o limiar de confiança e o limiar de consciência.
Não há outra alternativa.

Em outros termos, vocês poderão subir e subir e subir ainda na vibração, vocês poderão acender funções espirituais novas mas, enquanto não tiverem abandonado, não cruzarão a porta.
Eu lhes disse que é preciso soltar a mão que tem os amendoins dentro do frasco.

Não há nada mais a fazer.
A vibração seguirá. O despertar de sua consciência seguirá, eu diria, de maneira quase instantânea.

Mas aí vocês não podem escapar disso.
Isso nada tem a ver com os chacras. A ativação de seus chacras permite-lhes aproximar-se deste estado de abandono. Mas o abandono é um ato não vibratório. É um ato de confiança e de consciência.

Eu não digo de nível de consciência, mas de integração da consciência, o que não é a mesma coisa.
Vocês podem aceder a um conhecimento essencial. Vocês podem aceder aos mistérios do universo. Vocês podem conversar com uma entidade espiritual, qualquer que seja sua fonte, sua origem e seu nível. Entretanto, não é por isso que vocês abrirão a mão dentro do frasco.

O trabalho que é atualmente realizado no conjunto desta galáxia, e em momentos privilegiados, pelo Arcanjo Miguel, tem por objetivo aproximá-los o melhor possível e ao mais próximo possível deste estado de abandono, pela expansão de sua consciência, pela abertura para sua reconexão mas, entretanto, são vocês que comandam sua mão, não nós.

Questão: é isso que entendia Jesus quando dizia «vocês devem deixar pai e mãe»?
Certamente, vocês devem tudo deixar e sobretudo deixarem-se vocês mesmos.
Vocês não podem aderir ao que vocês são e pretender estar no abandono.
Vocês não podem ao mesmo tempo ser e reencontrar os Mestres da Luz que vocês são e permanecer nesta condição ridícula.

Não preconizo, com isso, obviamente, o abandono desta realidade, dado que vocês vieram especialmente transformar esta realidade.
Assim, o que vocês chamam suicídio ou morte seria um erro.

Cabe-lhes, bem antes, morrer não para esse plano, mas para suas ilusões.
Vocês não podem ser ao mesmo tempo o Mestre da Luz e o pequeno corpo no qual estão.
O abandono de que falo não é nem abandonar sua vida, nem alguns modos de funcionamento, mas realmente abandonar-se vocês mesmos.
Esta que é a compreensão.

Abandonar-se vocês mesmos não é abandonar as condições exteriores, mas abandonar certo número de circunstâncias interiores que fazem com que vocês sejam, pelo momento, limitados, tanto ao nível de suas percepções como ao nível de suas vidas, como ao nível de seus pensamentos, como em todos os níveis. Vocês são seres ilimitados que vivem a limitação e que, além disso, se limitam.

É preciso abandonar isso.
Vocês poderão abandonar sua profissão, a vida social e retirar-se no vale de uma montanha, sem para tanto estar abandonado, criam aí também uma ilusão a mais.

Compreendam bem que, utilizando a ferramenta da linguagem que faz ressoar seu mental, seus desejos, seus intelectos, eu tento, entretanto, através da vibração dessas palavras, fazê-los aproximarem algo que está bem além das palavras.
Obviamente, o abandono é um abandono interior.
Vocês bem o compreenderam.

Isso corresponde a duas etapas que não é matar o pequeno eu ou matar a personalidade, mas realizar, dentro mesmo desta ilusão, o que o Arcanjo Miguel chamou, eu creio, a Unidade de Si.
Essa é a primeira etapa.

Mas o abandono ocorre na etapa precedente, onde toda vontade pessoal é aniquilada à vontade da Luz. Certo número de premissas e de sinais estão relacionados com a abertura da via ao abandono à Luz ou, se preferem, à aproximação do limiar de confiança e de consciência.

Esses sinais são diferentes de acordo com os seres humanos.
Se vocês construíram, durante suas vidas, estratégias específicas guiadas pelo medo, quando aproximarem-se desse limiar, obviamente, vocês terão ainda mais medo. Se vocês construíram estratégias de tristeza, vocês estarão, aproximando-se desse limiar, cada vez mais tristes.

Creio que isso foi expresso de maneira muito adequada por uma entidade que visita aquele que eu guardo que se fez chamar RAM, que lhes falou de um conceito muito particular que não é obrigatório ter vivido, como o fizeram certos místicos de tempos passados, durante dezenas de anos, que chamaram «a noite escura da alma».

Isso pode se viver em um tempo linear de seu espaço extremamente curto.
Mas sempre aproximamo-nos dessa palavra fatídica que é a palavra abandono.
Seria interessante, aliás, considerando a pronúncia dessa palavra, encontrar a etimologia precisa, para desfazer as construções mentais procedentes dessa palavra abandono.

Questão: essa poderia ser uma forma de doação de si ao que se chama a Luz ou o Pai?
É preciso realmente encontrar o sentido original da palavra abandono.
Efetivamente no abandono há abundância e doação.
Essa é uma primeira etapa, mas não é a única.
Eu os convido então a encontrar o sentido original dessa palavra.

Nós agradecemos.

Obrigado por terem sido tão pacientes.

_____________________
Compartilhamos essas informações em toda transparência. Agradecemos de fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente o texto e citando a fonte: www.autresdimensions.com.

Versão do francês: Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com


M.M - http://minhamestria.blogspot.com.br
http://a-casa-real-de-rigel.blogspot.com/


Related Posts with Thumbnails